Eu lírico, sujeito-lírico ou eu-poético

Eu lírico, sujeito-lírico ou eu-poético
PEDAGOGIA

Esse é um elemento muito importante dentre da poesia lírica. Devemos ressaltar que o mesmo recebe algumas denominações diferentes, de acordo com alguns críticos literários: eu-lírico, sujeito-lírico ou eu-poético. Sem nenhuma razão especial, apenas para mantermos uma padronização, utilizaremos aqui a denominação de eu-lírico. O eu-lírico é aquele elemento do texto poético que expõe ao leitor o sentimento que emerge do poema. Se compararmos o gênero lírico com o narrativo, o eu-lírico será equivalente ao narrador.

Vale ressaltar também que, como no gênero narrativo, não devemos confundir a pessoa real (o autor/poeta) da entidade fictícia (narrador/eu-lírico). O poeta é a pessoa real, comprometida com os fatos, com o mundo, com a lógica, com a compreensão de si mesmo, enquanto o eu-lírico não pode ser descrito porque não se compreende, não toma posição, apenas se deixa levar pela corrente da existência, não oferecendo nenhuma resistência.

Versificação

Existem várias definições para o que é verso. Manuel Bandeira, por exemplo, diz: “O verso é a unidade rítmica do poema”. Para Murilo Araújo, verso é “uma sucessão ordenada de sons verbais”. Olavo Bilac e Guimarães Passos afirmam: “Compreende-se por verso – ou metro – o ajuntamento de palavras, ou ainda, uma só palavra, com pausas obrigadas e determinado número de sílabas, que redundam em música”. Outras definições são também determinantes para o verso. Há, porém, dentre essas definições alguns dados em comum. Poderíamos, então, dizer que verso é a linha de sentido completo ou não, que compõe a unidade rítmica de um poema. O verso é composto por quatro unidades estruturais: ritmo, metro, estrofe e som.

- O ritmo é “uma sucessão alternada de sons tônicos e átonos, repetidos com intervalos regulares” (TAVARES, 2002, P. 167). O que nos dá a sensação do ritmo é a repetição dessa alternância. Em qualquer situação de linguagem, o ritmo está presente, seja na fala, na música, em verso ou em prosa. Na linguagem escrita, o ritmo só é percebido pela representação gráfica e simbólica. É na leitura desse texto escrito que emergem certos elementos orais (altura, timbre, velocidade) que dão a sensação do ritmo.

No verso, o ritmo recebe a classificação de melódico ou mecânico. Esse ritmo é conseguido pela ocorrência de vozes tônicas culminantes e de pausas alternadas. Essas pausas podem ocorrer no interior ou no final do verso. Ao estudar o ritmo no poema, deve-se considerar também o segmento melódico. Esse depende da pausa interna e da pausa no final do verso. Daí pode dividir os versos em verso simples e composto.

Os versos simples são aqueles que possuem apenas um segmento melódico (versos de até quatro sílabas poéticas) e os compostos são os que tiverem mais de um segmento melódico (mais de quatro sílabas poéticas). O ritmo é constituído por três elementos: os sons, que formam o tempo; o tempo, que é o conjunto de sons; e o verso, que é o conjunto de tempos. Ele é essencialmente emotivo e existencial e reflete a interioridade do poema.

- O metro é a medida do verso, e seu estudo chama-se “metrificação”. Para fazer a contagem dos sons do verso, utilizamos o que se denomina de “escansão”. Fazer a escansão de um verso é contar quantas sílabas métricas possui o verso.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER