Exame Físico da Genitália Masculina

Exame Físico da Genitália Masculina
ENFERMAGEM
Para realização do exame é necessária a exposição da área genital e virilha com iluminação adequada. A posição ideal para o exame é com o profissional sentado à frente do cliente. Pode-se examinar ainda com o cliente sentado ou em decúbito dorsal, porém para a pesquisa de varicocele e hérnia é necessário que o cliente esteja em pé.

Inspeção e Palpação
Região Pubiana

Inspecione a região pubiana, observando a distribuição dos pelos e pesquise na base destes se existe presença de parasitas. Observe ainda a pele e pesquise a presença de vermelhidão, escoriações, lesões, nódulos ou massas.

Pênis
Inspecione a pele, conforme descrita acima, forma e tamanho do pênis. Palpe toda e qualquer anormalidade do pênis, pesquisando hipersensibilidade, áreas de endurecimento. No prepúcio, caso se encontre presente, solicitar ao paciente que retraia o mesmo ou explicar que irá fazê-lo, expor a glande e observar a presença de secreções (lembrando que uma substância caseosa esbranquiçada pode ser observada, denominada esmegma, e pode acumular-se sob o prepúcio).

Quando observada a existência de esmegma é importante orientar o cliente com relação à higienização correta e os problemas que podem ser causados pelo acúmulo dessa substância, observar ainda lesões e sinais de inflamação.

É importante recordar que:
- Fimose:
é um prepúcio apertado que não possibilitada mobilidade de retração para exposição da glande.

- Parafimose: é um prepúcio apertado, porém que permite retração, uma vez retraído não retorna a sua posição original, propiciando um edema.

- Hipospadia: é um deslocamento congênito ventral do meato.

Na glande, pesquise a presença de nódulos, sinais de inflamação, lesões, cicatrizes. Verifique a localização do meato uretral e observe a presença de secreções. Comprima suavemente, entre o dedo polegar e indicador. O normal é a não ocorrência de secreção. Se for notada, ou o paciente referir que observou a presença e durante o exame não foi notado, peça ao paciente para ordenar o corpo do pênis da base até a glande. Se permitido, faça você mesmo e verifique se essa manobra possibilitou a saída de secreção, caso positivo, você poderá colher o material em lâmina (se houver protocolo interno para esse procedimento) e encaminhar o cliente ao médico.

Na bolsa escrotal inspecione a pele do sacro escrotal, elevando o saco escrotal para poder observar também a superfície posterior. Pesquise a presença de parasitas na base dos pelos, coloração, sinais de escoriação, contorno, edema, simetria, lesões, nódulos ou veias. Geralmente o testículo esquerdo situa-se aproximadamente um centímetro abaixo do direito. A ausência de testículos na base do escroto pode ser congênita (criptorquismo).

Palpe com delicadeza cada um dos testículos e epidídimos, utilizando o polegar na face anterior e movimente o testículo entre os dedos, pesquise tamanho, formato, consistência, nódulos, massas e hipersensibilidade. Cabe lembrar que a localização de nódulo indolor levanta a possibilidade de câncer de testículo, sendo este potencialmente curável, com maior incidência entre os 20 e 50 anos de idade.

Caso ocorra este achado o cliente deverá ser encaminhado imediatamente à consulta médica. Palpe individualmente os coroes espermáticos do epidídimo até o anel inguinal superficial e pesquise a presença de nodulações e aumentos de volume. Quando há infecções pode apresentar aspecto espessado e com pequenas nodulações. A palpação de estrutura cística sugere hidrocele de cordão.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER