CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Conflito entre pais e filhos

Artigo por Colunista Portal - Educação - sexta-feira, 26 de abril de 2013

Tamanho do texto: A A

Tem casos que é preciso uma importância da orientação familiar
Tem casos que é preciso uma importância da orientação familiar
Segundo Monbourquette, (1996, p.47), é observado que:

Quando surge um conflito entre os pais e o filho, é importante perceber a natureza do conflito. É ele provocado por questões materiais ou provém de um motivo cultural ou moral? No primeiro caso você está diante de um conflito de necessidade (...) no segundo caso, se trata de um conflito em matéria de opções, valores morais e culturais.

Através da citação do autor posso acrescentar que os conflitos de natureza material, ou conflito de necessidade, são os mais fáceis de serem resolvidos entre pais e filhos, mas sugiro que sejam os pais a reverem seus conceitos quanto ao modo que tratam suas relações materiais.

Em outras palavras, afirmo que os conflitos dessa natureza são conduzidos pelos próprios pais que, em muitas situações, usam dos objetos, brinquedos e outros objetos, como subterfúgios, chantagem e compensações, para conseguirem dos filhos o que desejam.

É mais ou menos assim, por exemplo:

• se você se comportar, comprarei um brinquedo para você;

• se você estudar direitinho te dou um celular de presente no seu aniversário;

• se você parar de chorar, te dou aquela bola.

• se você for boa menina te darei a boneca que deseja.

Será que é preciso ser lembrado que as crianças não nascem sabendo fazer negociações; sabem usar os jogos emocionais e seus mecanismos de defesa, mas não incluem valores nas suas ações. A negociação nasce de uma intenção de alguém que já sabe usar de estratégias conscientes para se chegar aos objetivos almejados.
Desse modo, o próprio adulto é quem molda na criança sua maneira de “jogar” com os desejos – a criança joga para ter (pelo desejo), e o adulto joga para obter (o que lhe é conveniente). Portanto, tais conflitos poderão ser sanados se os pais reveem seus conceitos materiais e seus usos frente a seus objetivos.

Já, os conflitos de natureza moral e cultural têm a ver com as opções feitas pelo sujeito no seu trato com os grupos sociais em que se insere. Evidentemente, não se descarta a suma importância da orientação familiar, pois a estrutura moral e cultural se herda da família, primeiramente. As provas sociais, às quais se submete o sujeito, não são contempladas quando o sujeito tem claro o que é o certo e o que é errado.

Mas, quando há distorções da sexualidade, quando há inserção no contexto das drogas – sejam as químicas de maior ou menor gravidade – os pais terão uma maior dificuldade em sanar os conflitos. Pois, o resgate do sujeito é permeado por razões subjetivas que perpassam o diálogo com a família, considerando que a ciência ainda não descobriu por que determinadas pessoas possuem autovalores tão destrutivos.

Contudo, seja qual for a natureza dos conflitos, será inevitável sua influência no contexto escolar. E isso é facilmente comprovado quando se nota a escola vivenciando uma distorção de valores, na qual está o desrespeito do aluno com o professor; na qual está a falta de compromisso do aluno e da família com as atividades da escola; quando as agressões físicas, morais e psicológicas são tão visíveis nos olhos de nossos alunos.

CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.