Características que Permitem a Classificação da Pele

Características que Permitem a Classificação da Pele
ESTETICA

Coloração/pigmentação
A pigmentação da pele é uma mistura de fatores genéticos (melanina produzida pelo organismo) e ambientais (exposição solar). No Brasil, por conta da miscigenação, a classificação de Fitzpatrick (Fototipo I, II, III, IV, V e VI), apesar de didática, é inadequada.

Há uma variedade muito intensa de colorações de pele, com diferentes capacidades de bronzeamento, o que foge a essa classificação. As melanoses solares (hiperpigmentações) assim como hiperpigmentações pós-inflamatórias (HPI) como nas sequelas de acne são mais comuns quanto mais escuros o tom da pele.

Sabe-se também que por diferenças de quantidade de melanina produzida nos diferentes tons de pele, têm diferentes proteções quanto aos raios ultravioletas (UV) do sol, chegando-se a observar inclusive um envelhecimento mais precoce de peles mais claras. Atribui-se este fato também ao menor teor de produção de lipídeos pelas peles mais claras.

Classificação Baseada na Cor da Pele e na Reação a Exposição Solar.

No ano de 1975, um médico americano chamado Dr. Thomas B. Fitzpatrick , da Escola de Medicina de Harvard, criou uma classificação para os tipos de pele, baseada na cor da pele e na reação a exposição solar.

Classificação baseada no grau de lubrificação e hidratação

A pele também pode ser classificada em função de suas características principais (grau de lubrificação, textura e hidratação).  O sebo produzido pela pele, misturado à água e proteínas da epiderme, resulta em uma emulsão natural denominada Fator Natural de Hidratação (NMF). O NMF é responsável por parte da hidratação da pele, pois evita a evaporação de água. 


O teor de lubrificação é dado pela quantidade de glândulas sebáceas presentes na área e pelo sebo produzido. Em alguns locais a intensidade de produção deste sebo é maior, como face e região dorsal. Já a hidratação da pele é dada pela capacidade que essa tem de manter a água em sua estrutura, seja por ingestão de líquidos, seja por troca com o meio ambiente.

Dessa forma, podemos verificar diferentes comportamentos para uma mesma pele dependendo do clima onde se encontra. Em climas mais úmidos a hidratação está favorecida pelo meio. A redução da hidratação cutânea ocorre pela evaporação da água presente no estrato córneo da epiderme. A reposição desta perda deve ser compensada por meio endógeno (ingesta de líquidos) ou meios exógenos (cosméticos).

Tipos de pele
Existem basicamente cinco tipos de pele segundo a lubrificação, são elas:

- Pele eudérmica ou pele normal;
- Pele lipídica ou pele oleosa;
- Pele alípica ou pele seca;
 - Pele mista;
- Pele sensível.

 


Pele eudérmica ou "normal"
Possui uma textura lisa e suave, flexível. Os orifícios pilos sebáceos são pouco visíveis, e as secreções sebáceas e sudoríparas estão em equilíbrio. Caracteristicamente, assemelha-se à pele infantil.
Cuidados: Não estimular as secreções, manter a hidratação e a normalidade da pele.
Orientações: proteção diária contra agentes externos: sol, frio e poluição.
Influências: idade, saúde e hábitos.

Pele lipídica ou "oleosa"

A pele lipídica (com muita produção de lípideos) conhecida popularmente como pele oleosa apresenta um aspecto untuoso e brilhante devido ao aumento das secreções sebáceas e sudoríparas.
Sua espessura está aumentada e a textura é granulosa. Os orifícios pilos sebáceos estão aumentados e há tendência ao tamponamento folicular (formação de comedões).
Cuidados: controlar as quantidades sebáceas, controlar os orifícios e eliminar o aspecto oleoso.
Orientações: controlar o fluxo de oleosidade e higiene adequada.
Influências: desequilíbrio endócrino, perturbações hepáticas, puberdade e menopausa.

Pele alíptica ou seca
A pele alípica (sem lipídeos) é muito fina e seca à custa de produção sebácea insuficiente. O conteúdo aquoso pode estar normal. Em geral apresenta telangiectasias e tendência à rosácea (rosaceiformes).
Cuidados: devolver maciez e elasticidade com medidas preventivas e protetoras.
Orientações: reforçar o fator de hidratante natural.
Influências: sol, vento e frio; loções alcoólicas, higienização inadequada e distúrbios hepáticos e glandulares.

Pele mista ou combinada
Este tipo de pele é uma variação da pele oleosa. Caracteriza-se pela associação de áreas seborreicas com áreas de pele seca ou normal. Na zona T da face (nariz, queixo, e testa), predominam as áreas seborreicas, enquanto o restante da face normalmente apresenta pele seca ou normal.
Cuidados: diferenciação no tratamento cosmético.
Orientações: controlar a oleosidade na região central e proteção contra os agentes externos.
Influências: tratamento cutâneo inadequado, problemas glandulares, digestivos e nutritivos.

Pele sensível
Além dos aspectos da pele lipídica, soma-se a tendência ao eritema ativo ou passivo por agressões climáticas, cosméticos ou agentes naturais como, por exemplo, a água.
Cuidados: controlar a quantidade sebácea identificando os agentes agressores e procurando evitá-los. Desenvolver a resistência da pele.
Orientações: controlar o fluxo de oleosidade, higiene adequada e preocupações constantes com os agentes agressores.
Influências: desequilíbrio endócrino, perturbações hepáticas, puberdade, menopausa, limpeza forçada e o emocional.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER