Músculos: Características funcionais

Músculos: Características funcionais
EDUCACAO-FISICA
Quanto às características funcionais dos músculos, pode-se dizer que o músculo esquelético é muito resistente e pode ser alongado e encurtado em velocidades diferenciadas sem que ocorram grandes danos ao tecido.

O desempenho das fibras em situações de velocidade e carga variáveis é determinado por quatro propriedades do tecido muscular esquelético: irritabilidade, contratilidade, extensibilidade e elasticidade (HAMILL e KNUTZEN, 1999). Segundo McGinnis (2002), essas propriedades são comuns a todos os tipos de músculos, incluindo cardíaco, o liso e o esquelético.

Extensibilidade: capacidade do músculo para alongar-se além do comprimento de repouso (HAMILL e KNUTEZEN, 1999). 

Elasticidade: capacidade da fibra muscular para retornar ao seu comprimento de repouso depois que a força de alongamento do músculo é removida (HAMILL e KNUTEZEN, 1999).

Segundo Hall (2000), o comportamento elástico do músculo constitui de dois componentes principais:

1) O componente elástico em paralelo proporcionado pelas membranas musculares fornece resistência quando um músculo é estirado passivamente; e

2) O componente elástico em série, localizado nos tendões, que atua como uma mola armazenando energia elástica quando um músculo sob tensão é estirado.

A elasticidade do músculo deve-se principalmente ao componente elástico em série. Quando um músculo sob tensão é estirado o componente elástico em série acarreta um efeito de recuo elástico, e o reflexo de estiramento inicia simultaneamente o desenvolvimento de tensão do músculo. Logo, um estiramento promove o encurtamento subsequente forçado do músculo.

Para Hamill e Knutzen (1999), se a ação muscular concêntrica, ou o encurtamento, de um grupo muscular for precedida por uma ação muscular excêntrica, ou pré-alongamento, a ação concêntrica resultante será capaz de gerar mais força, pois o alongamento do músculo muda suas características aumentando sua tensão por meio do armazenamento de energia elástica potencial no componente elástico em série do músculo. Este padrão de contração excêntrica seguida imediatamente por uma contração concêntrica é conhecido como ciclo encurtamento-alongamento (HALL, 2000).

Ademais, se uma contração com encurtamento do músculo ocorre dentro de um tempo razoável após alongamento (0,0 a 0,9 segundos), a energia armazenada é recuperada e usada. Mas se o alongamento é mantido por um tempo prolongado antes de ocorrer o encurtamento, a energia elástica armazenada é perdida pela conversão em calor (HAMILL e KNUTZEN, 1999).
Além das contribuições do componente elástico para o ciclo alongamento-encurtamento há também contribuições neurais. Neste sentido, o alongamento que precede a ação muscular concêntrica também inicia a estimulação do grupo muscular pela potencialização reflexa. Esta ativação é responsável por somente 30% do aumento na ação muscular concêntrica subsequente e o aumento restante é atribuído à armazenagem de energia (HAMILL e KNUTZEN, 1999).

O tipo de fibras utilizado no ciclo alongamento encurtamento também é importante e deve ser considerado para o planejamento das atividades, uma vez que existe diferença na maneira pela qual as fibras de contração lenta e rápida respondem a um pré-alongamento. Os músculos com fibras predominantemente rápidas se beneficiam com um pré-alongamento em velocidade muito alta que ocorra por uma curta distância, porque eles podem armazenar mais energia elástica.

As fibras de contração rápida podem manejar um alongamento rápido porque a formação de pontes transversas de miosina ocorre rapidamente, enquanto que nas fibras de contração lenta a formação de pontes transversas é mais lenta.

Na fibra de contração lenta, um pré-alongamento de pequena amplitude não é vantajoso, já que a energia não pode ser armazenada rapidamente e a formação das pontes transversas é mais lenta. Assim, as fibras de contração lenta se beneficiarão com um pré-alongamento mais lento o que avance por uma amplitude de movimento maior.

Irritabilidade: capacidade de responder à estimulação. Em um músculo a estimulação é feita por um neurotransmissor químico. Como um tecido excitável, o músculo esquelético pode ser recrutado rapidamente com significante controle sobre os quais e quantas fibras musculares serão estimuladas para um movimento.

Contratilidade: capacidade de um músculo para encurtar-se quando o tecido muscular recebe estimulação suficiente. Alguns músculos podem encurtar-se até 50 a 70% do seu comprimento de repouso. A média para todos os músculos é de 57% do comprimento de repouso. A distância que o músculo se encurta é geralmente limitada pelas restrições físicas do corpo.

Por exemplo, o sartório pode encurtar-se mais da metade de seu comprimento for removido e estimulado em uma situação de laboratório, porém, no corpo humano, a distância de encurtamento é restringida pela articulação do quadril e pelo posicionamento do tronco e da coxa.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Seja um colunista
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER