Análise de coleta de dados - Pessoa Jurídica

Análise de coleta de dados - Pessoa Jurídica
CONTABILIDADE

Ao solicitar documentos para pessoa jurídica, preste atenção quanto à veracidade dos mesmos. Outros itens podem ser solicitados em um cadastro para empresas, por exemplo, depósitos e filiais, início das operações (entradas e saídas dos sócios ou acionistas), nomes e dados pessoais dos executivos autorizados a tomar decisões e assinarem pela empresa, principais produtos vendidos e comprados em importação e exportação (se este for o caso), imóveis negociados, financiamentos, empréstimos e hipotecas. São muitos os detalhes que podem compor todo o processo de análise de crédito, portanto comprová-los é imprescindível.

Análise de dados coletados – PESSOA JURÍDICA
Os sites www.sintegra.com.br e www.receita.fazenda.gov.br são usados para confirmar inscrição estadual e CNPJ das empresas, verificando desta forma sua real existência através de seus números de registro e nomes reais, data de abertura da empresa, nome dos sócios. Quanto à razão social identificada pelo contrato social é possível confirmá-la nos sites citados e também na Junta Comercial do Estado (onde todas as empresas são inscritas). 

• Alterações sociais: as empresas podem sofrer algumas alterações como incorporações, fusões (união entre empresas), cisões (separações de empresas). Neste caso é bom observar que tipo de alteração a empresa proponente de crédito sofreu e antever possíveis problemas herdados.

• Comprovantes de endereço ou instalação de pessoa jurídica: toda empresa deve ter um comprovante que indique precisamente sua localização. Para tanto são exigidos comprovantes de água, luz, telefone ou contrato de locação, onde deve constar a razão social e endereço, que deve ser tal qual citado no contrato social atualizado e deve constar igualmente no cartão CNPJ.

• Cartão CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica): é emitido pelo Ministério da Fazenda, Secretaria da Receita Federal e possui validade por todo território nacional. Contém as seguintes informações: data de abertura da empresa, número da inscrição, nome da empresa, nome fantasia, código e descrição da atividade econômica principal e das atividades secundárias, descrição da natureza jurídica, endereço, situação cadastral (ativa ou inativa). Quando um cliente trouxer este cartão com mais de três meses de data de emissão, é possível o analista de crédito obter novo cartão, para anexar ao cadastro ou apenas visualizar pelo site da Receita Federal, porque é muito importante ter em mãos as informações mais atualizadas sobre o proponente.

• Atividade ou ramo: conhecer o setor de atuação da empresa tomadora de recursos ajuda a antever situações que possam afetar o fluxo de caixa dela, e consequentemente, de quem emprestou esses recursos. Vamos citar como exemplo uma fábrica de sorvetes, que venha a solicitar um empréstimo durante o inverno, sabemos que as vendas são altas durante o verão, mas durante o período em que faz frio as vendas sofrem queda brusca. Os dados sobre atividade e ramo são encontrados no cartão CNPJ, como já citamos anteriormente. O analista deve manter-se sempre bem informado sobre o mercado, para saber avaliar as diversas situações empresariais que possam surgir.

• Alterações do contrato social e constituição: é importante saber sobre as entradas e saídas dos sócios, para avaliar a estabilidade administrativa da organização, porque cada mudança ocorrida envolve valores (capital investido e resgatado no ato da saída) e fatos ocorridos durante o período de vigência de cada sócio. Se houver participação de capital de terceiros (investidores nacionais ou estrangeiros) deve-se colocar como observação no cadastro, afinal as decisões podem ser tomadas por mais de um administrador.

• Funcionários ou executivos autorizados pela empresa: os sócios responsáveis pelas empresas costumam ter profissionais subalternos para resolverem questões diversas, mas estes funcionários ou executivos devem apresentar procurações registradas em cartório e assinadas pelos respectivos responsáveis; caso contrário, não é possível negociar com uma pessoa que alega verbalmente, sem comprovação alguma, ter poderes para decidir, assinar ou resolver quaisquer assuntos. Este funcionário autorizado, deve também apresentar documentos pessoais para comprovar sua identidade de acordo com o que a procuração informar.

• Produtos de compra e venda em importações e exportações: nome dos produtos comprados ou vendidos e percentual que representam no faturamento ou nas contas da empresa. É mais um item a ser avaliado, porque pode sinalizar acréscimo de valores ou endividamentos.
• Fornecedores: são pedidos de acordo com o porte da empresa, variando de três a dez, com nomes e telefones, por onde se possam confirmar as informações indicadas pelo cliente.

• Imóveis que representam sede ou filial de empresa: assim como a pessoa física, tem parte de sua renda comprometida quando paga aluguel ou financiamento de imóveis, o mesmo ocorre com a pessoa jurídica, que pode ter seu imóvel próprio ou alugado. Sabemos que aluguéis de imóveis comerciais são mais caros que os residenciais, portanto, este é mais um item que entra na avaliação do comprometimento da renda da empresa.

• Patrimônio da empresa: verificar pelo contrato social atualizado as posses da empresa, que poderão servir como garantia dependendo da negociação a ser feita.

• Financiamentos e hipotecas: nem sempre o proponente de crédito responde sobre essa questão se for interrogado, porque já sabe que o grau de endividamento compromete o limite de crédito, mas esse dado pode ser obtido através do balanço contábil e resultados do exercício, documentos contábeis que o analista exige para abertura de cadastro. Esses documentos são pedidos para grandes negociações, financiamentos bancários ou instituições financeiras em geral. O comércio varejista pouco utiliza.

• Sócios: este item não poderia faltar, afinal, são eles que respondem pelos atos da pessoa jurídica. A pessoa física responsável por sua fundação. Para abertura de cadastro devem-se exigir documentos dos sócios, para estes será feito cadastro de pessoa física.

• Clientes: se o cliente compra e não vende nada, o que ele tem a dizer? Muitas coisas. Por exemplo, vai falar sobre a idoneidade da empresa, atendimento, cumprimento do prazo de entrega, vai relacionar a empresa em questão com os concorrentes, vai informar se recebe nota fiscal ao efetuar as compras, como são feitas as trocas e devoluções. E o que o analista de crédito tem com isso? Tudo! É o caráter da empresa que está em jogo, à quantidade de clientes que será solicitada para análise de crédito também varia de acordo com o porte da empresa em questão.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

ARTIGOS RELACIONADOS