Treinamento funcional e seus benefícios

Treinamento funcional e seus benefícios
EDUCACAO-FISICA
O treinamento funcional tem sido muito difundido nos últimos anos na área do condicionamento físico. Muitos profissionais de educação física têm aderido a essa metodologia para conduzir os treinamentos, sejam eles voltados ao desempenho esportivo ou à melhora da qualidade de vida.

Paul Chek desenvolveu um sistema de treinamento funcional focado nos movimentos fundamentais do homem primitivo e que são executados também no cotidiano do homem moderno, são eles: agachar, avançar, agachar, puxar, empurrar, levantar, saltar e girar, também chamados de movimentos funcionais.

Podemos definir movimentos funcionais como aqueles que utilizamos durante qualquer tarefa diária. Executamos esses movimentos automaticamente e esquecemos que eles foram aprendidos naturalmente, durante os primeiros passos de nossa vida, sem precisar que alguém nos ensinasse. Exemplo: correr, andar, pegar, agachar, etc.

Então podemos dizer que o Treinamento Funcional veio resgatar esses movimentos que havíamos esquecidos devido a uma série de motivos. Assim, músculos que eram exigidos, hoje estão ficando hipoativos (pouco ativo), um grande exemplo disso são os músculos dos pés.

Quando andávamos descalço eles eram solicitados, hoje andamos de sandálias, tênis, sapatos tornando esses músculos hipoativos. Pode-se dizer que treinamento funcional refere-se a um conjunto de métodos e exercícios utilizados com o fim de desenvolver as capacidades físicas (força, resistência, flexibilidade, velocidade, equilíbrio, coordenação.) do praticante de forma integral e especifica para o seu dia-dia.

Outro fato que está fazendo com que o número de praticantes seja cada vez maior é o elevado gasto energético, proporcionando aos alunos resultados significativo em relação ao emagrecimento, tendo em vista que este é o objetivo da maioria dos praticantes.

Os exercícios realizados nos aparelhos convencionais de musculação (que possuem planos e eixos de movimento direcionados) diminuem consideravelmente a exigência de equilíbrio, da coordenação e padrões complexos de ativação muscular, que são importantes para o cotidiano.
No Treinamento Funcional é gerada maior exigência da consciência corporal na execução dos movimentos, trazendo maiores benefícios à capacidade funcional do corpo.

Desta maneira há um fortalecimento não só dos grandes músculos superficiais que fazem força, mas principalmente, dos músculos estabilizadores das nossas articulações, que são fundamentais na proteção articularem.

Os exercícios podem ser executados por pessoas de todas as idades, desde adolescentes a idosos. Com o treinamento funcional, há o desenvolvimento do condicionamento físico e do desempenho nos esportes, os riscos de lesões musculoesqueléticas diminuem e os indivíduos lesionados retornam às suas atividades de maneira mais rápida e segura.

Além disso, as inúmeras possibilidades de variações dos exercícios tornam o treinamento funcional bastante dinâmico, fator importante na motivação do praticante.

Vantagens do treinamento funcional para os alunos? Melhora da postura; Melhora do equilíbrio muscular; Melhora do desempenho nos esportes; Diminuição de ocorrências de lesões; Melhora na eficiência dos movimentos; Maior estabilidade do centro do corpo (core); Melhora do equilíbrio estático e dinâmico; Melhora das qualidades físicas como equilíbrio, força, coordenação motora, resistência cardiovascular e muscular, lateralidade e flexibilidade. Desenvolvimento da consciência sinestésica e controle corporal; Melhora da força; Melhora da resistência central (cardiovascular) e periférica (muscular);

Melhora da flexibilidade e propriocepção? O treinamento funcional deve ser classificado em três grandes bases?

1- Transferência de exercícios convencionais para funcionais, ou seja, fazer uma troca gradativa de exercícios em máquinas, para exercícios com o próprio corpo.

2- Treinamento do Core, ou seja, concentrar o trabalho do centro do corpo para as extremidades, facilitando o aprendizado e a melhoria da consciência corporal.

3- Propriocepção ou bases instáveis, ou seja, realizar trabalhos seguros em superfícies instáveis para melhorar a reação do nosso corpo com relação a uma adversidade. A maioria dos estudos científicos associa o emprego da instabilidade com boas adaptações coordenativas, melhoria da propriocepção e a manutenção do equilíbrio em indivíduos normais, idosos e atletas.

Lydia Guerreiro
Graduada em Educacao Fisica pela UERJ e Universidade Nove de Julho (UNINOVE), devidamente registrada no Conselho Regional de Educacao Fisica do Estado de Sao Paulo (CREF 093625-G/SP). Alem da graduacao como Licenciada e Bacharel em Educacao Fisica tambem tenho formacao em Gestao de clubes e eventos esportivos. Atuo no segmento do Fitness e como Personal Trainer.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER