Atividades para crianças com síndrome de down em estágio pré-operatório

Estimular a evocação de fatos já ocorridos
Estimular a evocação de fatos já ocorridos

Educação e Pedagogia

17/04/2013

• Brincar de cabanas, abrigos e esconderijos;

• Dramatizar livremente. Brincar com bonecas, telefone, roupas, bolsas, utensílios domésticos;

• Brincar de faz de conta;

• Ler e mostrar livros ilustrados com pequenas estórias, possibilitando que a criança repita do seu modo a estória;

• Estimular a evocação de fatos já ocorridos;

• Estimular a criança a descobrir a relação de causa e efeito, por meio de brinquedos sonoros de montar e desmontar, apagar velinhas, etc.;

• Solicitar a criança a colocar objetos “em cima”, “em baixo” de mesas, cama, caixas, etc.;

• Ampliar o conhecimento das partes do corpo. Devemos brincar dando ordens relacionadas com a posição do corpo: “em pé”, “deitado”, “sentado”. Complementarem partes do corpo humano em tabuleiro;

• Permitir que observe objeto em pequenos e grandes espaços e em diferentes prismas;

• Oferecer objetos do mesmo e de diferentes tamanhos, estimulando-a a discriminação de “grande” e “pequeno”;

• Oferecer quebra-cabeças simples de objetos familiares compostos de algumas peças;

• Mostrar figuras, objetos ou miniaturas solicitando que a criança demonstre ou diga para que serve;

• Ampliar o vocabulário da criança;

• Mostrar ilustrações solicitando que a criança diga o que estão fazendo;

• Fazer perguntas envolvendo a qualidade dos objetos (grande, pequeno, cor, pesado, leve, quente, frio) e localização (em cima, em baixo);

• Estimular a criança a verbalizar o que está acontecendo agora, antes e depois;

• Desenvolver entonação ao cantar;

• Ensinar versinhos, canções com expressões corporais;

• Contar muitas estorinhas e depois dramatizá-las;

• Estimular destreza manual permitindo que rabisque, brinque com massa de modelar, de encaixe, montar, desmontar, construir, derrubar, folhear revistas. Rabiscar na areia com o dedo, graveto. Pintura a dedo, rabiscar o chão com giz, carvão;

• Colocar cadeiras ou outros objetos e fazer a criança caminhar desviando-se dos mesmos;
• Levar a criança a caminhar sobre linhas retas, curvas ou um grande círculo desenhado no chão. Caminhar sobre estrado pouco elevado, segurando pequenos objetos;

• Brincar de andar, correr, pular em diferentes ritmos;

• Subir e descer escadas alternando os pés;

• Brincar realizando movimento de saltar (imitando sapo ou coelhinho), arrastar (minhoca), ou cantigas de roda de levantar e agachar-se (corre-cotia, atirei o pau no gato);

• Continuar oferecendo cubos, caixas, latas, blocos de construção que os empilhe, brinque de faz de conta que não são outras coisas além de adquirir noções de pequeno-grande, maior, menor, muito, pouco, alto, baixo;

• Estimular a realizar duas tarefas depois lhe dê ordem para três;

• Brinque de imitar fisionomias: triste, alegre, zangada, assustada, e identificá-las em figuras de pessoas nas revistas;

• Oferecer objetos para que a criança possa associar pelo uso (colher na xícara, nenê no pinico, garrafa-copo, fósforo – vela);

• Oferecer material (tampinhas, caixas de fósforo, palitos, pedras, sementes, folhas, frutas, miniaturas) para organizar, classificar, seriar;

• Oferecer tesoura de ponta arredondada para que a criança corte papel e recorte figuras grandes;

• Solicitar que diga: o que viu em figuras apresentadas e descritas anteriormente e o que aconteceu ou viu em passeios realizados;

• Contar pequenas estórias com gravuras, depois de um tempo sem gravuras solicite que as crianças repitam;

• No início do dia incentivar a criança a antecipar as rotinas que viverá e no final do dia contar o que passou;

• Cantar acompanhando o ritmo com gestos e movimentos espontâneos;

• Propor situações de desafios: estes objetos são iguais? A vaca é igual ao cachorro?

• Estimular as brincadeiras de faz de conta e a dramatização;

• Brincar com a criança colocando-a em diferentes localizações: em frente, atrás, ao lado, longe, perto, tendo como ponto de referência a pessoa que a atende ou um objeto;

• Comparar tamanho das crianças (quem é maior, menor);

• Oferecer jogos de encaixe em tabuleiros, quebra-cabeça de objetos familiares e de formas geométricas;

• Mostrar figuras incompletas de pessoas para que identifique a parte que está faltando;

• Dar uma grande variedade de brinquedos para que a criança os organize espontaneamente;

• Pedir que identifique os elementos e as ações em gravuras;

• Ajudar a criança a reconhecer que ela é “menino” ou “menina”;

• Estimular a identificação de cores;

• Fazer perguntas de “onde”, “por que”, “como”;

• Solicitar que relate em ordem lógica e cronológica fatos ocorridos com elas.

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.


Colunista Portal - Educação

por Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.

Portal Educação

PORTAL DA EDUCAÇÃO S/A - CNPJ: 04.670.765/0001-90 - Inscrição Estadual: 283.797.118 - Rua Sete de Setembro, 1.686 - Campo Grande - MS - CEP 79002-130