Identificação dos benefícios e dificuldade da educação continuada

Artigo por Elcio Tamagawa - quinta-feira, 21 de junho de 2012

Tamanho do texto: A A


Identificação dos benefícios e dificuldade da educação continuada
Identificação dos benefícios e dificuldade da educação continuada

 INTRODUÇÃO
A educação é um recurso de desenvolvimento que leva ao progresso da capacidade física, moral e intelectual do ser humano. É uma atividade humana primordial, sendo um fenômeno social e universal (PASCHOAL; MANTOVANI; MÉIER, 2007; FERREIRA, 2001).




O conceito de processo educacional ao longo de toda a vida é considerado como educação continuada, sendo uma chave de acesso para o século XXI. A educação baseia-se na aquisição, utilização e atualização do conhecimento (SEVERINO, 2001).




A educação traz conteúdos fundamentais como conhecimentos, aptidões, valores e atitudes que o ser humano precisa para sobreviver. Apresentando novo modo de viver e trabalhar com dignidade, a participação plena do seu desenvolvimento e a melhora da sua qualidade de vida (DELORS et al, 2006).




Nesta época de velozes mudanças, o conhecimento é uma poderosa arma na conquista de reconhecimento e espaços, onde são alcançados através da educação inicial e concretizados com a educação continuada. Através dessa afirmativa que são formados profissionais diferenciados, capazes de elaborar respostas criativas para os desafios da realidade atual (BEZERRA, 2003).



Os serviços de educação em enfermagem além de oferecer a aprendizagem de uma profissão, também fazem com que o indivíduo adquira uma postura necessária para assumir suas competências e para enfrentar numerosas situações imprevisíveis que podem ocorrer durante sua atuação como profissional (FAUSTINO; EGRY, 2002).


O indivíduo ao graduar-se em enfermagem deve aprender que assumiu um compromisso infinito frente à sociedade e a si próprio, onde é necessário manter-se atualizado constantemente, adquirindo novos conhecimentos que o permanente progresso técnico e científico provoca (BEZERRA, 2003).



A evolução constante da educação em enfermagem está diretamente relacionada com as mudanças em função dos avanços tecnológicos, a necessidade do indivíduo manter-se atualizado aperfeiçoando seus conhecimentos e habilidades técnicas (MIRANDA; SOLINO, 2006).


Diante dessa realidade é possível constatar a necessidade de incluir a educação continuada como um processo educacional para identificar as necessidades de aperfeiçoamento das competências da equipe de enfermagem (RICALDONI; SENA, 2006).



A educação continuada é recurso permanente desenvolvido após a formação inicial, proporcionando ao profissional aprimoramento de suas competências para que seu desenvolvimento seja compatível com as suas responsabilidades frente à instituição, sendo visível à qualidade das habilidades técnicas e do senso crítico na assistência de enfermagem, levando em consideração as evoluções científicas e tecnológicas e as necessidades sociais (PASCHOAL; MANTOVANI; MÉIER, 2007; KURCGANT et al, 2005).


A enfermagem é um ramo da saúde que possui várias áreas de atuação, dentre essas, destaca-se neste estudo a assistência domiciliária.



A assistência domiciliária é o atendimento específico ao cliente realizada por uma equipe multiprofissional em seu próprio domicílio, preconizando assim, recuperar, reabilitar e acompanhar o cliente e a sua família promovendo a saúde física e emocional e prevenindo-os de possíveis complicações e intercorrências. Atualmente a assistência domiciliária é dividida em assistência domiciliária, visita domiciliária e internação domiciliária. Dentre esses cuidados desenvolvidos no domicílio do cliente, focaremos a internação domiciliária (KERBER; KIRCHHOF; VAZ, 2008).



A internação domiciliária é designada como um cuidado intensivo aos clientes que apresentam complexidade moderada ou alta, tendo a necessidade do deslocamento de parte da estrutura física hospitalar para o domicílio com assistência da equipe multiprofissional 24 horas por dia (FRANCO; MERHY, 2008).


Para obter uma estrutura eficiente e precisa na internação domiciliária é primordial o funcionamento da sede base 24 horas por dia com sistema de atendimento a emergência, sistema de informação em tempo real, prontuários de saúde, fornecimento de medicamentos, matérias e equipamentos hospitalares e fornecimento de gases medicinais (TAVOLARI; FERNANDES; MEDINA, 2000).


Em função disso é pré-estabelecido o dimensionamento da equipe multiprofissional que é obtido com a avaliação do grau de dependência do cliente, através disso é determinada à carga de trabalho diário e oferecimento de uma melhor assistência de enfermagem ao cliente e sua família. É importante frisar que esse processo é dinâmico, sendo primordial haver uma avaliação permanente do dimensionamento da equipe multiprofissional, levando em consideração o reconhecimento da situação, a caracterização da instituição e a caracterização do serviço de enfermagem (KURCGANT et al, 2005).


Para manter uma eficiência na gestão de pessoas, elaboração de procedimentos e atendimento humano na assistência domiciliária é essencial à busca contínua de informações e atualizações. Nesse aspecto surge à necessidade explicita de implementar a educação continuada como um recurso educacional indispensável para oferecer uma melhor assistência de enfermagem na internação domiciliária (TAVOLARI; FERNANDES; MEDINA, 2000).

CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

colunista

Elcio Tamagawa

Pos graduado em docência do ensino superior e tecnicos para enfermeiros. Atuando como Docente há mais de 2 anos no nivel técnico de enfermagem. Atuando como enfermeiro assistencial no ramo Hospitalar.

PORTAL DA EDUCAÇÃO S/A - CNPJ: 04.670.765/0001-90 - Inscrição Estadual: 283.797.118 - Rua Sete de Setembro, 1.686 - Campo Grande - MS - CEP 79002-130 - Atendimento ao cliente