Hominídeos

Hominídeos
BIOLOGIA

Os Australopitecos representaram os primeiros hominídeos. Viveram na África do sul e oriental, entre 4 a 2 milhões de anos atrás. O volume craniano do gênero Australopitecos era semelhante ao dos símios (500 cm3), porém já tinham alguns caracteres humanos como bacia larga e em forma de cesto, dentição com incisivos largos e as mãos não eram usadas para locomoção.


Os Australopithecus afarensis são os hominídeos mais conhecidos, devido a grande quantidade de fósseis encontrados. Ele viveu há cerca de 3,5 milhões de anos e seu volume craniano era em média de 430 mL, semelhante ao volume craniano de um chimpanzé. Esse grupo já apresentava postura ereta ao caminhar.

Os Australopithecus africanus tinham características muito próximas da espécie humana como crânio arredondado, tamanho e forma do cérebro e forma dos dentes. Esse grupo apresentava baixa estatura, um volume craniano em torno de 440 mL e viveu há 3 milhões de anos. Apresentavam evidências de possuírem postura ereta.

O Homo habilis (“homem hábil”) existiu a cerca de 1,8 milhão de anos. Ferramentas feitas de pedra foram encontradas pela primeira vez durante esse período. O volume do crânio desse grupo variava entre 600 a 650 mL. A habilidade do Homo habilis permitiu que manipulassem mais eficientemente as carcaças de animais, aproveitando melhor como alimento.

O Homo erectus viveu há mais ou menos 1,9 milhão de anos e a princípio viviam na região da África, mas com o sucesso da espécie espalharam-se pela Ásia. Sua postura era nitidamente ereta, daí a sua designação, revelando um significativo aumento de estatura em relação aos seus ancestrais Australopithecus. Foi o primeiro hominídeo a dominar o fogo, o que lhe permitiu reduzir a musculatura da mastigação na face, pois a carne cozida é mais macia. O fogo permitiu, também, a expansão do seu território para zonas mais frias. O Homo erectus já caçava animais de grande porte, o que denota organização em grupo.

O Homo neanderthalensis recebeu essa denominação porque foi descoberto inicialmente na região de Neander, na Alemanha. Esse grupo viveu entre 150.000 e 30.000 anos atrás. O Homo neanderthalensis espalhou-se por toda Europa, Oriente Médio e Ásia central e ocidental. Eram de constituição mais robusta que o homem atual. O volume cerebral também era maior que o do homem de hoje. O crânio tinha conformação mais maciça, face saliente e fronte baixa. Utilizavam ferramentas mais sofisticadas que as do H. erectus que lhes permitiam manipular a pele de animais, usadas como roupas pra proteger do frio. A posição anatômica da laringe desse grupo é semelhante ao do homem moderno, permitindo a emissão de sons, que leva a crer que tinham algum tipo de comunicação rudimentar. Os homens de Neandertal enterravam seus mortos, com alimentos e armas, e até com flores.

O Homo sapiens é a única espécie de hominídeos que sobreviveu até os dias atuais. Os fósseis mais antigos são datados de pouco mais de 100.000 anos atrás. Eram indivíduos de caixa craniana e rosto grande, que teriam vivido no sul e no centro da Europa, assim como no Oriente Médio.

Supõe-se que o desaparecimento do homem de Neandertal resultou do predomínio do homem de Cro-Magnon, considerado como o humano primitivo. Os primeiros fósseis de Cro-Magnon (localidade do sul da França) têm cerca de 32.000 anos, mas é provável que tenham penetrado na Europa antes dessa data. Esses homens fabricavam ferramentas muito sofisticadas e variadas, e utilizavam além das pedras, ossos e marfim. Confeccionavam projéteis, lanças, arpões, esculturas em marfim e pinturas nas paredes de cavernas.

O Homo sapiens sapiens representa a nossa espécie, o homem moderno atual. A variabilidade do Homo sapiens e o desenvolvimento de suas faculdades intelectuais são responsáveis pelo amplo sucesso da espécie. De origem tropical, o homem conseguiu superar as condições climáticas e povoar a Terra inteira.

A linha evolucionária da espécie humana, comparando as caixas cranianas. O Australopithecus afarensis, com volume craniano em torno de 430 mL, semelhante ao volume craniano de chimpanzés. O Australopithecus africanus, com volume craniano em torno de 440 mL.

Já o Homo habilis considerado o primeiro humano a criar ferramentas de pedras e provavelmente tinham comunicação pela fala. O volume do seu crânio variava entre 600 e 650 mL. E o grupo dos Homo erectus, primeiros humanos a viajar amplamente e ocupar muitos continentes. O volume craniano desse grupo variava entre 700 mL a 1200 mL.

O Homo sapiens neanderthalensis, considerado uma subespécie ou espécie que apareceu em paralelo com o homo sapiens, apresentando um crânio achatado e uma pesada crista frontal. O corpo e o tamanho do cérebro eram maiores que os do homo sapiens.

Por fim, o crânio do Homo sapiens sapiens, o ser humano moderno atual e a única espécie viva remanescente de Homo. Esse grupo tem um crânio alto, cristas orbitais ausentes e face plana. O volume cranial desse grupo é de aproximadamente 1300 mL.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de Genética e Evolução das Espécies, e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER