Exemplos de alimentos funcionais

Exemplos de alimentos funcionais
NUTRICAO
As pessoas estão cada vez mais conscientes de que os alimentos funcionais são em grande parte responsáveis pela preservação de sua saúde, assim como a dieta equilibrada e prática de atividade física regular. Muitos indivíduos são ou deveriam ficar atentos a fim de evitar o consumo de alimentos que podem ser prejudiciais para o organismo e ao mesmo tempo para aumentar o consumo de alimentos que podem contribuir para melhorar a qualidade de vida. Por esta razão, há um crescente interesse em alimentos que podem fornecer algum benefício adicional em relação aos produtos tradicionalmente comercializados. Neste contexto surgem cada vez mais os chamados de alimentos funcionais.


No Japão, para os 80, em relação aos elevados custos de saúde e a fim de melhorar a saúde dos seus habitantes, desenvolveram a investigação sobre as funções de nutrientes e compostos bioativos de alimentos em seres humanos. Em 1991, o Japão estabeleceu o conceito de alimento funcional iniciou-se no com o programa FOSHU (Food for Spicified Health Use (alimento específico para saúde)), que visa a redução de doenças.


Um alimento funcional deve ter os seus benefícios comprovados cientificamente e conter nutrientes do alimento próprio para atender as necessidades nutricionais devem ser capazes de melhorar a saúde física ou mental ou reduzir o risco de doença, deve ser consumida como parte da dieta normal da pessoa. Estes alimentos contribuem para aumentar a expectativa de vida e promover a saúde melhorando da qualidade de vida.


Exemplos de alimentos funcionais são: azeite de oliva, tomate seco, alho, cebola, peixes, soja e grãos integrais, linhaça, leite fermentado, vinho e suco de uva integral, verduras de folhas verdes e crucíferas, entre outros.


Repolho, brócolis, couve, couve-flor, nabo, agrião, rabanete, repolho, mostarda são também conhecidos como crucíferas.
Todos os alimentos funcionais são acompanhados nas embalagens por alegações relacionadas à saúde, tais como “redução de colesterol” ou “diminui o risco de câncer". Todas essas alegações são muito populares em países como o Japão e os Estados Unidos.


À medida que vão intensificando mais as investigações científicas sobre os componentes bioativos nos alimentos e seu papel na conservação saúde e / ou redução do risco de doença irá aumentar o desenvolvimento e o consumo dos alimentos funcionais.


Alimentos funcionais podem ser divididos em duas grandes categorias. A primeira categoria é composta de alimentos funcionais que contêm naturalmente um componente que proporciona os benefícios adicionais para o consumidor, como por exemplo, o azeite de oliva, a maçã, a soja e os peixes ricos em ômega-3. A outra categoria de alimento funcional é o processado no qual o componente bioativo é adicionado ao alimento para proporcionar benefícios adicionais, como por exemplo, o iogurte adicionado de probióticos, o suco rico em prebióticos.


Tenha em mente que a ingestão dos alimentos funcionais deve ser sempre acompanhada por estilo de vida adequado. Além de uma dieta equilibrada, é preciso praticar exercícios regularmente, não fumar, evitar gordura e ingerir álcool com moderação ou não ingerir. Também tenha em mente que um alimento funcional não pode substituir o efeito de medicamentos.

Walisson Junio Martins da Silva
Mestre em Alimentos e Nutrição-Unesp. Especialista em Qualidade de Vida e Gerontologia. Graduado em Bacharelado em Bioquímica. Licenciado em Ciências Biológicas e em Química.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER