Reutilização de Dialisadores

Reutilização de Dialisadores
MEDICINA

A prática de reuso ou reutilização de dialisadores é adotada no mundo inteiro e deve ser executada corretamente para que os pacientes sofram os menores riscos possíveis. Pode ser de modo manual ou automático e o modo pelo qual é realizado define o número de vezes que esse processo poderá ocorrer (12 vezes para o reuso manual e 20 vezes no reuso automático).



Cuidados com o Dialisador
- Identificar o dialisador e as linhas com nome do paciente, data do 1º uso, HBS e HCV em caso positivo;
- Armazenamento dos sistemas em recipientes plásticos, individuais, em que constem o nome, o número de registro e o turno de cada paciente, além de marcadores para hepatite;
- Anotar em impresso próprio os dados referentes ao 1º uso, prime, CUF, e assinatura do técnico responsável pelo reuso, além de assinatura do paciente ou responsável (em cumprimento a portaria ministerial que trata dos reusos permitidos);
- Medir o prime inicial antes de utilizar o dialisador
- Preencher o sistema com cloro sempre que for desprezá-lo.



O reuso deve ser realizado pelo técnico de enfermagem devidamente experiente e treinado, com utilização de equipamentos de proteção individual (óculos, máscara de gases, avental de manga comprida, luvas de borracha, touca e bota de borracha). A sala de reuso para pacientes portadores de hepatite C deve ser separada. As características da sala de reuso são:
- Boa iluminação;
- Ventilação satisfatória;
- Temperatura média de 25°C;
- Sistema de exaustão



As soluções químicas devem ser protegidas das fontes de calor e luz.



Soluções Esterilizantes
As soluções esterilizantes utilizadas no reuso de dialisadores são:
- Formol: 3 a 4% ou a 1% quando armazenado em estufa;
- Ácido peracético: esta substância possui característica bactericida, virucida e esporicida, possui, portanto, alta eficácia no que diz respeito à esterilização do sistema. É a mais utilizada atualmente;
- Cloreto de sódio 24%: É utilizada no dialisador de pacientes alérgicos a outra substâncias. Tem ação bacteriostática,



Técnica de Reprocessamento
A técnica adotada no reprocessamento de dialisadores é a descrita a seguir:
- Utilizar água tratada (observando a pressão de 20PSI);
- Desconectar as linhas do dialisador;
- Realizar flash de água na câmara interna do dialisador para retirar o excesso de sangue;
- Deixar o dialisador em ultrafiltração reversa por 20 minutos;
- Retirar o dialisador da ultrafiltração reversa e realizar outro flash de água na câmara interna;
- Medir o volume interno das fibras;
- Verificar o valor através de cálice graduado () se o valor for abaixo de 80% do valor de prime inicial, deve-se desprezar o dialisador, caso contrário prossegue-se o reuso;
- Esterilizar o sistema com o preenchimento da solução esterilizante de escolha;
- Realçar a identificação do sistema e anotar os dados na ficha de reuso.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER