A falta do hábito de leitura nos jovens

A falta do hábito de leitura nos jovens
PEDAGOGIA

É bastante visível que vivemos numa sociedade em que a prática da leitura não é valorizada como instrumento de crescimento pessoal e/ou profissional. Embora a tecnologia venha avançando e fazendo com que cresça meios de comunicação de fácil acesso e a todo tipo de conhecimento, a maioria dos jovens não sabem usufruir bem desse meio para chegar a informações que lhe são uteis.



A escola tem um papel imprescindível na formação de leitores competentes, reservando na elaboração de projetos, organização curricular um espaço especialmente para a leitura, promovendo atividades focando nessa prática. Os jovens não leem porque não são estimulados. Esse hábito deve vir, em primeiro lugar, de casa. Pais que tem o hábito de ler estimulam seus filhos, e isso passa de geração pra geração. O avanço da tecnologia contribui para que o número de leitores caia cada vez mais.



Os jovens andam muito ocupados nas redes sociais, o que os levam a interessar mais pelos bate-papos, pela internet, pelos games e vídeos disponíveis, do que pelos inúmeros materiais úteis e de grande valor que a internet possibilita. Precisamos reverter esse quadro. A prática da leitura diária em sala de aula é bom começo, porém, ela só seria de grande valia se os alunos não veem a leitura como obrigação, pois, essa palavra os traz medo e os afastam mais ainda dos livros.

Mariana Costa Cerqueira
Mariana Costa Cerqueira, 24 anos! Graduada em pedagogia, pela universidade Claretiano, na modalidade a distancia no polo de Belo Horizonte!
Seja um colunista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER