Reconhecendo o papel da enfermagem na saúde mental

Reconhecendo o papel da enfermagem na saúde mental
ENFERMAGEM

O primeiro contato com a saúde mental pode ser na maioria das vezes estressante. Tudo é secundário, o principal personagem é o paciente. Para quem nunca teve nenhum contato com a área de saúde mental, a falta de procedimentos invasivos parecem sem sentido, mas os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) configuram-se como um espaço para interações entre a equipe multiprofissional, com confluência de saberes.


A realidade é que o CAPS deve ser um local no quais profissionais treinados de diversas áreas proveem assistência diferenciada e humanizada. A comunicação mostra-se como extraordinário instrumento de alicerce das relações entre profissionais e pacientes. O interesse em manter uma equipe interdisciplinar é de garantir cuidado otimizado ao paciente.



Conhecer as pessoas que fazem parte da equipe é importante para definir papéis, responsabilidades e ganhar com esta experiência e alcançar o mesmo objetivo nas tomadas de decisões. A razão do trabalho da enfermagem nesse novo modelo é o cuidado terapêutico, vislumbrando uma assistência segura, integral e de qualidade. Espera-se que o profissional de enfermagem em saúde mental seja empático, autêntico, criativo e com capacidade de inovar nas práticas do cuidar.



O objetivo da enfermagem nos centros de atenção psicossocial deve ser a promoção de ações terapêuticas voltadas para identificar e auxiliar na recuperação do paciente em sofrimento psíquico, visando à reabilitação de suas capacidades físicas e mentais, respeitando suas limitações e os seus direitos de cidadania.



A enfermagem tem que se permitir uma nova proposta, o paciente em sofrimento psíquico apresenta-se ansioso, inseguro de seu destino, desconfortável emocionalmente e com uma vivência na maioria das vezes permeada de solidão e desamparo, acompanhado por tratamentos invasivos, agressivos e até mesmo dolorosos. O profissional deve estar aberto e disponível a essas situações novas, exigindo a criação de um novo modo de agir e pensar.

Pollyanna Patricia Rezende Ribeiro
Pollyanna P. R. Ribeiro Enfermeira e Obstetriz (2004) e Especialista em Terapia Intensiva (2007) pela Universidade Católica de Santos . Atualmente coordenadora de enfermagem UTI- UNIMED Guarulhos e enfermeira do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS -Bom Clima) pela Prefeitura Municipal de Guarulhos. Graduanda do Curso de Odontologia- UNG. Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER