Não deixe Seu Cavalo Esquentar a Cabeça

Não deixe Seu Cavalo Esquentar a Cabeça
VETERINARIA
Quem não aprecia uma boa cavalgada ou uma prova de enduro equestre? Atualmente, muitos apaixonados por cavalos dão preferência por um passeio durante o dia, muitas vezes, quando o sol está no seu auge. Com o aumento desse tipo de aventura, também há o crescimento de problemas de saúde, como a insolação, também conhecida como termonose, que ocorre quando o animal é exposto ao calor excessivo ou a um trabalho intenso sob o sol.

O cavalo começa a apresentar alguns sintomas como: sudorese intensa, tremores, olhos saltam literalmente das órbitas, se "esbugalham" (desidratação). O animal também fica em estado de estupor, não sendo capaz de esforço algum, a respiração se mostra ofegante (taquipnéia), e as narinas mostram-se dilatadas e congestas (vermelhas). Algumas vezes, pode haver sangramento do nariz e pode se notar taquicardia compensatória na busca de baixar a temperatura corporal.

"Em resultado destes distúrbios todos, além de aquecimento cerebral, o cérebro perde a sua função de comando e o animal pode se comportar com violência inquietante ou com uma apatia insuportável", explica o veterinário.

Mecanismo da insolação
Aumentada pelo exercício intenso, a exposição excessiva ao sol (calor) ou permanência em ar quente e parado (efeito estufa), a temperatura do animal atinge tal elevação, que para dela se defender, o organismo animal procura pela transpiração abundante, realizar uma evaporação de superfície, destinada a provocar desperdício maciço de calor. Não sendo suficiente esta "defesa", a respiração se acelera para evaporar a maior quantidade possível de vapor d'água, junto com uma rápida circulação de sangue em busca de resfriar o organismo como um todo, provocando uma taquicardia.

O sangue espessado estagna-se em todo o organismo, apesar dos esforços do coração, e o sistema nervoso comprimido pela congestão já não regula as grandes funções nem as reações do acidentado.

Tratamento
Assim que o criador perceber que o animal possa estar sofrendo de insolação, o primeiro passo é contatar o veterinário. Enquanto aguarda a chegada do profissional, pode-se colocar o animal na sombra e proporcionar repouso e ventilação após a retirada da arriata e embocadura, depois deve-se fornecer água ao cavalo e refrescá-lo com compressas frias ou banhos leves. Em seguida, aplique duchas no ânus e narinas (externamente), pois proporciona refrescagem. Colocar regularmente panos molhados na região do pescoço, peito e também nos rins e na cabeça também ajuda a esfriar o animal.

Precauções
Segundo Guimarães, evitar a insolação não é difícil, pois basta não deixar o animal exposto demasiadamente ao sol. Para isso certifique-se que exista uma árvore ou algo que faça sombra no piquete em que o cavalo será solto durante o dia. E não exagere no trabalho em um dia de sol muito quente, porém, caso não tenha escolha, lembre-se de vez de dar um fôlego e água ao seu animal e, se possível, umedecer seu pescoço e peito.

Uma boa forma de se prevenir a insolação é evitar trabalhos intensos em dias de sol causticante, evitar áreas mal ventiladas ou de cobertura que proporcione uma concentração de calor ou temperatura elevada (telha de amianto, por exemplo). Ao transportar o animal, fazer o transporte em caminhões ou carretas próprias e ventiladas.

O veterinário explica que é bom evitar fazer provas ou cavalgadas em períodos de calor intenso. "É importante sempre fornecer água ao animal de tempos em tempos. Não deixando longos períodos sem hidratar o mesmo, pois se o animal ingerir uma quantidade de água exagerada pode dar a "barriga d'água", o que impossibilita o animal de continuar sua jornada", ensina.

"Durante o enduro ou cavalgadas deve-se banhar o animal no momento das paradas de check-up ou pontos de parada nas cavalgadas longas começando pelos cascos e ir subindo, para se evitar o choque térmico, que pode levar até a morte", explica.

Prognóstico
Na maioria dos casos, o animal se restabelece e estará pronto para novas atividades após novo exame e repouso. Ele deve se restabelecer totalmente para ser posto novamente em exercício. Infelizmente, em alguns casos o animal pode vir a falecer.
Outra dica importante é em relação ao cavaleiro que deve se submeter aos cuidados contra insolação também. "Se hidratar constantemente, evitar roupas quentes e pesadas que não proporcionem evaporação, descansar à sombra. Se tiver qualquer sinal de dor de cabeça e/ou enjoo, o cavaleiro deve procurar um médico e repousar", finaliza.

Taciano Couto Guimarães
-Medico veterinario graduado pela escola de medicina veterinaria da UFMG. - Especializacao em Plantas Medicinais e seu uso na veterinaria (pela UFLA). - Especializacao em Defesa Sanitaria Animal / Bioterrorismo na Def. San. Animal (pela UFLA). - Mestrado em Toxicologia (pela EV/UFMG) - Clinico Geral Equinos e pequenos - Perito Forense Veterinario. - Terapeuta Floral (Bach)
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER