CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Eritrócitos

Artigo por Colunista Portal - Educação - sexta-feira, 23 de março de 2012

Tamanho do texto: A A

Os eritrócitos representa aproximadamente 45% do volume sanguíneo
Os eritrócitos representa aproximadamente 45% do volume sanguíneo
O número de eritrócitos no sangue é o grande responsável pela determinação do hematócrito, uma vez que representa aproximadamente 45% do volume sanguíneo. Vale ressaltar que estudos científicos comprovaram que o coeficiente de variação na contagem de eritrócitos é de 5,0% ou seja, em uma contagem de eritrócitos de 5 milhões, em 95% dos casos, a contagem não é exatamente 5 milhões e sim algum valor entre 4,5 e 5,5 milhões.

Um número elevado de eritrócitos consequentemente eleva o valor do hematócrito, exceto em casos de microcitose severa, que será descrita na análise do VCM. A eritrocitose é o aumento do número de eritrócitos no sangue e deve ser primeiramente analisada a pseudoeritrocitose, que nada mais é que uma eritrocitose causada não pelo aumento no número de eritrócitos e sim pela diminuição do volume plasmático, o que resulta em uma concentração maior de eritrócitos.

A pseudoeritrocitose pode ser causada por desidratação, uso de diuréticos e outros fatores que possam reduzir o volume plasmático. De uma forma geral a eritrocitose é benéfica para o organismo uma vez que gera um maior transporte de oxigênio no organismo, porém quando o hematócrito ultrapassa 55% aumenta-se a viscosidade do sangue e esta passa a ser prejudicial. As eritrocitoses acentuadas (hematócrito acima de 60% para homens e 50% para mulheres) costumam ser reais, ou seja, há um aumento patológico na produção de hemácias.

As eritrocitoses moderadas necessitam de um diagnóstico diferencial (detectar a causa, uma vez que esta pode não ser patológica). Moradores de grandes altitudes e fumantes (mais que 20 cigarros dia) têm um número maior de hemácias na corrente sanguínea, assim como em situações de estresse e obesidade (Síndrome de Pickwick). Doenças crônicas como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e Síndrome da Apneia Noturna também elevam a produção de eritrócitos.

Doenças como tumores secretantes de eritropoetina são mais graves. A mais comum é o hipernefroma, um tumor no rim e como este órgão produz eritropoetina (hormônio que estimula a produção de hemácias) há um aumento de eritrócitos proporcional ao tumor. Cardiopatias congênitas e hemoglobinopatias também elevam a produção de hemácias como forma de compensar a deficiência na oxigenação dos tecidos.

Policitemia Vera: É uma doença mieloproliferativa crônica, clonal, que acomete pessoas na faixa etária de 60-65 anos. O hemograma apresenta eritrocitose, leucocitose e plaquetose e o tratamento é por meio de sangrias. A redução no número de eritrócitos será discutida juntamente com a hemoglobina, uma vez que estão intimamente relacionadas.
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.