Carcinoma de Pulmão

Carcinoma de Pulmão
FARMACIA
O câncer de pulmão persiste como a principal causa de morte em virtude às neoplasias no mundo moderno, apresentando um aumento por ano de 2% na sua incidência mundial. Os pulmões podem ser sede de um grande e variado número e tipos de tumores, primários e metastáticos. O carcinoma broncogênico representa mais de 90% de todos os tumores pulmonares, sendo, na atualidade, a principal causa de morte por neoplasia no homem em todo o mundo. O CA pulmonar é uma neoplasia primária com origem nas vias aéreas, associada ao uso de produtos do tabaco, particularmente cigarros. Os tumores pulmonares geralmente são de um dentre quatro tipos principais: células escamosas (epidermoide, o tipo mais comum), adenocarcinoma, carcinoma de grandes células e carcinoma de pequenas células.

O CA de pulmão ocorre geralmente a partir dos 45 anos de idade, com maior incidência entre 70 e 75 anos. Epidemiologicamente, a redução do tabagismo está associada à diminuição da incidência do câncer de pulmão, embora existam dados para supor que deva existir predisposição genética individual para a manifestação da neoplasia em uma minoria dos fumantes, sendo a neoplasia incomum em não-fumantes. Exposições ocupacionais também aumentam a incidência do CA de pulmão, como ao urânio (mineiros), haloéters, gases arsenicais, óleo isopropílico, níquel, óxido de ferro, berílio e gás radiônio.

A inflamação pulmonar crônica (fibrose intersticial) e áreas cicatriciais estão associadas ao adenocarcinoma. A grande maioria dos pacientes com câncer de pulmão apresenta doença avançada no momento do diagnóstico e morre no período de um ano após a sua detecção. O tipo celular e o estágio da doença são fatores importantes no prognóstico, mas medidas profiláticas são imprescindíveis, como o abandono do tabagismo. O risco de câncer de pulmão e tabagismo é dose-dependente, e mesmo a diminuição no número de cigarros fumados diminui o risco. A inalação passiva da fumaça de cigarros também parece ser um fator de risco de câncer de pulmão. A maioria dos pacientes com câncer de pulmão apresenta sintomas que os fazem buscar atendimento médico, como tosse, hemoptise e/ou emagrecimento.

A lesão primária pode causar tosse, dispneia, hemoptise, expectoração, sibilos, perda ponderal, febre e pneumonia, podendo haver manifestações devido à extensão local do tumor, com dor torácica, rouquidão, síndrome da veia cava superior, síndrome de Pancoast, síndrome de Claude-Bernard-Horner, disfagia, derrame pericárdico, derrame pleural ou paralisia diafragmática. O CA epidermoide quase sempre ocorre na região central, com tendência a invadir localmente, havendo sintomas como tosse, dispneia, hemoptise. O adenocarcinoma geralmente ocorre na periferia do pulmão, é mais agressivo que o anterior e causa invasão de linfonodos ou metástases a distância, como pleura, sistema nervoso central ou adrenais.

Um tipo especial de adenocarcinoma é o carcinoma bronquioloalveolar, que geralmente se manifesta como nódulo pulmonar solitário. O carcinoma de grandes células se manifesta como uma massa periférica relativamente grande, enquanto o carcinoma de pequenas células aparece na região central do pulmão, sendo que mais de 70% dos pacientes apresentam manifestações extrapulmonares no momento do diagnóstico, pela capacidade do tumor de metastatizar precocemente para linfonodos regionais, coração e outros órgãos. Geralmente o CA de pequenas células torna-se sintomático em três meses após seu surgimento, enquanto no CA epidermoide os sintomas ocorrem após mais de oito meses de crescimento tumoral.

Muitas vezes um tumor pulmonar pode manifestar-se apenas por meio de uma síndrome paraneoplásica (presente em 15 a 20% dos pacientes), sendo que a osteoartropatia hipertrófica ocorre em quase um terço dos pacientes, sendo rara no tipo de pequenas células. Cerca de 10% dos CA epidermoides secretam produtos hormonais, causando hipercalcemia, hiperfosfatemia ou síndrome de secreção inapropriada do hormônio antidiurético. O CA de pequenas células causa, com maior frequência, manifestações endócrinas, como síndrome de Cushing, hiperpigmentação ou diabetes, diarreia e colelitíase. Ginecomastia pode estar associada ao CA de grandes células, hiperpigmentação das regiões palmares e plantares no CA epidermoide e acantose nigricans no adenocarcinoma.

Independente do tipo celular ou subcelular, o tabagismo é o principal fator de risco do câncer pulmonar, sendo responsável por 90% dos casos. A mais importante e eficaz prevenção do câncer de pulmão é o combate ao tabagismo. Tal ação permite a redução da incidência e mortalidade.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER