Insolação ou Intermação na veterinária

Insolação ou Intermação na veterinária
VETERINARIA
A intermação é uma condição potencialmente letal resultante de uma exposição longa ao calor, em que o individuo não consegue eliminar calor suficiente para fazer baixar a sua temperatura corpórea.

Frequentemente, esta condição ocorre rapidamente e exige tratamento intensivo imediato.

Quando desidrata e não consegue resfriar o corpo, a temperatura corpórea pode subir para níveis perigosamente elevados, causando a intermação.

Sintomas e Diagnóstico
A intermação pode ocorrer rapidamente e nem sempre é precedida por sinais de alarme como, por exemplo, cefaléia, vertigem (sensação de que tudo está rodando) ou fadiga.
A pele fica quente, hiperemiada e, comumente, seca.
A freqüência cardíaca aumenta rapidamente.
A freqüência respiratória geralmente diminui, mas a pressão arterial raramente se altera.
A temperatura corpórea, a qual deve ser medida no reto, sobe rapidamente para 40 a 41°C, causando uma sensação de “estar queimando”.
O animal pode apresentar desorientação e confusão mental, podendo rapidamente perder a consciência ou apresentar convulsões.
Quando não tratada imediatamente, a intermação pode causar lesão permanente ou morte.
Geralmente, o diagnóstico de intermação é baseado nos sintomas.
A insolação ocorre em cães expostos a uma alta temperatura ambiental e colocados sob estresse (tal como confinamento em um espaço fechado ou superexercitação).

Sinais
A hipertermia é indicada por uma temperatura retal de 41 a 43°C.
Os câes que apresentam hipertermia têm membranas mucosas congestas e taquicardia e arfam rapidamente.
A insolação pode associar-se a alterações de todos os órgãos e sistemas do corpo. Ocorre uma necrose celular generalizada, associada a uma desnaturação por calor das proteínas celulares.
Pode-se desenvolver uma hipotensão severa, e ser observados insuficiência renal e choque hipotensivo.
Os sinais mais freqüentementes observados são polipnéia, taquicardia, hiperemia e o ressecamento das membranas mucosas, vômito, diarréia, desidratação, oligúria e a protenúria.
As alterações mais profundas, tais como o choque, coagulação intravascuar disseminada e coma desenvolvem-se rapidamente.
Os cães com insolação, ofegarão excessivamente, levando a uma alcalose respiratóna. À medida que o esforço respiratário continua, desenvolve-se uma acidose metabólica.

Predisposição
As raças braquícefálicas, cães obesos e os mais idosos com doenças cardiovasculares são particularmente afetados.

Tratamento
O tratamento imediato objetiva em diminuir a temperatura do paciente, isso pode ser obtido através da imersão do animal em água fria.

Deve-se tentar produzir uma temperatura de 39°C em 30 a 60 minutos de terapia de resfriamento.

Monitorar a temperatura retal, pois a hipotermia pode se desenvolver rapidamente.

Comece um gotejamento EV de Solução de Ringer-lactato.

Se puder, determine o estado ácido-básico por meio de um estudo dos gases sangüíneos. No entanto, se isso não for possível, a administração IV de fluidos se mostra benéfica para controlar as anormardades de pH.

Insira um cateter urinário uretral e monitore a produção de urina. Deve-se ter cuidado ao se administrar fluidos quando se encontrar presente uma oligúria.

Pode-se utilizar furosemida (2 -4 mg/kg) para induzir diurese. Podem-se desenvolver evidências de nefropatia primária progressiva após a correção da elevação de temperatura aguda. Obtenha testes laboratoriais básicos, hemograma, contagem de plaquetas, uréia sangüinea, creatinina, enzimas hepáticas e um perfil da coagulação.

Após o tratamento emergencial inical, manter os animais afetados em uma sala fresca e bem ventilada; os confine de forma que não fiquem superativos. Se disponível, pode-se utilizar uma câmara de oxigênio fria (22°C) para os cães pequenos, contanto que não se desenvolva uma formação de dióxido de carbono excessiva.

Tratamento

A internação uma emergência e as medidas de salvamento da vida devem ser instituídas imediatamente.

Deve ser envolta em lençóis molhados, imersa em água e gelo.
A temperatura corpórea é controlada constantemente para se evitar um resfriamento excessivo.

Pode ser necessária a administração intravenosa de medicamentos para controlar as convulsões (diazepan na dose de 1mg/kg IV).

Após uma intermação grave, o repouso durante alguns dias é aconselhável.
A temperatura corpórea pode oscilar anormalmente durante semanas.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER