Antimicrobianos em Farmacologia Veterinária

Antimicrobianos em Farmacologia Veterinária
VETERINARIA
Os antimicrobianos são frequentemente usados na rotina do médico veterinário. São substancias usadas para combater micro-organismos e são divididas em antibióticos e quimioterápicos. Os antibióticos são substancias químicas produzidas através de microrganismos e os quimioterápicos são produzidos em laboratório.

Para escolher o antimicrobiano deve-se sempre que possível identificar o agente etiológico. Quando não for possível é importante observar o quadro clinico, localização do processo infeccioso, idade do animal. A posologia e a duração do tratamento bem como as condições do paciente devem ser cuidadosamente avaliadas para que se obtenha um bom resultado do tratamento escolhido.

Antibióticos

B-Lactâmicos (Penicilinas e Cefalosporinas)

Esses antibióticos são bactericidas. Atuam impedindo a síntese da parede celular, mas não têm qualquer efeito sobre a parede celular já formada. Devem ser usados na fase em que as bactérias estão se multiplicando.

Fazem parte desse grupo as penicilinas e as cefalospotrinas. As penicilinas podem ser consideradas pouco tóxicas, mas podem ocasionar reações alérgicas que são raras na Medicina Veterinária e comuns em seres humanos.

As penicilinas se distribuem por vários tecidos e não são biotransformadas pelo organismo. São eliminadas pelos rins. Cefalosporinas são mais caras o que muitas vezes limita seu uso na medicina veterinária. Tem mecanismo muito semelhante às penicilinas.

Aminoglicosídeos


Nesse grupo está a estreptomicina, neomicina, paramomicina, canamicina, espectinomicina, gentamicina, sisomicina, ribostamicina, entre outros. Esses antibióticos são muito usados na rotina do médico veterinário. Atuam principalmente sobre micro-organismos Gram-negativos interferindo na síntese proteica bacteriana. As proteínas são formadas com defeito. São biotransformados no organismo, ligam-se pouco às proteínas plasmáticas e são eliminados pelos rins através de filtração glomerular.

Polimixinas


São antibióticos bactericidas, atuam principalmente em Gram-negativos e interferem na seletividade da membrana plasmática bacteriana.

Bacitracina


Seu uso limita-se à aplicações tópicas.


Vancomicina


Atua sobre cocos Gram-positivos e é eliminada de forma ativa pelos rins. Ativa na luz intestinal.

Tetraciclinas


São antibióticos bacteriostáticos que atuam inibindo a síntese proteica dos organismos sensíveis, ligando-se aos ribossomos. São eficazes sobre bactérias Gram-positivas e Gram-negativas, clamídias, riquétsias e sobre alguns protozoários. A injeção intramuscular causa dor. Ligam-se ao cálcio e por isso fica contraindicada sua utilização em animais jovens e fêmeas prenhes, visto que esta droga atravessa a barreira placentária podendo provocar deformidades ósseas fetais.

Cloranfenicol e análogos


Agem inibindo a síntese proteica dos micro-organismos sensíveis. São metabolizadas no fígado e eliminadas em conjugação com o ácido glicurônico, sendo que parte dela é eliminada intacta pela urina, através de filtração glomerular.

Macrolídeos e Lincosamidas


Inibem a síntese proteica bacteriana. Podem ser eliminados de forma ativa pela bile e reabsorvidos pela circulação portal. Distúrbios gastrointestinais ocorrem na maioria dos animais que recebem estes antibióticos. Em cães e gatos as lincosamidas são pouco tóxicas, ocorrendo raramente vômitos e diarreias.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

ARTIGOS RELACIONADOS