Glicose no Sangue: O que a faz baixar ou aumentar?

FARMACIA
O que afeta o nível de sua glicose? Diversas coisas. Abaixo alguns itens com explicações detalhadas.

O que aumenta:
• Comida e dieta
• Estresse
• Doença
• Exercício
• Fenômeno do amanhecer
• Menstruação
• Alguns contraceptivos
• Gravidez
• Certos medicamentos


O que baixa:
• Insulina
• Medicamentos orais para diabetes
• Exercícios
• Álcool
• Menstruação
• Sexo

Cada pessoa diabética responde de maneira diferente a cada um desses itens. Através de testes, erros e acertos, saber qual o nível da sua glicose e ajustar o planejamento para sua diabetes da melhor maneira. Algumas vezes você se sentirá frustrado. Porém com o tempo você terá total controle. De qualquer forma, seu médico estará sempre presente para auxiliá-lo.

O que aumenta a glicose no sangue:
• Comida e Dieta - Seu corpo transforma os carboidratos encontrados nos alimentos, em glicose. Ao comer, a quantidade de glicose no sangue aumenta. Cada alimento tem diferentes quantidades de carboidratos, logo a quantidade de glicose adicionada no sangue deve variar. Com o tempo você será capaz de antecipar o quanto determinado alimento fará o nível da glicose aumentar, e reagirá de acordo. Se você estiver fazendo uma dieta de baixa caloria, lembre-se: você tem que ficar atenta/o ao que estiver comendo para que sua glicemia não dê um pulo. Alguns alimentos “low-fat”e “no-fat”, contém formas modificadas de carboidrato usados como agentes de emulsão ou de volume que podem elevar o açúcar no sangue. Pergunte ao seu médico ou nutricionista com quais ingredientes você deve ficar mais atento.


• Estresse - O estresse produz hormônios que fazem o nível de glicose subir como um foguete. Quando você segue direito as recomendações do médico e assim mesmo o nível da glicose está alta, pode ter quase certeza que a causa é o estresse.


• Doença - A doença sempre eleva a glicose no sangue, porque o fígado solta glicose extra em resposta à doença, e o corpo também solta hormônios que agem contra os efeitos da insulina. E há ainda remédios, cujos ingredientes são responsáveis pelo nível elevado da glicose (e pressão sanguínea).


• Exercícios - Se você tem diabetes tipo1, e seu corpo não tem insulina suficiente, o exercício poderá elevar o nível do açúcar no sangue. De um exercício moderado para um vigoroso, os nervos mandam sinal para o fígado para que ele libere glicose armazenada. Se você não tem insulina suficiente para enfrentar o açúcar extra em seu sangue, pode resultar em acidose. Por isso é importante medir a glicose antes e após exercitar-se.


• Fenômeno do Amanhecer - Toda manhã bem cedo, o corpo libera hormônios que fazem com que você acorde e dizem a seu fígado para liberar glicose estocada que lhe dará energia para começar o dia. Esses hormônios impedem que o corpo fique sensível à ação da insulina. O resultado é que o nível da glicose aumenta entre 4 e 8 horas da manhã, uma reação conhecida como o fenômeno do amanhecer. Se o nível da sua glicose estiver alta todas as manhãs, converse com seu médico. Talvez você tenha que modificar a dose ou tipo de insulina antes de dormir. Pode ser que tenha que levantar às 3 horas da manhã e tomar insulina. Ou você necessita comer menos no café ou melhorar a dose de insulina que você toma pela manhã.


• Menstruação - Em algumas mulheres, o ciclo muda os níveis no sangue de estrógeno e progesterona, o que influi no nível da glicose durante o período de menstruação. Uma avaliação feita em 400 mulheres mostrou que 70% aproximadamente tinham dificuldades em controlar o nível da glicose no sangue em menos de uma semana antes da menstruação. Dependendo da reação de cada uma, muitas vezes o nível de glicose pode subir muito alto ou cair muito baixo.
O que você pode fazer se os níveis de sua glicose ficar muito alto antes da menstruação:
1. Exercite-se um pouco mais para ajudar a baixar o nível de glicose.
2. Tente evitar porções extras de carboidratos.
3. Se você usa insulina, converse com seu médico sobre aumentar gradualmente a dose.
4. Consulte seu médico.

Anticoncepcionais - Comprimidos para controle da gravidez e o DIU alteram a concentração do hormônio no sangue. E isso pode alterar o nível de glicose. Em algumas mulheres estes artifícios podem aumentar a resistência à insulina. De qualquer forma sempre consulte seu médico para saber qual pílula tomar, para que não prejudique o nível de glicose no sangue.


Gravidez -
Mulheres que usam insulina muitas vezes têm que aumentar as doses durante a gravidez para manter um controle rígido de sua glicose. Algumas mulheres têm que aumentar bastante a dose de insulina principalmente no último trimestre devido a liberação de hormônios que criam resistência da insulina. Este aumento da resistência da insulina é normal. Você e o seu médico decidirão como mudar a programação e dose de sua insulina. Após o parto, os níveis de sua glicose no sangue devem oscilar por causa dos hormônios e toda uma química que ainda estão em curso no seu corpo. Se você achar difícil controlar o nível de glicose no sangue, converse com seu médico.


Certos medicamentos - Certas drogas receitadas ou não podem aumentar o nível de glicose. Por isso, é importante sempre consultar o médico endocrinologista antes de tomar qualquer medicamento.


O que abaixa a glicose no sangue:
Insulina -
Quando os não diabéticos fazem a digestão, o nível da glicose sobe, o que desencadeia a liberação de insulina no sangue, pelo pâncreas. Esta insulina permite às células usarem glicose. Como as células usam a glicose, os níveis de glicose no sangue baixam. Nas pessoas diabéticas, a insulina injetável tem o mesmo procedimento – ela permite às células metabolizarem a glicose, e assim que elas o fazem, o nível da glicose no sangue baixa.
Medicamentos Orais - O propósito de todos medicamentos orais para diabetes, é reduzir os níveis de glicose. Eles agem por mecanismos diferentes. Eles baixam os níveis de glicose em diferentes quantidades e seus efeitos colaterais também são diferentes. Mas todos baixam a Glicemia - Consulte sempre seu médico para saber qual medicamento ou combinação de medicamentos que é melhor para você.


Exercício - Não se acha a glicose somente no sangue, mas também no fígado e nos músculos., onde ela é estocada numa corrente de carboidrato conhecida como “glycogen”. Quando você se exercita, seus músculos usam o “glycogen” como energia. Quando essas reservas começam a secar, seus músculos usam a glicose do sangue, causando a queda da glicose. O exercício permite com que os músculos e outros tecidos fiquem mais sensíveis à insulina, logo você necessitará menos desse hormônio para diminuir a glicose no sangue. Pratica-se exercícios regularmente, você poderá comer um pouco mais, ou injetar menos insulina, ou ainda reduzir a dose de medicamentos orais. E, melhorando a fluência do sangue, o exercício permitirá absorção da insulina com maior rapidez. Mas fique atento: Após o término do exercício, seu corpo reabastece os músculos e o fígado com o “glycogen” perdido. Isso pode ocasionar baixa no nível de glicose, mesmo horas depois. É uma boa ideia monitorar o nível de glicose no sangue por algumas horas depois do término do exercício.


Álcool - O álcool baixa o nível de glicose. Normalmente, quando o nível de glicose baixa muito, o fígado transforma o “glycogen” armazenado em glicose. Mas o álcool interfere neste processo, e pode baixar bastante e rapidamente os níveis de glicose. Pode-se tomar bebida alcoólica moderadamente (no máximo 2 drinks ao dia) mas se você costuma beber mais, procure monitorar frequentemente sua glicose, para não sofrer hipoglicemia.


Bibliografia:
Copyright by Diabete.com. br - Diabete 1998 - 2000 - Diretos Reservados
Qualquer problema ou dúvida relacionado com o site webmaster@diabete.com.br

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

;