Tipos e Classificação do Leite

Tipos e Classificação do Leite
VETERINARIA

 Em conformidade com o disposto no Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA), são permitidas a produção e comercialização dos seguintes tipos de leite de consumo em espécie:



Leite tipo “A” ou de granja;

Leite tipo “B” ou de estábulo;

Leite tipo “C” ou padronizado;

Leite magro;

Leite desnatado;

Leite esterilizado;

Leite reconstituído.



Todos os tipos de leite só podem ser dados ao consumo se devidamente pasteurizados.



Classificado como leite de excelente qualidade microbiológica, onde são permitidas no máximo 10.000 bactérias/mL antes da pasteurização e 500 bactérias/mL após a pasteurização.



Deve proceder de vacas mantidas sob controle veterinário permanente, ser integral, obrigatoriamente ser pasteurizado logo após a ordenha e engarrafado com fecho de comprovada inviolabilidade em indústria localizada na própria granja produtora, obedecidas as normas higiênico-sanitárias preconizadas em legislação técnica (RIISPOA).



Neste tipo de leite é proibida a padronização da gordura, bem como o pré-aquecimento e congelação.



Conforme a IN (Instrução Normativa) 51/02 do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, entende-se por Leite Pasteurizado tipo A o leite classificado quanto ao teor de gordura em integral, padronizado, semidesnatado ou desnatado, produzido, beneficiado e envasado em estabelecimento denominado Granja Leiteira.



Imediatamente após a pasteurização o produto assim processado deve apresentar teste qualitativo negativo para fosfatase alcalina, teste positivo para peroxidase e enumeração de coliformes a 30/35ºC menor do que 0,3 NMP/mL da amostra.



O leite tipo A Classifica-se em:

Leite pasteurizado tipo A Integral;

Leite pasteurizado tipo A Padronizado;

Leite pasteurizado tipo A Semidesnatado;

Leite pasteurizado tipo A Desnatado.



Para um melhor entendimento entende-se por Granja Leiteira o estabelecimento destinado à produção, pasteurização e envase de leite Pasteurizado tipo A para o consumo humano, podendo, ainda, elaborar derivados lácteos a partir de leite de sua própria produção.

A Granja Leiteira deverá estar localizada fora da área urbana, situada distante de fontes poluidoras e oferecer facilidades para o fornecimento de água de abastecimento, bem como para a eliminação de resíduos e águas servidas. Deve estar afastada no mínimo 50 m das vias públicas de tráfego de veículos estranhos às suas atividades, bem como possuir perfeita circulação interna de veículos.



Os acessos nas proximidades das instalações e os locais de estacionamento e manobra devem estar devidamente pavimentados de modo a não permitir a formação de poeira e lama. As demais áreas devem ser tratadas e/ou drenadas visando facilitar o escoamento das águas, para evitar estagnação. A área das instalações industriais deve ser delimitada através de cercas que impeçam a entrada de pequenos animais, sendo que as residências, quando existentes, devem situar-se fora dessa delimitação.


É vedada a residência nas construções destinadas às instalações da Granja, como também a criação de outros animais (aves, suínos, por exemplo) na proximidade das instalações.



As dependências de beneficiamento, industrialização e envase do leite tipo A devem estar localizadas no mesmo prédio onde é feita a ordenha ou contíguas a esta, mas com completo isolamento e permitindo a condução do leite da ordenha em circuito fechado, através de tubulação o menos extensa possível.



Devem estar afastadas de outras construções para abrigo de animais.



Os equipamentos devem ser em aço inoxidável, de bom acabamento, para realização das operações de beneficiamento e envase do leite, em sistema automático de circuito fechado, constituído de refrigerador a placas para o leite proveniente da ordenha, tanque regulador de nível constante provido de tampa, bombas sanitárias, filtro-padronizador, centrífuga, pasteurizador, tanque isotérmico para leite pasteurizado e máquinas de envase.



O tipo de resfriamento do leite pasteurizado por sistema de tanque de expansão não é permitido.



O pasteurizador deve ser de placas e possuir painel de controle, termo-registrador automático, termômetros e válvula automática de desvio de fluxo, bomba positiva ou homogeneizador, sendo que a refrigeração a 4°C (quatro graus Celsius) após a pasteurização deve também ser realizada em seção de placas (IN 51/02 – MAPA).


A Granja Leiteira deve possuir ainda câmara frigorífica com capacidade de armazenamento compatível com a sua produção diária. 

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER