Controle de Pragas e Doenças

Controle de Pragas e Doenças
BIOLOGIA
De maneira geral as plantas podem ser acometidas por pragas e doenças, mesmo aquelas que recebem cultivo e cuidados adequados, pois podem aparecer de uma hora para outra, especialmente nos períodos de chuvas ou elevada umidade.

No entanto, precisamos saber diferenciar os ataques causados pelas pragas ou pelas doenças para melhor combatê-los. Os ataques causados por pragas são de origem animal (pulgões, lagartas, cochonilhas e outros), enquanto que as doenças podem ser causadas por fungos, bactérias ou vírus.

Nos dois tipos de ataque as plantas sofrem prejuízos no seu desenvolvimento podendo afetar as folhas, os frutos, as raízes ou causar a morte da mesma.

É importante inspecionar as plantas do jardim periodicamente, com o intuito de adotar medidas preventivas no combate de pragas e doenças ou de fazer uso de receitas caseiras que eliminem os possíveis danos as plantas.

Identificando Algumas Pragas e Doenças de Jardim
Pragas
Pulgões – são animais pequenos, porém multiplicam-se com rapidez. Apresentam variação na sua coloração podendo ser verde, preto, marrom, branco ou amarelo. Eles se instalam nas folhas, brotos e caules, sugando a seiva e deixando as folhas amareladas e enrugadas. Podem transmitir doenças e debilitar excessivamente a planta se encontrado em grande quantidade na mesma.

Pode ser combatidos com o uso de macerado de alho; água com sabão; cinza de madeira, calda de fumo; infusão de folhas de tomate e lavagem com jato d’água.
Formigas - as espécies que causam maior prejuízo as plantas de hortas e jardins são as cortadeiras saúvas e quenquéns. Não há controle natural 100% eficaz, porém é possível controlá-las através de métodos eficientes.

Pode ser combatidas com o uso de iscas atrativas, plantio de hortelã e gergelim, cinta plástica com graxa.

Lesmas e Caracóis - sua ação destruidora se dá normalmente à noite, furando e devorando folhas, caules, botões florais e até raízes subterrâneas.

Pode ser combatidas com o uso de iscas atrativas, aplicação de cal e cinzas, armadilhas e catação manual.

Cochonilhas - são insetos de tamanho minúsculo, que apresentam coloração marrom ou amarelo. Instalam-se na parte inferior das folhas, sugando a seiva da planta, além de liberar uma substância pegajosa que facilita o ataque de fungos.

Pode ser combatidas com o uso de calda de fumo, emulsão de óleo, controle químico, e inseticidas.

Ácaros – embora visíveis somente com auxílio de um microscópico possuem aparência de pequenas aranhas vermelhas. O sinal característico do ataque as plantas é o aparecimento de minúsculas teias prateadas na parte de baixo das folhas, causando a murcha das folhas, bem como o enrolamento das mesmas.

Pode ser combatidas com o uso da calda bordalesa e limpeza das folhas com algodão embebido em álcool.


Tatuzinhos-de-jardim ou “tatus -bolinha” - são comuns em jardins que apresentam umidade elevada. Vivem escondidos, alimentam-se de folhas, caules e brotos tenros, e podem transmitir doenças às plantas. Pode ser combatidos com uso de folhas de tabaco trituradas na terra, evitados diminuindo a umidade em vasos e canteiros; retirados por catação manual.

Lagartas – são grandes medindo de 6 a 7 cm, portanto facilmente reconhecidas quando estão presentes nas plantas, pois se alimentam deixam furos nas folhas, hastes, raízes e brotos. Além disso, produzem teia como proteção natural.

Pode ser combatidas com aplicação de lagarticida biológico, calda de angico ou fumo, mistura de cal e repelentes naturais, como manjerona, tomilho ou camomila, além da catação manual.

Percevejos – também conhecidos como “marias-fedidas”, por exalarem odor forte e desagradável. O resultado da sua infestação nas plantas é a queda de flores, folhas e frutos, prejudicando novas brotações. Pode ser combatidos com aplicação de repelente natural e remoção manual.

Besouros – são pequenos insetos que costumam deixar buracos nas folhas. Suas larvas alimentam-se de raízes. A estação do ano que mais favorece a proliferação desta praga é verão (quente e seco).

Pode ser controlados com o uso de armadilhas e exposição do solo ao antes do plantio.

Moscas-brancas - insetos de pequeno porte com coloração branca que se alimentam da seiva da planta. Instalam-se na parte inferior das folhas, onde liberam uma substância pegajosa favorecendo o acometimento por fungos.

Podem ser controladas com a aplicação de inseticidas e uso de plantas como repelentes naturais, como o cravo-de-defunto, hortelã, calêndula e arruda.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER