Hepatites Virais: Vias de Transmissão

Hepatites Virais: Vias de Transmissão
ODONTOLOGIA

As hepatites virais representam um grave problema de Saúde Pública, pois é grande o número de pessoas atingidas e não identificadas. São doenças silenciosas que provocam inflamação do fígado e nem sempre apresentam sintomas. No Brasil, é causado pelos vírus A, B, C ou D. O vírus E aparece com predominância na África e na Ásia.

A forma de transmissão varia conforme o tipo do vírus. A hepatite A é uma doença viral aguda de transmissão fecal-oral, podendo ser transmitida por contato entre indivíduos, por alimentos contaminados, pela água, por mãos mal lavadas ou suja de fezes e também por objetos que estejam contaminados pelo vírus. As pessoas que já tiveram hepatite A apresentam imunidade para a doença, mais não estão livres de contrair as outras virais.

A hepatite B é uma doença sexualmente transmissível, podendo ocorrer também a contaminação por meio do compartilhamento de seringas e agulhas contaminadas, procedimentos com materiais não esterilizados como tatuagens, colocação de piercing, manicures/pedicures, compartilhamento de utensílios e objetos de higiene contaminados com sangue (escovas de dente, lâminas de barbear), procedimentos médicos-odontológicos, acupuntura, transfusão de sangue, hemoderivados e hemodiálise sem as adequadas normas de biossegurança. Pode ocorrer também a transmissão vertical do vírus da hepatite B; de mãe para filho; durante o parto, pela exposição do recém-nascido ao sangue. Outros líquidos orgânicos, como sêmen e secreção vaginal podem ser fonte de infecção.

Não há evidências de que o aleitamento materno aumente o risco de transmissão da hepatite B da mãe para o bebê. Por isso, a amamentação não esta contraindicada em mães portadoras da doença, desde que seu filho receba a vacina e a imunoglobulina, preferencialmente, nas primeiras 12 horas de vida.

A transmissão da hepatite C ocorre principalmente pelo sangue. Indivíduos que receberam antes de 1993; quando ainda não era realizada a triagem sorológica; transfusão de sangue e/ou hemoderivados pode ter a doença. Recomenda-se que essas pessoas procurem as Unidades Básicas de Saúde para mais informações. As outras formas de transmissão para a hepatite viral do tipo C são semelhantes às da hepatite B; porém a via sexual e a vertical são menos frequentes.

Sobre a hepatite D, só apresentaram a manifestação deste tipo da doença aquelas pessoas que já estão infectadas pelo vírus da hepatite B. Sua transmissão é igual à das hepatites B e C.

No Brasil, essa doença é mais comum na Região Amazônica.
Com relação à hepatite E, sua transmissão assemelha-se à da hepatite A, é fecal-oral. Ocorre principalmente pela água e objetos contaminados, por dejetos humanos e de animais. Sua disseminação esta relacionada à infraestrutura de saneamento básico e a aspectos ligados às condições de higiene praticadas.

No Brasil é uma doença rara, sendo comumente encontrada em países da Ásia e África.
As hepatites virais podem não apresentar sinais e sintomas; porém; quando estes aparecem podem ser: Febre, vômitos, fraqueza, mal-estar, dor abdominal, enjoo/náuseas, perda de apetite, urina escura (cor de Coca-Cola), icterícia (olhos e pele amarelados), fezes esbranquiçadas.

As hepatites B, C, e D só podem ser diagnosticadas por meio de exames de sangue específicos para essas hepatites virais. Para a hepatite A, além do diagnóstico por exame laboratorial, pode-se confirmar o caso pela história da pessoa, investigando se ela entrou em contato com alguém que teve a doença, o que caracteriza vínculo epidemiológico.

Referência Bibliográfica
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais. A B C D E das hepatites virais para agentes comunitários de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Melissa Campos Borges Yamada
*Formada em Odontologia *Especialista em Endodontia *Especialista em Atenção Básica em Saúde da Família. *CURSOS APERFEIÇOAMENTO E EDUCAÇÂO CONTINUADA *Acupuntura Auricular *Cirúrgia Oral Menor *Como produzir um curso a distância (Portal Educação) * Formação de tutores para cursos on line (SENAI) em andamento
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER