Como trabalhar cultura e diversidade em sala de aula

Envolvimento da comunidade e transformação individual
Envolvimento da comunidade e transformação individual

Educação e Pedagogia

10/12/2011

Como trabalhar a cultura e a diversidade em sala de aula, englobando geografia e/ou história? O desenvolvimento práxis pedagógica do conteúdo acima aborda várias diferenças ou pluralidades sócio-culturais. Antes devemos sintetizar o significado de cultura (na linguagem sócio-filosófica é profundamente imensa) que representa a identidade de um ser, grupo, povo, nação em todas as manifestações sócio-político-educacional.

A sua força imemorável se concretiza em fatos ou situações histórico-geográfica que movimenta ideias, costumes, postura éticas ou simplesmente a aniquilação de outro olhar cultural. Esse movimento linear transgride teorias que retoma novos significados de conceitos pré-definidos. É simples: a mulher para conquistar seu espaço na sociedade precisou remodelar conceitos machistas para pré-moldar conceitos feministas. Assim confirma sua independência social, profissional e familiar.

A mulher se tornou "O chefe da casa, da empresa, das instituições políticas, pensadora, transformadora". A diversidade cultural, social, moral, ética reflete um novo debate de construção educacional que permeia modos de pensar que prega uma pluralidade dominante e transgressora do ser humano. É normal ser relativista: "não vai dar nada não". Porque a justiça social só funciona para poucos: num país que é para todos. Será?

Diversidade não é bagunça, desordem, caos! É unificar vários pensamentos, ideais, manifestações que enriqueça e fortifique uma nação ligada com sua própria riqueza que forma: os seres humanos! A diversidade não é o esquisito, o diferente, o deslocado: é resgatar sua verdadeira raiz numa pluralidade de raças, línguas e condutas que não pode ser pré- julgadas.

Pois bem: pode-se agora demonstrar nessa rápida reflexão como funciona a cultura e a diversidade em sala de aula. Tudo começa na busca de nossa origem (modo de falar, raça, descendência, ascendência) numa globalidade de conceitos e definições que possa esclarecer as nossas diferenças e fortalecer as relações sociais e humanas.

A primeira etapa é relatar sobre lugares ou ambientes que apresente modalidades culturais fascinantes e interessantes. Podemos conectar vários temas co-relacionados: mulher (condição do ser), negra (condição da raça), pobre (condição social), independente (condição cultural), beleza (condição estética) e assim por diante...

Os alunos, então, perceberão que seus entes (mãe, irmã, prima, avó, tia...) pode passar ou sentir essas condições. Necessita, então, redirecionar uma metodologia que demonstre que podemos inverter o "peso" de ser mulher, sem perder o respeito e valor pelo gênero feminino.

É por isso que devemos aproximar a realidade dessa cultura com o significado das diversidades da própria condição humana que o ser se evidencia. Assim podemos mencionar costumes de diversas regiões em que a mulher comanda ou obedece, transforma ou foge, faminta ou farta, sozinha ou acompanhada, revolucionária ou apática: eis que a conectividade cultura/diversidade - história/geografia é somente a ponta do "iceberg" para ótimas pesquisas, teorias, conceitos, reflexões, resenhas e etc. Agora vamos abordar esse tema na perspectiva ensino-aprendizagem... Plano de Aula - CULTURA E DIVERSIDADE. JUSTIFICATIVA
Quando observamos novas tendências de atitudes nos perguntamos aonde surgiu, seus conceitos e significados e concluí-se que parte de desigualdades sociais: pensamentos que influi modos de agir, sentir e reagir na esfera cultural e diversa.

Temos então que reaprender certas definições de cultura e diversidade para perceber suas implicações e aplicações: visão ética, meio ambiente, pluralidade e saúde. Muitos ainda respeitam tabus da ignorância, do desconhecido, do preconceito e do diferente (desigual).

Então há necessidade de se expressar por meio de agressões verbais ou físicas que machucam ou humilham seus semelhantes. É por isso que as instituições éticas devem mostrar a tolerância e a compreensão da cultura da diversidade. Desenvolve-se um resgate ético de como agir perante tais situações e inspirar valores de igualdade e equilíbrio social. O canal da disseminação de tais atitudes são os meios de comunicação, principalmente estendida pela INTERNET.

Marcam-se encontros, reuniões, formam gangues e grupos de intolerância para desencadear um atropelo de violência e truculências. Está se espalhando de tal maneira que chega a ser assustador: bailes, restaurantes, clubes e principalmente nas escolas. Então está na hora da Escola e outras instituições darem uma resposta rapidamente: criar uma autonomia moral sem se deixar influenciar as atitudes bizarras e tresloucadas.

O projeto escolar deve-se manter na transmissão do respeito mútuo, justiça, solidariedade e principalmente diálogo. Esses valores têm que ser desenvolvido em todas as esferas de relacionamento social que tange no princípio da dignidade humana. O grande desafio da escola é investir contra a discriminação para interagir o aspecto humano com o aspecto moral: a escola se torna local de diálogo, de aprender a conviver, vivenciando a própria cultura e suas diversidades.

OBJETIVOS
Desenvolver nos alunos os valores morais resgatando sua história e ambiente cultural para proporcionar uma visão crítica social e repensar as atitudes sociais. Assim se tornarão participantes de solidariedade e justiça na própria comunidade. Conhecer os fatos e compreender as diversidades e culturas do seu país, região ou município. Os alunos se sentirão responsáveis como agentes transformadores do seu ambiente e de sua história.

METODOLOGIA
Os alunos serão convidados a participar em grupos para compreender que cada individualidade é enriquecida pelas opiniões e diálogos. Entender também que os meios de comunicação trabalhados serão suportes para estabelecer comparações e conclusões das observações dos fatos comunicados. A velocidade de informações são muito rápidas e, às vezes, não menos importantes pois sugere uma ampla discussão e debate. A orientação dada será perceber que o tema em questão traz muita reflexão e fundamentos de mudanças no relacionamento social escolar.

ESTRATÉGIAS
Desenvolver frases com os alunos para servir como protesto ou alerta sobre a discriminação ou desigualdade social. Realizar manifestações na escola com as frases e explicar o porquê da importância das normas e regras em outras classes. Pesquisar sobre personalidades que respeitaram o próximo, seu ambiente e seu povo. Perceber que nos textos de pesquisa notarão que a discriminação nunca envelhece. Seminários e apresentações de pesquisas utilizando os parâmetros jornalísticos. Entrevistas e reportagens com a comunidade escolar sobre as mudanças no bairro, na cidade ou região. Registrar os episódios de convivência social e elaborar gráficos que determine as situações ou fatos.

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.


Donizetti Damião Alves dos Santos

por Donizetti Damião Alves dos Santos

Sou formado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCAMP) como Bacharel em Filosofia. Leciono há 18 anos . Atualmente trabalho como professor de ensino fundamental (5º Ano - antiga 4ª Série.) numa escola integral no Município de Santa Bárbara d"Oeste. Gosto de refletir, pesquisar e elaborar temas, questões e problematizar teorias já formalizadas e dogmatizadas. Todo ser é um mistério

Portal Educação

PORTAL DA EDUCAÇÃO S/A - CNPJ: 04.670.765/0001-90 - Inscrição Estadual: 283.797.118 - Rua Sete de Setembro, 1.686 - Campo Grande - MS - CEP 79002-130