Colite

Colite
VETERINARIA
1.Colite bacteriana
É a inflamação do cólon causada por verminoses e infecções de origem bacteriana. Devido a uma deficiência na peristalse, o bolo fecal estagna no intestino e as toxinas iniciam uma agressão à mucosa intestinal levando a um processo inflamatório. A mucosa produz muco em excesso para proteger suas células, mas pode haver sangramento. O animal passa a apresentar perda de peso embora o apetite geralmente permaneça normal com raros vômitos.

A Colonoscopia com biópsia e o exame coproparasitológico somados ao histórico e à sintomatologia conduzem ao diagnóstico.

O tratamento é à base de antibiótico - metronidazol (10-20mg/kg de 12 em 12 horas) e tylosina (10-20mg/kg de 12 em 12 horas) ou enrofloxaxina.              

2.Colite fúngica
A histoplasmose (Histoplasma capsulatum) é a maior causa de colite fúngica em cães.

Acomete o intestino grosso e delgado, coloniza a lâmina própria e submucosa originando reação granulomatosa grave que dificulta a absorção de eletrólitos e líquido.

A sintomatologia é muito parecida com a de outras doenças do Intestino Grosso: diarreia mais frequente, perda de peso apetite normal e vômitos raros.

O diagnóstico pode ser feito por meio de raspado de mucosa retal, citologia ou biópsia de cólon.

O tratamento é a base de Itraconazol (5-10mg/kg de 12 em 12 horas via oral); Cetoconazol (10-15mg/kg de 12 em 12 horas via oral) por 3 meses até a remissão dos sinais.    
       
3.Colite parasitária
Tricuríase (Trichuris vulpis) - Ocorre hiperplasia da mucosa e infiltrado inflamatório eosinofílico crônico. A sintomatologia é semelhante às outras colites. O diagnóstico é feito por exame coproparasitológico.

Tratamento: Febendazol (50mg/Kg por 3 dias).     
      
Giardíase e Amebíase - Provocam lise das células epiteliais e ulceração da mucosa intestinal. O diagnóstico se faz por exame parasitológico das fezes e biópsia da mucosa do cólon.

Tratamento: Metronidazol (25-30 mg/Kg via oral de 12 em 12 horas por 5 dias).      
       
4.Colite eosinofílica
De etiologia desconhecida, pode ter relação com parasitismo ou hipersensibilidade alimentar. A sintomatologia se repete como nas outras colites.

O diagnóstico pode ser feito pelo resultado do hemograma mostrando eosinofilia e, em gatos, esplenomegalia e espessamento das alças intestinais, e biópsia das massas encontradas.

Tratamento: predinisona (cão = 1-2mg/kg por dia; gato = 2-4mg/kg ao dia).
   
Colite histiocítica ulcerativa
      
De etiologia desconhecida, acomete principalmente gatos e cães de raças predisponentes como Boxer e Buldog francês.

O diagnóstico é realizado por exame de biopsia e o tratamento se faz com Sulfasalazina.
       
Colite linfocitária plasmocitária.
          
Ocorre associada a tumores e doenças autoimunes.

Diagnóstico: Histórico do animal, colonoscopia e biópsia.

Tratamento: de acordo com o processo que está desencadeando a doença.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER