CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Suporte Avançado de Vida no Trauma

Artigo por Tiago Guerreiro Bueno - sexta-feira, 2 de março de 2012

Tamanho do texto: A A

Tem por objetivo identificar graves lesões e instituir medidas terapêuticas e emergenciais que controlem e restabeleçam a vida.

Consiste em:

- Preparação                                                     

-  Triagem

- Avaliação primária

- Reanimação

- Avaliação secundária

- Monitorização e reavaliação contínua

- Tratamento definitivo

Triagem

É utilizado para classificar a gravidade dos problemas. Existe um método de cores para definir:

. VERMELHO

. LARANJA

. AMARELO         Indica-se sempre do paciente/cliente mais grave para o menos grave.

. VERDE

. AZUL

* No caso com ônus de muitos acidentados e pouca equipe/profissional; dar-se a preferência aos graves com maior chance de vida, dentre estes o que menos utilizará material, tempo, equipamento e pessoal. 

Avaliação Primária

Tem por finalidade verificar o estado da vitima e suas condições físicas /emocionais/ neurológicas.

Verifica-se:

- Obstrução das vias aéreas

- Insuficiência Respiratória

- Alterações Hemodinâmicas

- Déficit Neurológico

 Usam-se os métodos das seguintes formas: A, B, C, D e E (casos sem comprometimento circulatório).

C, A, B, D e E (casos com comprometimentos circulatórios).

 Significados:

A-    Vias aéreas e proteção da coluna cervical

B-     Respiração e ventilação

C-    Circulação

D-     Incapacidade neurológica

E-    Exposição e controle da temperatura

 Letra A: Deve-se aproximar da vitima e verificar se há alguma obstrução das vias aéreas, “a melhor forma é verbalmente, quando você conversa e a vitima consegui te responder”. Em caso contrário deve fazer da seguinte maneira:

        1-     Elevação do queixo

2-     Elevação da mandíbula

3-     Elevação da testa (somente em casos sem trauma)

Existe uma forma mais segura e eficaz, que consiste em realizar a inspeção com cânulas (Guedell) (nasofaringe ou orofaringe).

Deve se atentar quanto o risco de lesão na coluna cervical, faça a devida imobilização.

 

Letra B: Manter a oxigenação adequada. Pode ser necessário de apoio:

1-  Máscara facial ou tubo endotraqueal e insuflador manual.

2 - Ventilação Mecânica

 Em caso de dificuldade considerar:

. Obstrução de via aérea – considerar cricotireoidotomia se outras opções falharem.
.
Pneumotórax: drenar rapidamente em caso de compromisso respiratório.
.
Hemotórax (ver protocolo: trauma torácico)
.
Retalho costal: imobilizar rapidamente (ver protocolo: trauma torácico)
.
Lesão diafragmática com herniação.

 

Letra C:  Avaliar:

·                   Pulso: valorizar taquicardia como sinal precoce de hipovolémia

·                   Temperatura e coloração da pele: hipotermia, sudorese e palidez.

·                   Preenchimento capilar: leito ungueal

·                   Pressão arterial: inicialmente estará normotenso

·                   Estado da consciência: agitação como sinal de hipovolémia

 

 


CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Tiago Guerreiro Bueno

Bacharelado em Enfermagem - Faculdade Anhanguera Educacional (Cursando 2º ano). Auxiliar de Enfermagem - Colégio Tableau (Concluido - Novembro 2012)  CURSO BASIC LIFE SUPPORT - BLS - (American Heart Association)  CURSO DE CURATIVOS E TRATAMENTOS DE FERIDAS  CURSO DE PRONTO SOCORRO AVANÇADO  CURSO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA  CURSO PRIMEIROS SOCORROS/ TRAUMAS