Descrição: Exposição Falada ou Escrita

PEDAGOGIA
É a exposição falada ou escrita, ato de descrever é traduzir com palavras aquilo que se viu e se observou. Na descrição o ser, o objeto ou o ambiente são mais importantes, ocupando lugar na frase o substantivo e o adjetivo. A caracterização é imprescindível, daí a forte incidência de adjetivos no texto.

É necessário observar, na descrição, a quase ausência de processos verbais finitos (indicativo ou subjuntivo) o que dá à descrição um tom de imobilidade do objeto. Também na descrição não há narrador e sim um observador.

Características da descrição:
Ausência de progressão temporal;
Presença de adjetivos e locuções adjetivas;
Predomínio de verbos de estado;
Emprego de figuras de linguagem: metáfora, prosopopeia, sinestesia, antítese etc.;
Uso de elementos sensoriais: visão, audição, olfato, paladar, tato;
Emprego de frases nominais (sem verbo).

A descrição pode ser objetiva e subjetiva:
Descrição objetiva: o observador apresenta o tema-núcleo de maneira impessoal, fazendo a representação fiel do aspecto exterior.

Na maioria das vezes, a descrição aparece misturada a outras modalidades de texto (narração ou dissertação), caracterizando uma personagem, ressaltando um pormenor, descrevendo um objeto ou um cenário.

a) Exemplo de texto descritivo:
A moça tinha ombros curvos como os de uma cerzideira. Aprendera em pequena a cerzir. Ela se realizaria muito mais se se desse ao delicado labor de restaurar fios, quem sabe se de seda. Ou de luxo: cetim bem brilhoso, um beijo de almas. Cerzideirinha mosquito. Carregar em costas de formiga um grão de açúcar. Era ela de leve como uma idiota, só que não o era. Não sabia que era infeliz. É porque ela acreditava. Em quê? Em vós, mas não é preciso acreditar em alguém ou em alguma coisa - basta acreditar. Isso lhe dava às vezes estado de graça. Nunca perdera a fé.

(Lispector, Clarice. A Hora da Estrela)

Descrição subjetiva: é aquela em que o observador apresenta o tema-núcleo de maneira pessoal, empregando a imaginação e demonstrando suas impressões pessoais.

Descrição de pessoa, de ambiente e de objeto
O objeto da produção de um texto determina o modo de organização que predomina sobre os demais. A linguagem descritiva exige vida e o relevo do tempo forte, exato, concreto. Na descrição de pessoa é importante ressaltar as características físicas e psicológicas, sendo a escolha dessas características a partir da necessidade que elas podem ser apresentadas dentro de uma história. Na descrição de um ambiente ou paisagem é necessário animação dos seres vivos e com a presença do homem, deve ser real e detalhada. Já na descrição de um objeto é importante lembrar sua cor, formas, contornos e outros detalhes.

Descrição de pessoas ou a técnica do retrato
Descrever uma pessoa não é tão simples quanto parece. São inúmeros os fatores que precisam ser levados em conta quando nos dispomos a fazê-lo. Entretanto, todo o conjunto de elementos que compõem o perfil de um ser humano pode ser dividido basicamente em dois grupos: o das características físicas e o das características psicológicas. Compreendemos por características físicas a aparência externa, isto é, tudo o que pode ser observado externamente quando analisamos alguém: a altura, o peso, a cor da pele, a idade, os cabelos, os traços do rosto, a voz e o modo de se vestir, isso tudo não é componente físico e sim externo.

Já as características psicológicas são tudo que se associa ao comportamento da pessoa, ou seja, a personalidade, o temperamento, o caráter, as preferências. Tudo aquilo que caracteriza seu modo de agir ou ser.

Sabendo levar em conta os detalhes que mais nos impressionam e mais fielmente podem fornecer um retrato da pessoa, de modo que o leitor do nosso texto possa visualizá-lo ou reconhecê-lo.

Esquema de descrição de pessoas, que tem por finalidade auxiliá-lo a organizar suas ideias – assim, ele é um ponto de partida para a sua descrição:

Sequência de descrição
Título:
Introdução: 1° parágrafo - primeira impressão ou abordagem de qualquer aspecto de caráter geral.

Desenvolvimento: 2° parágrafo – características físicas como; altura, peso, cor da pele, idade, cabelos, traços do rosto (olhos, nariz, boca), voz e vestuário.
Características psicológicas; personalidade, temperamento, caráter, preferências, inclinações, postura e objetivos.

Conclusão: 4° parágrafo – Retomada de qualquer outro aspecto de caráter geral.

Explicaremos detalhadamente a sequência. No primeiro parágrafo, ou seja, na Introdução, você deve fornecer uma ideia geral da pessoa a ser descrita. Assim, evite, nesse momento, a referência a pormenores pouco significativos. Comece sua descrição por um aspecto capaz de apresentar o ser descrito como um todo em aspecto geral.

Ao iniciar o segundo parágrafo, o desenvolvimento, você descreverá detalhadamente as características físicas da pessoa em ordem que nos pareça mais adequada.

Observaremos inicialmente o que está à altura de nossos olhos, ou seja, o rosto de alguém. Abordando as características físicas, falaríamos inicialmente da altura e do peso. Não há necessidade de especificar precisamente e sim referências vagas.

Ao se tratar de elementos como cabelos e olhos é bom ressaltar a riqueza de detalhes. Não só falar da cor, mas especificar outros aspectos além da cor. Pode-se falar do comprimento, se são ondulados, lisos ou crespos, de sua cor e do brilho, da forma como estão cortados e penteados. Na descrição dos olhos, é interessante mencionar, além da cor, seu formato e, dependendo do caso, outros detalhes complementares, como seus cílios e sobrancelhas, detalhes que contribuem para a expressividade do rosto.

Já os outros elementos que compõem os traços do rosto não precisam ser descritos com tantos detalhes.

Logo se fala da voz. Tom, entoação e volume se a pessoa fala rapidamente ou de modo mais pausado, em um tom alto ou mais baixo e se tem sotaque característico de qualquer região.

Em seguida as roupas o modo como a pessoa se veste. Devemos comentar se costuma usar roupas esportivas ou sociais, fazendo referências aos detalhes mais significativos das vestes. É possível perceber aspectos psicológicos de acordo com a forma que a pessoa está vestida, muitas vezes podemos fazer uma ideia do que a pessoa pensa ou de como se comporta. Para analisar as características psicológicas, inicia-se com a personalidade de alguém, faça comentários sobre a maneira como defende suas ideias se tem personalidade forte e crítica, ou se deixa levar pelas opiniões dos outros. Se o comportamento é passivo ou se tem vocação para liderança de algum grupo.

Quanto ao temperamento, observaremos se a pessoa é alegre, expansiva em suas emoções ou introvertida, calada, dificilmente deixa transparecer seus sentimentos e emoções. Ao caráter falar de suas qualidades ou defeitos que uma pessoa possa apresentar. Aspectos como honestidade, sinceridade, lealdade e solidariedade devem ser levados em conta.

As preferências são importantes como: músicas, artes, esportes, leituras, lazer etc. Sobre suas tendências ou inclinações, diríamos a respeito de algumas aptidões, possível de serem observadas. Algumas pessoas demonstram interesse para atividades artísticas, facilidade em comunicação, e assim por diante.

O próximo item é a postura consigo e com os outros. Observaremos como ela se vê, enquanto ser que faz parte de um grupo, e como entende que deva ser sua atuação junto à sociedade a que pertence. O que espera para o futuro e quais são suas metas e projetos. Todos esses fatores demonstram sua visão de mundo e ideologia.

Ao finalizar a conclusão, encerrar com uma afirmação de caráter geral, como na introdução.

Veja a seguir um exemplo de descrição de pessoa:
[...] o Major Saulo, de botas e esporas, corpulento, quase um obeso, de olhos verdes, misterioso, que só com o olhar mandava um boi bravo se ir de castigo, e que ria, sempre ria – riso grosso, quando irado; riso fino, quando alegre, e riso mudo, de normal.

Guimarães Rosa. Sagarana. Rio de Janeiro, José Olympio, 1976.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

ARTIGOS RELACIONADOS

;