Ichthyophthirius multifiliis em peixes

Ichthyophthirius multifiliis em peixes
VETERINARIA
Uma variedade de protozoários são comumente observadas nas superfícies externas de peixes de criação e selvagens. Seu significado para o peixe é dependente do tipo, número, espécie e complexidade e patogenicidade do protozoário, além das condições de atendimento do hospedeiro (MACMILLAN, 1991).

O protozoário ciliado Ichthyophthirius multifiliis é um parasita comum de peixes de água doce e frias. Ichthyophthiriasis é causa comum de morte em peixes de cultivos e tem levado a perdas acentuadas para a aquicultura. A infecção pode ocorrer em quaisquer fases de crescimento. Alguns estudos demonstraram reforçada invasão bacteriana onde os danos causados por parasitas serviram como portais de entrada, causando assim, aumento da mortalidade (SHINN et al., 2009).

Os peixes são infectados no estágio de natação livre e ativa dos parasitas. Caso se fixe a um peixe, furam rapidamente a camada exterior da pele e vivem entre a pele e os tecidos por baixo desta, alimentando-se de fluidos corpóreos e células da pele. Permanecem na pele e crescem durante 3 semanas, dependendo da temperatura da água; o crescimento para abaixo dos 10ºC e é muito rápido a temperaturas tropicais. Os peixes afetados tentam manter as barbatanas fechadas e roçam-se contra objetos duros. Os parasitas veem-se brancos, do tamanho de uma cabeça de alfinete, fixos nas barbatanas e no corpo. O íctio não deve ser confundido com os tubérculos brancos que aparecem nas barbatanas peitorais e nos opérculos dos peixes macho, em particular nos cometas na época de acasalamento (ÍCTIO PONTO BRANCO, 2012).

Ichthyophthirius multifiliis mais conhecido pelo aspecto que o peixe afetado apresenta, como "doença dos pontos brancos" que aparecem bem visíveis no dorso, chegando a cobrir boa parte do corpo e nas barbatanas, estas quase sempre fechadas (PADUA, 2012). O sinal característico é a presença de pontos brancos espalhados pelo corpo e pelas brânquias dos peixes.

A profilaxia é feita através da manutenção da qualidade de água, realização de uma alimentação adequada e evitar o aparecimento de situações estressantes para os peixes. Tratamento é realizado através de trocas de água e de ambiente dos peixes parasitados, além do aumento da temperatura para 31°C a fim de acelerar o ciclo de vida dos parasitas e possibilitar o corte do ciclo de vida com a realização das trocas parciais ou mudança de ambiente (PROTOZOÁRIOS, 2012).

Íctio Ponto Branco (Ichthyophthirius multifiliis). Disponível em: <http://www.mafrazoo.pt/peixes/abc-dos-peixes/ictio-ponto-branco-ichthyophthirius-multifiliis=370/> MacMillan, J. R. Biological factors impinging upon control of external protozoan fish parasites. Annual Rev. Fish Diseoses, pp. 119-131, 1991.

Padua, H.B. Os peixes sempre adoecem e morrem no inverno. Disponível em <http://www.pisciculturafb.com.br/artigos19.htm> Protozoários. Disponível em: < http://www.naturallagos.com.br/protozoarios.html> Shinn et al. Mechanical control of Ichthyophthirius multifiliis Fouquet, 1876 (Ciliophora) in a rainbow trout hatchery. Aquacultural Engineering 41 (2009) 152-157.

Vagne de Melo Oliveira
Mestrado em Ciências Biológicas pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Biotecnologia - Biologia Celular e Molecular) da Universidade Federal de Pernambuco. Especialização em Microbiologia pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia da Faculdade Frassinetti do Recife (Morfologia e Biologia Molecular de Microrganismos). Graduado em Medicina Veterinária pela Universidade
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER