Procedimendos da Quick Massage

Procedimendos da Quick Massage
FISIOTERAPIA
Domenico (2008) e Fritz (2002) recomendam os seguintes procedimentos para a realização da quick massage. Ela deve iniciar com a solicitação de três inspirações profundas ao cliente, orientando-o a fazê-las de forma lenta e controlada. Dessa forma, prepara-se o corpo para receber a massagem e promove-se um relaxamento geral.

1 - O cliente deve se sentar na cadeira e acomodar-se, de modo com que a coluna permaneça totalmente relaxada. Os membros superiores e inferiores também precisam estar bem posicionados. Se necessário, a cadeira pode ser ajustada para se adaptar às diferentes alturas de cada indivíduo. Se o cliente tiver cabelo comprido, deve ser preso ou colocado à frente, para que a região dorsal fique livre para a realização dos procedimentos. Não é necessário trocar de roupa ou despir alguma parte do corpo. Se o cliente estiver utilizando alguma roupa como jaqueta ou outra sobreposição, pede-se que seja retirada, para que haja contato mais próximo com as suas costas.

2 - Inicialmente, o terapeuta deve colocar suas mãos sobre as costas do cliente, aproximando seus antebraços com leve rotação externa de ombros e extensão de cotovelos, realizando leve pressão sobre a coluna, na região lateral dos processos espinhosos das vértebras. Deve iniciar esse movimento na região torácica superior e terminar na região lombar. O terapeuta pode utilizar a força do seu próprio corpo para realizar essa pressão. Dessa forma, poupa-se esforço do terapeuta e permite com que seu cansaço seja minimizado. Esse procedimento deve ser repetido por três vezes.

3 -
O terapeuta, sequencialmente, deve localizar a região da espinha da escápula do cliente, palpar o músculo supra espinhoso, que se encontra nessa região, e tocá-lo com o cotovelo. Dessa forma, alivia-se as tensões musculares dessa região, que frequentemente estão elevadas. Depois, o procedimento deve ser repetido no lado contralateral.

4 -
O próximo passo consiste na colocação das mãos do terapeuta na cabeça do cliente. As mãos do terapeuta devem estar com os dedos semiflexionados, formando uma cúpula, bilateralmente, e tocar a cabeça do cliente suavemente com as pontas dos dedos. Com leves toques sobre o couro cabeludo em diversos pontos da cabeça, o terapeuta alterna a pressão em diferentes regiões (frontal, parietal, temporal e occipital).

5 -
O terapeuta apoia a região hipotenar das suas mãos sobre a região lateral (temporal) da cabeça do cliente, com leves percussões, que posteriormente são direcionadas às demais regiões da cabeça.

6 -
Com a mão do terapeuta em formato de pinça com o primeiro e segundo dedos, deve tocar a região paravertebral da coluna cervical e realizar movimentos circulares. Esse procedimento deve ir desde à região cervical alta, próxima ao osso occipital, até próximo às vértebras torácicas.

7 - Com o segundo e terceiro dedos das mãos estendidos, bilateralmente, o terapeuta deve massagear circularmente a região lateral aos músculos paravertebrais da coluna cervical, na região lateral do pescoço. Também deve seguir por toda a extensão do pescoço lateralmente e com suavidade.

8 -
Com todos os dedos (exceto o polegar), bilateralmente, o terapeuta toca agora a região da base do crânio, também com suave pressão e movimentos circulares locais. Para melhor execução, o terapeuta pode se posicionar à frente do cliente.

9 -
O próximo passo consiste no toque na região lateral da coluna do cliente, a 2 cm lateralmente ao músculo paravertebral. Para isso, deve apoiar a região cárpica da mão sobre essa região citada, com movimentos circulares, com início na região torácica alta (medialmente à escápula) e término na região lombossacra. O procedimento deve ser repetido na região contralateral e realizado três vezes, bilateralmente.

10 -
Posteriormente, o terapeuta posiciona suas mãos sobre a região lombar do cliente, na altura do músculo quadrado lombar. Deve aplicar pressão bilateral e simultânea nessa região, e seguir para a região lateral, logo acima da crista ilíaca. O terapeuta realiza movimentos no sentido horizontal da coluna lombar, com início na região medial da coluna e término na região lateral. O movimento também deve ser circular e simultâneo no lado direito e esquerdo.

11 -
Com as mãos abertas e sobrepostas, o terapeuta apoia-se na região torácica alta do cliente e realiza pressão sobre os processos espinhosos locais. O mesmo procedimento é repetido três vezes em cada região, quando então é aplicado posteriormente nas regiões inferiores da coluna, até atingir a região lombossacra.

12 -
O procedimento seguinte trata-se da colocação das mãos do terapeuta abertas, com pressão do polegar sobre a musculatura paravertebral do cliente . O início se dá na região cervical, com direção a região lombossacra, onde deve terminar. Esse procedimento deve ser repetido calmamente e três vezes.

13 -
Ainda com a região do polegar, o terapeuta agora deve se concentrar na região do músculo trapézio (fibras superiores). Com pressão um pouco mais vigorosa, deve percorrer toda a extensão desse músculo, com início na região lateral e término na medial do mesmo. O procedimento deve ser repetido no lado contralateral. Importante: é comum, durante essa conduta, encontrar pontos-gatilhos (bandas tensas musculares, como mencionado no módulo II). Nessa condição, o cliente pode referir dor e/ou aumento de sensibilidade durante essa palpação. Esse procedimento também deve ser feito três vezes em cada lado.

14 -
O próximo passo deve ser realizado com uma flexão de cotovelo associada à rotação interna do ombro do cliente, de forma com que o dorso da mão do cliente toque as suas próprias costas. Depois de posicioná-lo dessa forma, localize através da palpação a região da borda medial da escápula e faça movimentos circulares em toda a sua extensão, com início na região superior, até chegar à região inferior. Nessa região também é comum a localização de pontos-gatilhos. Esse procedimento deve ser realizado três vezes em cada lado.
15 - Com toda a mão, o terapeuta deve tocar toda a região do músculo trapézio (fibras superiores), com a realização de movimentos circulares bilaterais e simultâneos. Deve repetir o procedimento dez vezes. Com as mãos nas bordas laterais das escápulas, deve realizar suave pressão bilateral nessa região, com toque em pequena região das costelas, três vezes.

16 -
Após deslizar as mãos inteiras sobre a região central da coluna do cliente, o próximo passo consiste na localização das primeiras vértebras cervicais e posicionar os polegares sobre os processos transversos de cada uma delas, individualmente. Com uma pressão firme, porém suave, deve percorrer bilateralmente cada vértebra, até atingir a última vértebra cervical. Deve retornar à primeira e repetir esse procedimento cinco vezes.

17 -
O procedimento seguinte abrange a região dos braços do cliente. O terapeuta deve se posicionar lateralmente a ele, segurando um braço com as duas mãos, uma na região anterior e outra na posterior. Deve realizar movimentos alternados de compressão e descompressão com suas mãos (enquanto uma mão comprime o braço do cliente, a outra o descomprime, e vice-versa). Esse movimento sincronizado deve atingir todo o braço do cliente, com início na região distal do braço (próximo ao cotovelo) e término na região proximal do mesmo (próximo ao ombro). Esse procedimento deve ser feito três vezes. Depois, deve ser repetido com compressão simultânea de ambas as mãos, sempre partindo da região distal para a proximal.

18 -
Com os dois polegares lado a lado, o terapeuta agora atinge a região do antebraço do cliente. Deve realizar movimento combinado de pressão com esses dois dedos sobre a região posterior do antebraço do cliente (com referência na posição anatômica), com o dorso da mão do cliente posicionado para cima, deve seguir esse procedimento com início na região distal (próximo ao punho) e término na região proximal (próximo ao cotovelo). Deve repeti-lo três vezes.

19 -
Lateralmente ao cliente, o terapeuta deve utilizar as duas mãos para realizar movimentos alternados de compressão e descompressão em todo o antebraço do cliente, também partindo da região distal para a proximal. Com repetição de três vezes também.

20 -
Agora, na região da mão, o terapeuta utiliza suas duas mãos para realizar compressão nas regiões laterais das mãos do cliente, com movimentos que afastam essas duas extremidades (região medial e lateral da mão), respeitando a curvatura anatômica natural dessa região.

21 -
Posteriormente, a mão do cliente deve ser posicionada com a palma para cima (supinação do antebraço), para que o terapeuta massageie minuciosamente essa região. Com os polegares, o terapeuta deve realizar pressão firme sobre a região dos ossos do carpo, de maneira pontual e direcionada até a região dos metacarpos. Depois, deve ir à região medial da mão do cliente, repetindo o mesmo procedimento feito na região lateral, até atingir os metacarpos. Esse procedimento deve ser repetido da mesma maneira no dorso da mão, com início na região do carpo, até chegar à cabeça dos metacarpos.

22 - O procedimento deve ser feito com as mãos do terapeutas na região do punho do cliente, com os dedos polegares na região posterior do antebraço, e os demais dedos na região anterior. Deve segurar firmemente dessa forma, afastar levemente o braço do cliente da cadeira e realizar movimentos sutis de balanceio de todo o membro superior. Trata-se de uma pequena vibração aplicada a todo o braço, que necessita de relaxamento muscular do cliente para que exerça melhores efeitos. Esse procedimento deve ser feito por três vezes.

23 - Ao terminar o procedimento em um membro superior, as mesmas etapas devem ser aplicadas ao lado contralateral (do procedimento 17 ao 22), respeitando a ordem da sequência realizada anteriormente.

24 -
As mãos do terapeuta devem se posicionar em formato de concha, e realizar suave tapotagem com mãos em concha sobre toda a extensão da coluna, desde a região torácica alta até a lombar. O procedimento deve abranger a região lateral e medial da coluna e não pode causar desconforto ao cliente. O movimento de tapotagem em concha deve ser feito de maneira alternada com as mãos do terapeuta, com certa velocidade e sem permanecer em uma região da coluna, mas sim percorrendo-a. Posteriormente, o terapeuta deve repetir esses toques vigorosos usando somente a região lateral das suas mãos, com os dedos estendidos, chamada tapotagem em corte. Esse procedimento também deve ser realizado numa velocidade aumentada e com certo vigor. Deve iniciar na região escapular direita, seguir para a esquerda e percorrer toda a região dorsal, até atingir a lombar.

25 -
A quick massage deve ser finalizada com a repetição da manobra de tapotagem, com as mãos em concha, sobre toda a coluna, e com um deslizamento superficial de toda a mão do terapeuta sobre a coluna (da região cervical à lombar) e braços do cliente.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER