Saúde Bucal: A lesão cariosa

Saúde Bucal: A lesão cariosa
ODONTOLOGIA
A lesão cariosa é considerada atualmente como a manifestação clínica de uma infecção bacteriana. A atividade metabólica das bactérias provoca queda no pH da placa, e a saliva eleva o pH com sua capacidade tampão, resultando em um contínuo processo de desmineralização e remineralização do tecido dentário. A falta de equilíbrio nesse processo poderá causar uma progressão da desmineralização do dente, até atingir um grau irreversível. Esse processo é influenciado por muitos fatores determinantes, o que faz da cárie dentária uma doença multifatorial. Entre os principais determinantes, podemos citar a presença de microrganismos (placa bacteriana), a concentração de flúor na cavidade bucal, a frequência de ingestão de açúcar, o fluxo e a capacidade tampão da saliva. Enquanto uma visão tradicional do diagnóstico da cárie dentária considerava a doença a partir da presença de cavidade, considera-se hoje que estágios anteriores existem antes que a cavidade seja formada, e que podem ter caráter reversível a partir das ações de promoção à saúde e prevenção.

A abordagem nesse processo deve ser conservadora. O controle da doença cárie é, portanto, possível por meio da ação sobre os fatores determinantes, os quais variam entre os indivíduos e entre as diferentes realidades locais. O uso de dentifrício fluoretado e melhorias na qualidade de vida são considerados os principais fatores de diminuição da prevalência de cárie aos 12 anos de idade nas últimas décadas. A fluoretação da água de abastecimento é considerada um método seguro e eficaz na prevenção da cárie dentária, que atinge a toda a população, sem distinção. Em áreas com água fluoretada, a diferença na prevalência de cárie entre classes sociais diminui bastante.

Em regiões com baixa prevalência de cárie existem muitas lesões não cavitadas (manchas brancas), com concentração de cavidades nas superfícies oclusais e em uma minoria de pessoas (fenômeno da polarização). Em regiões com prevalência média de cárie, as superfícies proximais também são atingidas. É possível o controle de cárie na superfície oclusal, pois as lesões desenvolvem-se nas paredes laterais das fissuras, local onde há acesso para a remoção de placa e para a ação do flúor. Isso significa que não existe necessidade do uso indiscriminado de selantes. Atualmente, sabe-se que o principal modo de ação do flúor na redução de cárie é o seu efeito pós-eruptivo (tópico), que promove remineralização e inibe a desmineralização do esmalte.

A visão tradicional da doença cárie, representada pela cavidade no dente que necessita de tratamento restaurador, não garante o controle do desenvolvimento da doença, pois sem que haja ações sobre os determinantes, novas cavidades se formarão, inclusive em formas de recidivas nas restaurações. O tratamento restaurador da cárie dentária não garante um impacto nos indicadores de prevalência. O componente cariado é substituído pelo componente restaurado, mas a morbidade pela cárie dentária continuará a mesma. O impacto sobre os indicadores de prevalência é obtido a partir do uso de medidas de promoção à saúde e prevenção.
A fluorose dentária representada pela presença de manchas no esmalte (em consequência do excesso de ingestão de flúor na fase de maturação do dente, que leva a um aumento da porosidade do esmalte como resultado de sua hipomineralização). Deve sempre ser prevenida por meio de ações educativas a respeito do uso correto do dentifrício, de abordagens cautelosas em relação ao uso coletivo de flúor, e do não uso de complementos vitamínicos com flúor em locais com fluoretação da água de abastecimento. Monitoramento dos teores de flúor em alimentos, bebidas e água de abastecimento, deve ser procedimento de rotina.

Em casos de fluorose coletiva moderada ou grave, deve ser verificado também o teor de flúor natural na água. A cárie é a maior causa de perdas dentárias, e o edentulismo se apresenta como um agravo significativo nas populações adulta e idosa de nosso país, com um forte componente social, e como consequência da falta de acesso à atenção integral e apenas aos procedimentos mutiladores por parte dessas populações. Nesse sentido, tornam-se importante o avanço no acesso universal e equitário à atenção, o resgate das ações integrais de saúde bucal e a reabilitação dessa população com demanda acumulada.

Os principais fatores de risco da cárie dental
Fatores culturais e socioeconômicos: Existe um componente social na doença cárie e no edentulismo, inversamente proporcional ao aumento da qualidade de vida.
- Falta de acesso ao flúor, principalmente à escovação com dentifrício fluoretado.
- Consumo excessivo e frequente de açúcar.
- Xerostomia.
- A vigilância sobre os sinais de risco é a principal medida de prevenção da cárie dental.
- Universalização do acesso à água fluoretada.

Uso regular de dentifrício fluoretado: apesar do uso de dentifrício fluoretado ser uma ação individual, é importante que a equipe de saúde bucal realize um trabalho voltado para garantir as condições para que o usuário possa exercê-la, por meio da universalização das ações educativas e do acesso à escova e dentifrício fluoretado.

Ações a favor de dietas saudáveis
Tratamento da cárie dental;
Controle da doença e restauração do dente quando necessário;
Reabilitação da cárie dental;
Realização de procedimentos reabilitadores necessários para restabelecer a estética e a função prejudicadas pela doença. O aumento do acesso às próteses parciais e totais significa a possibilidade de restauração de função mastigatória, da estética e do aumento da qualidade de vida.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER