Ampuku - Massagem nos órgãos internos

Ampuku - Massagem nos órgãos internos
MEDICINA-ALTERNATIVA
Existem muitas técnicas de massagem que auxiliam em tratamentos já convencionais e também as que executam os benefícios sozinhos. Partes dessas técnicas são milenares. A massagem vem auxiliando a melhora física, de uma maneira muito genuína, há muito tempo.


Massagem é também primeiros socorros, atendimento de urgência, emergência, e também, por que não citar, o pronto atendimento.


Quem nunca, assim que viu a criança se machucar, leva a sua mão a lesão e faz movimentos circulares, esquenta a região e de brinde a frase: quando casar sara! ?


Tirando a citação, o que foi feito, nada mais é, que um pronto atendimento.


A massagem alivia a dor, a fricção esquenta o local, provocando a vaso dilatação e relaxamento muscular. Somente depois se pensa em gelo, pomadas, tinturas. Isso porque é instintivo o toque. Há quem diga que se, não gostar de tocar em pessoas, não deve escolher nenhuma profissão na área da saúde. Muita menos massoterapia.


Uma das técnicas mais antigas de massagem, e também a mais invasiva é o Ampuku.


Uma massagem abdominal, de origem japonesa, que tem a estimulação do Hara (barriga) que promove uma sensação de bem estar em muitos aspectos.


O Hara, segundo Shizuto Masunaga, criador do estilo Zen Shiatsu, reflete uma condição da saúde da pessoa. Além disso, o Hara é considerado o centro de energia vital, denominado KI (também se pode chamar de Chi). Todo fluxo de energia vital que, segundo a medicina oriental circula pelo corpo, inicia no Hara e depois é distribuída pelos meridianos. No Hara, encontramos vários órgãos internos, como o aparelho digestivo, os órgãos reprodutivos e sexuais. Em nível emocional, esses órgãos internos recebem grande parte da energia tóxica, gerada pelos bloqueios internos, que podem incidir sobre as raízes das doenças.


Por isso tantas vezes é afirmado que a cura vem de dentro para fora.


Qualquer desequilíbrio emocional persistente, atinge a saúde física. É uma máquina com muitas engrenagens. Uma , quando estagnada, interfere no funcionamento de todas as outras peças. Se você não estiver atento e deixar uma fresta na porta, o problema entra com toda vontade.


A avaliação da massagem abdominal Ampuku, tem base no diagnóstico tátil e visual. Quando encontrarmos rigidez, inchaço, rubor, calor excessivo, nas áreas ligadas aos órgãos internos, denota-se um excesso de energia.


O acúmulo de energia sempre é indicado quando há tensão local. Uma contratura muscular, por exemplo, pode ter origem de acúmulo energético. Ainda, podemos encontrar, no caso citado acima, pulsação da artéria abdominal acelerada. Essa condição pode gerar sintomas como pressão alta, gastrite e ansiedade.


Já a deficiência da energia vital pode ser classificada, quando identificarmos manifestações opostas a de excesso.
Exemplo: flacidez, frio, palidez, batimento lento da artéria abdominal. Quando deficiente, a energia se manifestará, deixando os pés e as mãos geladas, digestão lenta e etc.

Os benefícios: ajuda a estabilizar funcionamento sistema digestivo, harmonizando os sintomas, tais como a constipação, cólon irritável, gastrite, etc. Melhora as disfunções do sistema respiratório, tais como asma, falta de ar. Também é muito eficaz para dores de cabeça e enxaquecas, doenças reumáticas desconforto, dor e rigidez, stress, etc.


A intenção desse tratamento não é somente tratar a dor, mas também ajudar a pessoa na modificação dos maus hábitos e padrões comportamentais que a levaram a doença. O ato de receber o Ampuku pode propiciar a experimentação de sentimentos ligados a conflitos internos, que sobem à superfície da consciência, trazendo à tona o entendimento para mudança interna.


O trabalho no Hara sincronizará a interação do ser com o todo, deixando os órgãos livres de toxinas e tensões, permitindo que o Shiatsuterapeuta atue sobre a origem do problema.


O Ampuku é somente uma, entre tantas outras técnicas, que trabalham os meridianos energéticos. Ampuku tem poucos adeptos; e um número menor ainda de praticantes.


Isso porque para praticá-lo, é necessário um conhecimento muito especifico. E uma anamnese muito detalhada. Ainda, apesar de tanto tempo, a massagem vem solucionando problemas, mas as pessoas tem pouca confiança em técnicas pouco exploradas.


O importante, em conhecer novas curas, é que, como já foi dito, nada terá um efeito positivo, se o paciente não for parte do tratamento.


Não se deve depositar a responsabilidade de 100% do seu tratamento, no terapeuta e/ou médico que lhe atender. Faz parte da cura, querer ser curado.

Juliana Leite Gomes
Terapeuta corporal, reikiana - método Usui Shiki Ryoho - massoterapeuta com especialização em reabilitação massoterápica da coluna vertebral, credenciada pela OSCIP. possui cursos voltados para área terapêutica. Com formação em shiatsu laboral, alinhamento vertebral, Thai yoga Massage, certificada pela The Thay Healing Alliance, organização Internacional de massagem Tailandesa. Estudante de MTC.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER