Mecanismo de perda de calor de um recém-nascido

Condução, quando a pele entra em contato com objeto frio
Condução, quando a pele entra em contato com objeto frio

Medicina

23/04/2012

A criança pode sofrer uma série de consequência em relação a perda de calor. Conheça quais são os tipos de perda de calor e suas características.

Mecanismo de perda de calor:
a perda de calor, que começa no parto, pode ocorrer através de quatro mecanismos – evaporação, condução, radiação e convecção.

Evaporação: a perda de calor por evaporação ocorre quando fluidos (água insensível, perspiração visíveis e fluidos pulmonares) se tornam vapor no ar seco. Quando mais seco o ambiente, maior a perda de calor por evaporação a perda acentuada de calor por evaporação que ocorre como parto pode ser minimizada secando-se imediatamente o recém-nascido e removendo-se os campos molhados.

Condução: esta forma de perda de calor ocorre quando a pele entra em contato direto com um objeto mais frio, por exemplo, uma bancada ou balança fria, portanto qualquer superfície metálica sobre a qual o recém-nascido será colocado deve ser forrada.

Radiação: uma superfície sólida mais fria sem contato direto com o neonato pode causar perda de calor através de radiação. Fontes comuns de perda de calor radiante incluem as paredes e janelas da incubadora, ocorrendo mesmo a temperaturas quentes, a perda de calor radiante pode ser minimizada através do uso de uma cobertura de calor termoplástica.

Convecção: a perda de calor da superfície corporal para o ar circunjacente mais frio ocorre através de convecção, ela é maior em ambientes resfriados assim a sala de parto resfriada para o conforto da equipe de saúde pode causar perda significativa de calor convectivo no recém-nascido.

Defesas contra-hipotermia:
em um ambiente frio ou em outras circunstâncias estressantes o recém-nascido se defende contra a perda de calor através de controle vasomotor, do isolamento térmico, da atividade muscular e da termogênese sem tremor de frio.

Controle vasomotor: o estímulo nervoso periférico, responsável por ativar o controle vasomotor e os processos metabólicos para regular o controle térmico. O recém-nascido conserva o calor através de vasoconstrição periférica e dissipa calor através da vasodilatação periférica.


Isolamento térmico: fornecido pela gordura subcutânea (branca), o isolamento térmico protege contra a perda rápida de calor. A quantidade de gordura subcutânea determina o grau de isolamento térmico (a gordura subcutânea é responsável por 11 a 17% do peso recém-nascido a termo), e ela não se desenvolve até a 26ª à 30ª semana gestacional, comprometendo assim a capacidade do neonato prematuro de manter ou estabilizar a temperatura.

Atividade muscular: a atividade muscular aumenta a produção de calor inicialmente, o recém-nascido reage ao ambiente frio com um aumento dos movimentos (freqüentemente percebidos como irritabilidade).

Termogênese não-espasmogênica: definida como a produção de calor através da lipólise da gordura marrom, a termogênese não-espamogênica é o mecanismo de produção de calor mais eficaz do recém-nascido porque aumenta minimamente a taxa metabólica. Um tipo de tecido adiposo, a gordura marrom responde por até 1,5% do peso total do recém-nascido a termo, assim chamada devido sua cor marrom, como resultado do seu rico suprimento vascular, do conteúdo vascular denso e das inúmeras terminações nervosas. A gordura marrom é depositada em torno do pescoço, da cabeça, do coração, dos grandes vasos, dos rins, das glândulas supra-renais, entre as escápulas, atrás do esterno e nas axilas.

O cérebro, o fígado e os músculos esqueléticos tomam parte na termogênese não-espasmogênica em resposta à perda de calor, os nervos simpáticos estimulam a liberação de norepinefrina, o principal mediador da termogênese levando a um aumento da produção de calor. A produção de calor pela oxidação da gordura marrom é distribuída através do corpo pelo sangue, que absorve o calor ao passar pelo tecido gorduroso. Sistema tegumentar: o recém-nascido saudável é úmido e quente ao toque, lanugem, um cabelo fino e felpudo pode existir sobre as costas e os ombros, a pele do recém-nascido serve também como a primeira linha de defesa contra infecções e a camada mais externa, o estrato córneo é fundida com o verniz caseoso. Essa é uma substância gordurosa branca produzida pelas glândulas sebáceas e que protege a pele fetal do fluido amniótico. (devido as suas propriedades protetoras, o verniz caseoso não deve ser retirado).

A pele do recém-nascido a termo pode parecer eritematosa (avermelhada) por várias horas após o nascimento, mas logo assume a sua cor normal, em muitos neonatos a instabilidade vasomotora, a estase capilar e os níveis elevados de hemoglobina levam à acrocianose, caracterizada pela coloração azulada das mãos e dos pés. A cor da pele e a circulação em geral melhoram com o aquecimento das mãos e dos pés (Acrocianose é uma condição comum e não deve ser confundida com cianose central, que reflete troca gasosa comprometida). Ao contrário a pele do recém-nascido prematuro é frágil, transparente, com veias visíveis e sem lanugem e o verniz caseoso também está ausente.

Sistema músculo esquelético:
a ossificação (desenvolvimento ósseo) é incompleta ao nascer. O crânio é composto por seis ossos finos e desunido, separando os ossos estão às suturas que são articulações fibrosas, já as fontanelas, áreas de tecidos moles cobertos com membranas rígidas que separam as suturas e geralmente o parto normal causa uma sobreposição das suturas, uma condição que se resolve espontaneamente. Os músculos são anatomicamente completos no nascimento a termo, com a idade a massa, a força e o tamanho muscular aumentam e isto é crucial para o desenvolvimento do controle postural e da mobilidade.

Sistema reprodutor
: o sistema reprodutor é anatomicamente e funcionalmente imaturo ao nascer, porém devido a elevados níveis de estrogênio materno podem causar efeitos adversos transitórios e sem importância clínica como: hipertrofia mamária com ou sem leite da bruxa (uma secreção aquosa, fina, semelhante ao colostro). Pode aparecer tanto no recém-nascido do sexo feminino e do masculino, já as meninas podem ter pseudomenstruação uma secreção vaginal mucóide ou manchada de sangue, causada pela queda brusca de hormônio após o nascimento, tais situações se resolvem espontaneamente.

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.


Colunista Portal - Educação

por Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.

Portal Educação

PORTAL DA EDUCAÇÃO S/A - CNPJ: 04.670.765/0001-90 - Inscrição Estadual: 283.797.118 - Rua Sete de Setembro, 1.686 - Campo Grande - MS - CEP 79002-130