CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Noções de Histologia: Tecidos

Artigo por Colunista Portal - Educação - quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Tamanho do texto: A A

O tecido conjuntivo caracteriza-se por apresentar diversos tipos de células
O tecido conjuntivo caracteriza-se por apresentar diversos tipos de células
O tecido epitelial pode ser classificado em: epitélio de revestimento e epitélio glandular.

Tecido Epitelial de Revestimento: Constitui-se por células intimamente ligadas, com quantidade mínima de material intercelular. Formam uma barreira que recobre as superfícies do corpo e o revestimento dos tubos e ductos que se comunicam com a superfície, revestindo também cavidades naturais como a boca.

O tecido epitelial é uma barreira natural que impede a entrada de partículas inertes ou germes. Esse tecido é avascular, sendo nutridos por meio do processo de difusão dos nutrientes pela membrana basal, que é a conexão com o tecido conjuntivo subjacente. Portanto, para que o oxigênio e os nutrientes possam chegar às células, eles devem se difundir pela substância intercelular do tecido conjuntivo subjacente, a partir dos capilares deste
      
Tecido Epitelial Glandular: Além da função de revestimento do organismo, tem como função principal secreção. Podemos definir as principais funções do tecido epitelial como:
- Revestimento de superfícies;
- Absorção;
- Secreção;
- Sensorial.

O tecido conjuntivo caracteriza-se por apresentar diversos tipos de células, que são separadas por abundante matriz extracelular, que são sintetizadas por elas e representadas pelas fibras do conjuntivo e pela substância fundamental amorfa. Banhando este material, está presente o líquido intersticial. As principais células que compõem o tecido conjuntivo são: fibroblastos, macrófagos, células mesenquimatosas indiferenciadas, os mastócitos, plasmócitos, leucócitos e células adiposas.

O fibroblasto, principal célula do tecido conjuntivo, responsável pela produção e manutenção da matriz extracelular, sintetiza o colágeno, mucopolissacarídeos e também fibras elásticas.

Os macrófagos apresentam grande capacidade de pinocitose e fagocitose, removendo os restos celulares, bactérias e partículas inertes que penetram no organismo, podendo ser fixos ou móveis.

As células mesenquimatosas indiferenciadas são capazes de originar qualquer outra célula do tecido conjuntivo.

Os mastócitos estão situados em torno dos vasos sanguíneos e possuem três substâncias ativas em seus grânulos: a heparina (anticoagulante), a histamina e a serotonina, mediadores químicos do processo inflamatório.

Os plasmócitos são derivados de linfócitos, sendo responsáveis pela produção de anticorpos.

Os leucócitos, frequentemente encontrados no tecido conjuntivo, vindos do sangue por migração por meio dos capilares e vênulas. A sua migração é aumentada quando há processo inflamatório.

A célula adiposa ou adipócito aumenta de tamanho à medida que a gordura se acumula, tornando-se de aparência globosa. Caracteriza-se pela presença de células com a função de armazenar lipídeos (adipócitos), auxiliando na manutenção da temperatura corpórea e na formação dos coxins adiposos, apresentando distribuição diferenciada em cada sexo particularmente. Acredita-se que evoluam dos fibroblastos, sendo especializadas em armazenamento de gorduras neutras, e estão em contato com a porção profunda da derme, sendo que o seu conjunto constitui a hipoderme, e são encontradas sobre a rede de colágeno.

O material intercelular é formado por substância fundamental amorfa e fibras. As fibras são do tipo: colágenas, elásticas e reticulares, podendo existir mais de um tipo de fibras em um mesmo tecido.

O tecido conjuntivo tem uma importante capacidade de regeneração, e varia tanto na forma quanto na função. Os tecidos deste grupo desempenham as funções de sustentação, preenchimento, defesa, nutrição, transporte e reparação.

Tecido Conjuntivo Propriamente Dito
- Tecido conjuntivo frouxo:
Nesse tecido não há predominância de nenhum dos elementos constituintes e as fibras são desorganizadas, podendo ser chamado também de tecido areolar. Esse tecido apoia e nutre as células epiteliais, podendo ser encontradas na pele, nas mucosas e nas glândulas. As células comumente encontradas são os fibroblastos e os macrófagos. É um tecido de característica delicada, flexível e pouco resistente às trações, um exemplo é o tecido subcutâneo.

- Tecido conjuntivo denso: Nesse tecido há a predominância de fibras colágenas, sendo que as células mais numerosas são os fibroblastos. No tecido conjuntivo denso irregular os feixes formam uma trama tridimensional, que proporciona ao tecido resistência às trações, como por exemplo, na derme. No tecido conjuntivo denso regular, seguem uma organização fixa, em resposta a trações exercidas num mesmo sentido, como por exemplo, nos tendões musculares.

- Tecido conjuntivo de propriedades especiais: Podemos enquadrar aqui os tecidos: adiposo, elástico, reticular e mucoso.
O tecido cartilaginoso e o tecido ósseo também são classificados como tecido conjuntivo.

CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.