CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

A Inclusão de Alunos com Necessidades Especiais nas Escolas Técnicas Estaduais

Artigo por Bruno Santos Nascimento - quinta-feira, 21 de junho de 2012

Tamanho do texto: A A

Inclusão deve ocorrer em todas as escolas
Inclusão deve ocorrer em todas as escolas
A Inclusão de Alunos com Necessidades Especiais nas Escolas Técnicas Estaduais de São Paulo

INTRODUÇÃO

Escola Técnica Estadual (ETEC) refere-se às instituições de ensino mantidas pelo governo do estado de São Paulo subordinadas ao Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza - denominação recebida em 10 de abril de 1971 -, que ministram aulas de ensino médio e cursos técnicos, para os setores Industrial, Agropecuário e de Serviços. Para ingresso nas escolas técnicas, os alunos passam por um processo seletivo (vestibulinho) que serve para classificação de todos os candidatos. Cada unidade designa um coordenador que é responsável pela organização dos trabalhos. O pesquisador é um desses coordenadores, o que o aproximou dos dados de inscrições dos candidatos às escolas técnicas do estado.

Segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil tem cerca de trinta milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, sendo cinco milhões no Estado de São Paulo. Nos últimos anos, ações isoladas de educadores e de pais, têm promovido e implementado a inclusão de pessoas com algum tipo de deficiência ou necessidade especial nas escolas, visando resgatar o respeito humano e a dignidade, no sentido de possibilitar o pleno desenvolvimento e o acesso a todos os recursos da sociedade por parte desse segmento.

Desde 1991, o artigo 93 da Lei 8.213/91 garante cota de vagas para deficientes nas empresas brasileiras. Com isso, ao longo dos anos, o número de pessoas que se declaram portadores de algum tipo de deficiência, na busca de cursos profissionalizantes, vêm crescendo consideravelmente. Segundo o artigo 2º da lei Nº 7.853 de 24 de outubro de 1989, Ao Poder Público e seus órgãos cabe assegurar às pessoas portadoras de deficiência o pleno exercício de seus direitos básicos, inclusive dos direitos à educação, à saúde, ao trabalho, ao lazer, à previdência social, ao amparo à infância e à maternidade, e de outros que, decorrentes da Constituição e das leis, propiciem seu bem-estar pessoal, social e econômico. A indagação surge desse ponto.

A inclusão está sendo abrangida, desde que devidamente comprovada, conforme o manual do candidato, "O candidato com deficiência, que necessite de condições especiais para realizar o Exame, deverá indicar na Ficha de Inscrição e, também, encaminhar o laudo médico, emitido por especialista, descrevendo o tipo e o grau da necessidade, bem como as condições necessárias para realizar a prova [...]" (2010, pág. 5). Mas de que forma, essa está sendo realizada?
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Bruno Santos Nascimento

Professor na Faculdade Anhanguera de Jundiaí e Orientador Educacional na ETEC Jaraguá, SP. Sou formado em Matemática e Especialista em Educação Matemática, ambas pela Universidade de Guarulhos. Sou pedagogo pela UNINOVE. A educação é meu ponto de encontro. Acredito que posso fazer a diferença e é; isso que estou tentando.