Leucócitos Polimorfonucleares (granulócitos)

Leucócitos Polimorfonucleares (granulócitos)
FARMACIA
Os polimorfonucleares compreendem os granulócitos: neutrófilos, eosinófilos e basófilos. A medula produz em média 20 a 30 x 109 polimorfonucleares por dia. O que permite a diferenciação entre os polimorfonucleares são as granulações secundárias formadas a partir do estágio de mielócito. Sem elas, os granulócitos apresentam o mesmo padrão morfológico. As células progenitoras dos polimorfonucleares ficam no estroma da medula e, à medida que elas maturam, deixam o estroma e ganham os sinusóides. Assim, as precursoras e as células normalmente encontradas na medula e sangue periférico são sucessivamente: mieloblastos, promieloblastos, mielócitos, metamielócitos, bastonetes e polimorfonucleares (segmentado, eosinófilo, basófilo), que apresentam padrões similares de proliferação, diferenciação, maturação, armazenamento na medula óssea e liberação para o sangue periférico.

Mieloblastos →
Este termo descreve uma célula imatura típica de medula óssea, de forma arredondada, citoplasma escasso com uma basofilia discreta ou moderada, sem granulações, exceto no LMA, onde podem apresentar granulações primárias. O núcleo é arredondado ou oval com cromatina fina e reticulada. Os nucléolos geralmente estão presentes em número de até
5.

Promielócito → Tem como característica o aparecimento de uma granulação fina azurófila e inespecífica seguida de uma granulação específica mais grosseira, inclusive por sobre o núcleo. Os nucléolos são evidentes no início desta fase ficando menos proeminentes à medida que a célula se desenvolve.

Mielócito → Neste estágio é definida a característica do neutrófilo, ou seja, aparecem as granulações secundárias que vão caracterizar a célula como neutrófilo, basófilo ou eosinófilo. O núcleo é geralmente excêntrico, redondo ou ovalado, e o nucléolo não é mais visível.

Metamielócito → Nesta fase, a célula não é mais capaz de dividir-se. Os nucléolos não podem ser vistos indicando o fim da síntese de DNA. O núcleo apresenta-se ovalado com uma reentrância (chanfradura).

Bastonete (bastão) → A condensação da cromatina é intensa e o núcleo assume a forma de um bastão uniforme.

Segmentado → apresenta constrições nucleares, unidas por filamentos de cromatina, que formam dois ou mais lóbulos nucleares.

As granulações citoplasmáticas secundárias presentes nestas últimas fases de maturação dos polimorfonucleares coram-se tanto pelo azul de metileno como pela eosina. O nome de cada célula corresponde ao fato das granulações serem neutras (neutrófilos), corar pela eosina (eosinófilos) ou azul de metileno (basófilo).

Cinética e função dos polimorfonucleares (granulócitos)
Neutrófilos:
A cinética dos neutrófilos diz respeito aos processos que vão desde a sua produção pela medula óssea, até seu consumo nos tecidos. São identificados três compartimentos.

a- Medula óssea, onde se observa um equilíbrio entre Stem cell, células mitóticas e células maduras, ou seja, as células que amadurecem e abandonam este compartimento são substituídas através da divisão de outras células do compartimento;

b- Sangue periférico →Nem todos os neutrófilos que estão nos vasos estão circulando. Aqui temos dois sub-compartimentos: o circulante composto de segmentados e bastonetes (que são os neutrófilos contados quando da realização do hemograma), e o marginal formado por neutrófilos aderidos às paredes vasculares, e que entram imediatamente em circulação em função das necessidades. O exercício e a adrenalina mobilizam os neutrófilos do compartimento marginal para o compartimento circulante alterando o leucograma.

c- Tecidos, para onde os neutrófilos migram para exercerem suas funções.

Função dos neutrófilos→ Através de suas propriedades de motilidade, quimiotaxia, ação bactericida e digestão, os neutrófilos têm como principal função a fagocitose de corpos estranhos e bactérias, além de participar dos processos inflamatórios.

Destino dos neutrófilos→
Em condições normais, o tempo de maturação do mieloblasto até o segmentado é de 4 a 6 dias. No sangue periférico, os neutrófilos circulam em torno de 7 horas. Daí, ou são destruídos, ou migram para os tecidos. Uma vez nos tecidos estas células nunca voltam ao sangue. Efetuam suas funções de fagocitose e são destruídos no local ou nos gânglios pelas células reticulares.

Alteração no número de neutrófilos


Neutrofilias

• fisiológicas→exercícios físicos, estresse, gravidez, recém-nascidos
• não fisiológicas→infecções bacterianas agudas, inflamações agudas sem infecções(cirurgias, queimaduras, infartos, artrite reumatóide, vasculite), hemorragias e hemólises agudas, doenças mieloproliferativas (LMC, policitemia Vera, mielofibrose), cânceres (carcinoma, linfoma, melanoma), alterações metabólocas (uremia, acidose diabética).

Neutropenias (↓) →
processos infecciosos graves (depleção dos neutrófilos da medula óssea), infecções virais em geral, protozoárias e fúngicas, drogas, fatores nutricionais e causas imunológicas.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER