Controle Integrado de Vetores e Pragas Urbanas

Controle Integrado de Vetores e Pragas Urbanas
VETERINARIA
O controle integrado de pragas visa minimizar o uso abusivo de praguicidas, incorporando ações preventivas e corretivas destinadas a impedir que as pragas ambientais possam gerar problemas significativos. Nas áreas internas e externas devem-se tomar todos os cuidados para evitar a proliferação de insetos, roedores, aves que venham a se tornar pragas. Estes cuidados podem ser efetivados por meio de medidas preventivas, isto é, o ambiente deve ser mantido em perfeitas condições higiênicas, de forma que desencoraje a aproximação desses organismos.

O controle integrado de pragas baseia-se em duas grandes linhas de ação:
• Medidas preventivas: que compreendem as boas práticas de fabricação e os trabalhos de educação e treinamento, visando evitar infestações.

• Medidas corretivas: que compreendem a implementação de barreiras físicas e armadilhas, sendo que tais medidas são complementadas pelo Controle Químico.

O controle integrado utiliza um sistema de inspeções, que são procedimentos que avaliam cada área problema em busca de dados sobre a situação:
• Tipo e grau de infestação,
• Problemas causados,
• Tipos de ambientes,
• Uso que é dado a esses ambientes, extensão física da área, etc.

As instalações são divididas por setores para facilitar a avaliação. De acordo com o risco da operação, a situação é caracterizada como mais ou menos crítica. Os procedimentos de inspeção devem ser acompanhados de ações corretivas, as quais devem incluir a tramitação das ocorrências de irregularidades, reclamações, etc. São essas inspeções ou auditorias que detectam e geram a análise e eliminação de causas potenciais de infestações ou contaminações de produtos, equipamentos e ambientes.

Assim que forem identificadas as pragas infestantes e os fatos que cercam a ocorrência pode-se fazer as recomendações. Não se trata apenas da adoção de medidas imediatas de controle, mas também a implantação de medidas preventivas, para impedir a penetração, instalação e proliferação de pragas. As condições de construção do estabelecimento exercem grande importância no sucesso do programa de controle de pragas, pois atuam por exclusão, ou seja, evitam a entrada de animais no ambiente interno.

Para reduzir as chances de entrada de roedores e demais organismos nas áreas internas das instalações devem ser eliminadas aberturas, as portas devem ser mantidas fechadas (não possuindo mais que um centímetro de abertura nas juntas), telas devem ser instaladas nas janelas e em outras aberturas, barreiras colocadas nas vias de acesso (tubulações, ralos, condutores de fios, entre outros), espaços nas paredes, pisos e forros devem ser eliminados, pois facilitam a formação de ninhos e, ainda, o armazenamento de equipamentos e materiais fora de uso deve ser evitado.
Limpeza, barreiras físicas, higiene, asseio e organização devem ser mantidos nos ambientes para um efetivo controle de pragas. O tratamento deve incluir a destinação de lixo, remoção de entulhos, uso de armadilhas, etc. pode envolver também o emprego correto e adequado de praguicidas, devidamente registrados nos órgãos de controle. O controle químico é uma ação coadjuvante às ações de higiene. O controle de aves é feito com o fechamento adequado de aberturas das instalações e a eliminação periódica de ninhos em áreas adjacentes. É obrigatório manter as instalações livres de cães, gatos ou qualquer tipo de animal.

Controle de Insetos
Baratas

Geralmente desenvolvem-se em locais quentes e úmidos, podendo viver vários dias sem se alimentar, porém nunca sem água. A simples condensação de vapor serve com fonte de água e os habitats em que são encontradas refletem a sua origem tropical. Nutrem-se de todo alimento usado pelo homem e animais domésticos, assim como resíduos biológicos como lixo e esgoto. Podem ser encontradas em qualquer lugar onde o homem guarda e prepara alimentos. As baratas contaminam ambientes e alimentos. As principais espécies são: Blatella germânica e a Periplaneta americana.

Formigas
São insetos sociais, sendo as castas formadas por rainha (fêmea fecundada), macho e operárias (fêmeas estéreis). As formigas no seu deslocamento na busca de alimentos podem contaminar ambientes, embalagens e produtos. São bastante comuns em locais que manipulam farinhas e açúcares.

Moscas
São insetos cosmopolitas, sendo encontradas milhares de espécies. A grande maioria causadora de problemas a animais ou ao homem, como é o caso da mosca dos estábulos, a mosca dos chifres, a mosca das frutas e principalmente a mosca doméstica. A preocupação do combate às moscas não reside apenas no fato de ser um inseto incômodo, mas pelo perigo de contaminação que oferece, isto porque se criam em material orgânico, como lixo e material em decomposição. A mosca é um inseto responsável pela transmissão de diversas doenças. As bactérias ficam alojadas dentro do organismo do inseto ou nos pelos que lhe recobrem o corpo.

A transmissão é mecânica, ou seja, o inseto pousa tanto em lixo, material decomposto ou alimento pronto. A imensa quantidade de bactérias tem então condições de encontrar meios para sua sobrevivência e multiplicação. São frequentes as intoxicações decorrentes de infestações destes insetos, provocando por vezes sintomas como diarreias e dores abdominais.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER