Fatores que causam violência

Fatores que causam violência
DIREITO
Sabemos que são múltiplas as causas da violência, incluindo, de um modo bem simplista e didático, gene, cérebro, drogas, indicadores socioeconômicos e até mesmo programação televisiva. Quando falamos em televisão, bem sabemos que é ela muito útil, mas não é preciso engolir tudo o que nela se vê.

É preciso selecionar o que é facilitado por um simples apertar de botão do controle remoto, aliado à tomada de consciência do que é bom e não simplesmente prazeroso.

Com isso a televisão, apesar de ter o que presta, também tem o que não presta, como palavrões, violência, sexo, etc.

Em um canal fechado, por exemplo, a escolha é farta, propiciando excelentes programas que falam da natureza, do meio ambiente, da história, da ciência, ou seja, há um grande leque de boas opções. Esses canais não dependem do Ibope, por isso escapam do que os outros não conseguem escapar.

O Ibope está ligado aos índices de público, em canal aberto e, por isso mesmo, à venda do comercial, que não está obrigatoriamente adstrito aos bons programas.

O ser humano é naturalmente sádico, por isso a violência na televisão faz mal. No olhar, a pessoa começa a se acostumar e deixar de ficar horrorizada com a violência, que acaba tornando-se natural. Muitas das reações não são exatamente pensadas, podendo levar o indivíduo a reagir de forma semelhante ao que viu anteriormente na televisão.

O tema violência voltou a ocupar amplo espaço na mídia brasileira e internacional nos últimos tempos, seja em decorrência do aumento da violência urbana, seja por causa dos atentados terroristas contra os EUA.

Os fatores que geram a violência no Brasil, e em várias nações mundiais, são dos mais diversos modelos, havendo situações em que a violência é uma marca que vem sangrando há gerações, como o racismo, o conflito de religiões, diferentes culturas.

E há casos nos quais ela é gerada de forma pessoal, a própria pessoa constrói fatores que acabam resultando em situações violentas, como o desrespeito, o uso de drogas e a ambição.

Nos últimos anos, a sociedade brasileira entrou no grupo das sociedades mais violentas do mundo. Hoje, o país tem altíssimos índices de violência, tal como àquelas praticadas nas ruas, resultando em assaltos, sequestros, etc., a violência doméstica e a violência contra a mulher, que em geral é praticada pelo marido, namorado ou ex-companheiro.

Temos, ainda, como causa da violência, o desrespeito, a prepotência, crises de raiva causadas por fracassos e frustrações, crises mentais, como loucura consequente de anomalias patológicas que, em geral, são casos raros.


Poderíamos dizer também que uma das causas da violência seria o desemprego, a fome, viver em favelas, o crime organizado, a omissão do poder público, a pobreza, a desigualdade social, etc. Enfim, são várias as causas que contribuem para esse cenário.

A questão que precisamos descobrir é porque os índices de violência aumentaram tanto nos últimos anos. Onde estaria a raiz do problema? Como minimizar a escalada da violência? Investir na educação, gerar empregos, criar e investir em políticas públicas, selecionar, treinar, remunerar melhor os policiais ou aumentar os números de policiais?

Sabemos que o ser humano, em geral, não comete violência sem motivo. Quando um cidadão agride o outro, ou mata, normalmente o faz em função de alguma situação que considerou desrespeitosa, mesmo que a questão inicial tenha sido banal, como um simples empurrão ou até mesmo um palavrão pode se transformar em desrespeito e produzir violência.

Assim, o desrespeito pode ser causador de violência, pois acumula tensões nervosas nas pessoas que, mais tarde, explodem sob a forma de agressão. Se o desrespeito é a causa, podemos então combater a violência diminuindo os diferentes tipos de desrespeito, seja o desrespeito econômico, social, conjugal e familiar.

E, ainda, podar o excesso de liberdades, principalmente na TV e no sistema educativo do país, pois a vulgaridade praticada nos últimos anos vem destruindo valores morais e tornando as pessoas irresponsáveis, imprudentes, desrespeitadoras e inconsequentes.

Precisamos restabelecer a punição infanto-juvenil, tanto em casa quanto na escola. Isto é, educar nossos adolescentes com mais realismo e seriedade para mantê-los longe de problemas, fracassos, marginalidade e violência. Sabemos também que a educação básica é considerada, de forma quase unânime, como a principal responsável pela pobreza e desigualdade social no Brasil. Diante disso, precisamos melhorar e muito a nossa educação.

Podemos citar como causa da violência o grande número de pessoas que acabam buscando refúgio sob viadutos, nas galerias de edifícios e embaixo de marquises, sendo um caminho fácil à prática criminosa, inclusive por parte dos menores, que vivem sob essas condições.

O consumismo representa outro fator criminógeno, são os chamados estímulos publicitários da sociedade capitalista, que têm como único objetivo o lucro individual, sem que importem os meios empregados e as consequências que daí possa advir.

Temos produtos supérfluos e nocivos à saúde, sem qualquer controle por parte das autoridades públicas, como, por exemplo, a publicidade insidiosa em torno das bebidas alcoólicas e até o oferecimento nos supermercados.


Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER