Hipocalcemia "Febre Vitular"

Hipocalcemia
VETERINARIA

A hipocalcemia, também conhecida como "Febre vitular", "Febre do leite" ou "Paresia puerperal" é uma doença metabólica que acomete bovinos, geralmente animais de alta produção leiteira. A hipocalcemia está associada a uma rápida queda dos níveis séricos de cálcio no peri-parto, acarretando em incoordenação, paresia e decúbito desses animais (Valentini, 2009). Ocorre, geralmente, no período que compreende três semanas pré- parto a três semanas pós-parto. Ela acontece porque durante a prenhez as necessidades de cálcio são relativamente baixas e no início da lactação o animal tem necessidade de grande quantidade desse mineral em função da produção do colostro (Oliveira et al., 2006).

Os principais animais acometidos são animais de alta produção de leite, tendo diversos fatores como agravantes de causa. A perda de cálcio proporcionada pela fabricação de colostro e leite está diretamente relacionada à quantidade de leite produzido, em função disto, justifica-se maior ocorrência da hipocalcemia em animais com grande potencial leiteiro (Oiveira et al., 2006). Um artifício que o sistema fisiológico do animal faz de uso é o aumento da absorção de íons cálcio no intestino. Em vacas, o número de receptores para absorção do íon cálcio declina com a idade, portanto, vacas mais velhas levam maior tempo de adaptação a este mecanismo que o intestino faz uso (Valentini, 2009).

Os principais sinais clínicos observados são: excitação, tetania e hipersensibilidade; decúbito esternal prolongado com a cabeça voltada para o flanco, estado semicomatoso e completa flacidez muscular; os sinais cardiovasculares como diminuição do pulso, das bulhas cardíacas e aumento da frequência cardíaca, perda da consciência e coma (Kolb, 1984).

O diagnóstico é feito através da observação dos sinais clínicos e do histórico do animal. O tratamento é feito com a administração de gluconato de cálcio pela via intravenosa lentamente, na dose de 1g de cálcio para cada 45 kg de peso. A prevenção se dá pela adoção de medidas profiláticas no pré-parto; parto e pós-parto (Oiveira et al., 2006).


Referências Bibliográficas

VALENTINI, Paulo V.;. Revista eletrônica nutritime, v.6, n°5, p.1088-1097 setembro/outubro. Artigo numero 99. Dietas Aniônicas para vacas no pré-parto, 2009.

KOLB, Erich, Fisiologia Veterinária. Guanabara Koogan S.A. Quarta Edição. p.421-430, 1984.

OLIVEIRA,Vania M. de ,AROEIRA Luiz Januário Magalhães; SILVA, Marcio Roberto. Comunicado Técnico 49. Embrapa Gado de leite. Primeira Impressão. Juiz de Fora – MG. Como prevenir a ”febre do leite” em vacas leiteiras, 2006  

Phelipe Magalhães Duarte
Médico Veterinário, com formação pela Universidade da Região da Campanha (URCAMP). Colaborador em projetos de pesquisa do Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF) - Fepagro - UFRGS/ Eldorado do Sul-RS. Pós-graduado em Vigilância Sanitária pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER) - Curitiba/PR. http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4350710H0
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER