Refrigeradores ou Geladeiras

Refrigeradores ou Geladeiras
ENFERMAGEM

São equipamentos de uso doméstico que na Rede de Frio são destinados à estocagem de imunobiológicos em temperaturas positivas a +2ºC, devendo para isto estar regulados para funcionar nesta faixa de temperatura. A vacina pode, em algum momento, estar em uma temperatura entre +2° e +8°C sem sofrer perda de potência (em armazenamento).

Geladeira Doméstica
As geladeiras, com capacidade a partir de 280 litros, utilizadas pelo Programa Nacional de Imunizações, devem ser organizadas de acordo com as seguintes recomendações:

- No evaporador (congelador) colocar gelo reciclável (gelox ou bobinas com água) na posição vertical. Essa norma contribui para a elevação lenta da temperatura, oferecendo proteção aos imunobiológicos na falta de energia elétrica ou defeito do equipamento;

- Na primeira prateleira devem ser colocadas as vacinas que podem ser submetidas à temperatura negativa (contra poliomielite, sarampo, febre amarela, rubéola, tríplice viral) dispostas em bandejas perfuradas para permitir a circulação de ar;

- Na segunda prateleira devem ser colocadas as vacinas que não podem ser submetidas à temperatura negativa (dT, DTP, Hepatite B, Hib, influenza, TT e BCG), também em bandejas perfuradas ou nas próprias embalagens do laboratório produtor;

- Na segunda prateleira, no centro, colocar termômetro de máxima e mínima na posição vertical, em pé;

- Na terceira prateleira podem-se colocar os diluentes, soros ou caixas com as vacinas conservadas entre +2ºC e +8ºC, tendo o cuidado de permitir a circulação do ar entre as mesmas, e entre as paredes da geladeira;

- Retirar todas as gavetas plásticas e suportes que existam na parte interna da porta, e no lugar da gaveta grande;

- Preencher toda parte inferior exclusivamente com 12 garrafas de água com corante, que contribuem para a lenta elevação da temperatura interna da geladeira. Essa providência é de vital importância para manter a temperatura da geladeira entre +2°C e +8°C quando ocorrer falta de energia ou defeito no equipamento. A porta do evaporador (congelador) e a bandeja coletora sob este deverão ser mantidas. Não devem ser usadas bobinas de gelo reciclável como substitutas das garrafas;

- A geladeira que não possuir o quantitativo de 12 garrafas de água deverá ser abastecida com o número necessário, colocando-se duas unidades por dia até atingir o número recomendado (12), evitando-se, dessa forma, modificação abrupta de temperatura no interior da geladeira, levando as vacinas a choque térmico.

As unidades de saúde que dispuserem de geladeira para outro fim poderão utilizá-la para refrigerar a água que será usada para abastecer as 12 garrafas e em seguida colocá-las na geladeira da vacina de uma só vez.

Essas garrafas devem ser tampadas para que a água não evapore, pois a evaporação acelera a formação de gelo no evaporador.



São cuidados básicos que devem ser realizados com a geladeira:

- Fazer a leitura da temperatura, diariamente, no início da jornada de trabalho e no final do dia e anotar no formulário de controle diário de temperatura;

- Manter afixado na porta aviso para que esta não seja aberta fora do horário de retirada e/ou guarda das vacinas;

- Usar tomada exclusiva para cada geladeira, se houver mais de uma;

- Instalá-la em local arejado, distante de fonte de calor, sem incidência de luz solar direta, em ambiente climatizado, bem nivelado e afastado 20 cm da parede;

- Colocar na base da geladeira suporte com rodas;

- Não permitir armazenar outros materiais (laboratório odontológico, alimentos, bebidas, etc.);

- Não armazenar absolutamente nada na porta;

- Certificar-se de que a porta está vedando adequadamente;

- Fazer o degelo a cada 15 dias ou quando a camada de gelo for superior a 0,5 cm;

- Não colocar qualquer elemento na geladeira que dificulte a circulação de ar.

Para manter as condições ideais de conservação dos imunobiológicos, proceder à limpeza dos equipamentos a cada 15 ou 30 dias ou quando a camada de gelo atingir 0,5 centímetros. Recomenda-se:

- Transferir os imunobiológicos para outra geladeira se houver, ou para uma caixa térmica com bobinas de gelo reutilizável, previamente organizada com as bobinas e após a estabilização da temperatura recomendada (+2ºC a +8ºC) e vedar as caixas com fita adesiva larga;

- Não mexer no termostato;- Desligar a tomada e abrir a porta ou tampa, inclusive do congelador, até que todo o gelo aderido se desprenda; não usar faca ou outro objeto pontiagudo para a remoção mais rápida do gelo, pois esse procedimento pode danificar os tubos de refrigeração;

- Limpar, interna e externamente, com um pano umedecido em solução de água com sabão neutro, ou sabão de coco, por exemplo. Não jogar água no interior do equipamento. Após a limpeza verificar as seguintes recomendações:

- Ligar o refrigerador;- Recolocar o termômetro, as garrafas e as bobinas de gelo reutilizável e fechar a porta;

- Manter a porta fechada pelo tempo necessário até alcançar a temperatura recomendada.- Após a estabilização da temperatura, reorganizar os imunobiológicos.

- Não fazer o degelo e a limpeza às sextas-feiras e vésperas de feriados prolongados e/ou final de jornada de trabalho.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER