A Copa do Mundo de Futebol da Fifa e as Seleções Campeãs no Período de 1930 a 20

A Copa do Mundo de Futebol da Fifa e as Seleções Campeãs no Período de 1930 a 20
EDUCACAO-FISICA
INTRODUÇÃO

As razões pelas quais se decidiu pesquisar este assunto foram devido a importância que o futebol representa para a sociedade brasileira e em especial, para a cidade de Manaus, que sediará a próxima Copa do Mundo da FIFA de 2014.

Segundo o comentarista esportivo, jornalista e escritor Orlando Duarte em, (Fãs em abundância – DVD – 100 anos de FIFA, 2004), “Nenhum outro evento é tão grandioso como uma Copa do Mundo de Futebol, onde gente de todos os continentes viajam pelo mundo para torcer por seu país e fazer parte de uma atmosfera única”.

De acordo com Orlando Duarte, no mesmo capítulo supracitado, “O futebol é o esporte do povo, pois, une todas as crenças, raças, crianças, jovens e idosos num espírito de harmonia e paixão”.

No capítulo (FIFA Futebol, O Melhor do Século, 2004), Orlando Duarte afirma que, “O futebol incentiva os sonhos e aspirações das crianças de todos os lugares, pois, trata-se de orgulho local e identidade nacional”.

Para o presidente da FIFA Joseph Blatter em (FIFA Futebol, O Melhor do Século, 2004), “O futebol é uma escola da vida baseada em disciplina e estimula a esperança de os jovens se tornarem seres humanos melhores”.

Segundo o jornalista Orlando Duarte em, (O melhor da História do Futebol, 2004), “A final da Copa do Mundo da FIFA de 2002 atingiu uma audiência pela televisão de mais de 2,8 bilhões de espectadores em 213 países”.

De acordo com o sítio da Wikipédia, (http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA), “no ranking histórico das copas do mundo do período de 1930 a 2010, o Brasil é o primeiro, com 172 pontos ganhos, participação em 97 jogos, 67 vitórias, 15 empates, 15 derrotas, 210 gols marcados e participação em todas as edições das copas do mundo”.

Para Luiz Fernando Baggio, em (Enciclopédia das Copas, 2010, p. 14), “O planeta Terra, de Leste a Oeste, de Sul a Norte adora este jogo, que já se disse, é uma metáfora da vida”.

Ainda relatando sobre a importância da Copa do Mundo, (Baggio, 2010, p. 16) afirma que, “Os homens que sonharam com sua realização não poderiam imaginar que a Copa do Mundo, ao longo do tempo, se tornaria a mais importante competição de um único esporte e que a cada quatro anos mobilizaria a atenção de bilhões de pessoas nos quatro cantos do planeta”.

Percebendo-se a importância deste assunto, desenvolveu-se esta pesquisa com o objetivo de investigar e mostrar a sociedade de modo geral, como se deu a história das conquistas das Copas do Mundo da FIFA pelas seleções campeãs, no período de 1930 a 2010 através da construção de um Calendário Histórico das Copas do Mundo, o qual foi constituído a partir dos dados da pesquisa no formato de um banner, contendo fotos (pôsteres) das seleções campeãs, dados históricos, datas e um quadro de 14 calendários anuais.         

 
MATERIAL E MÉTODOS

Este trabalho se caracterizou como pesquisa qualitativa e quantitativa, a técnica de investigação iniciou-se com pesquisa bibliográfica e documental. A opção por essa metodologia deu-se pelo fato de explicar um problema a partir de referências já publicadas sobre o assunto.

O método aplicado foi o dialético, porque segundo (Ivani Fazenda, 2004, p. 93), a dialética, dentro de uma contextualização: “nos permite dimensionar sua importância como alternativa teórico-metodológica e sua perspectiva na fase atual do desenvolvimento da pesquisa em educação”. Também, trabalha com as ciências humanas e sociais, fator importante para a pesquisa.

Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram: pesquisa documental, observações, uso do calendário, uso de softwares, uso do computador, (multimídia), uso de almanaques e de livros sobre a história das copas.

Para analisar como se deu as conquistas das copas do mundo da FIFA pelas seleções campeãs foram estabelecidos procedimentos: de investigação – quando (dia da semana, mês e ano) – onde (lugar em que foi realizada a copa do mundo); de identificação – quem foi à seleção campeã e quais eram os jogadores que faziam parte do elenco; de demonstração – como (mostrar através de um calendário histórico, “banner” o resultado da pesquisa); de construção e elaboração - para apresentar os dados da pesquisa foi elaborado um calendário histórico com as seguintes características:

a) Tema do calendário: Calendário Histórico das Copas do Mundo.

b) Subtema: Seleções Campeãs das Copas do Mundo da FIFA de 1930 – 2010.

c) Instruções de uso: Exemplo: – Que dia da semana foi 30 de julho de 1930, quando a Seleção de Futebol do Uruguai foi campeã do mundo?

Procura-se o ano de 1930 no Sumário e no quadro anual o número 4, o qual indica o calendário utilizado naquele ano. Basta localizar o mês e o dia como num calendário comum.

Resposta: 4ª  feira

d) Quadro de calendários: Formado por 14 quadros de calendários anuais, onde cada quadro contém os dozes meses do ano sendo composto, do quadro 1 ao 7 por anos normais (mês de fevereiro de 28 dias) e do quadro 8 ao 14 por anos bissextos ( mês de fevereiro de 29 dias), para identificar os dias da semana e os meses que se quer encontrar.

e) Sumário: contendo o período de anos de 1930 a 2010.

f)  Quadro de pôsteres: Pôsteres (fotos) de todas as seleções campeãs das copas do mundo de futebol da FIFA no período de 1930 a 2010.

A partir das informações e dos dados investigados elaborou-se o calendário histórico (patente de utilidade) sobre as seleções campeãs das copas do mundo de futebol da FIFA.

Estrutura do calendário histórico das Copas do Mundo


Para se construir o calendário histórico, analisou-se as estruturas dos calendários comuns, observando-se principalmente os anos bissextos. Exemplo na tabela abaixo:

          DIA DO MÊS

    DIA DA SEMANA

            ANO

1º de fevereiro

3ª feira

2011

1º de fevereiro

4ª feira

2012    (bissexto)

1º de fevereiro

6ª feira

2013

1º de fevereiro

sábado

2014

1º de fevereiro

domingo

2015

1º de fevereiro

2ª feira

2016   (bissexto)

1º de fevereiro

4ª feira

2017



Tabela - 1

De acordo com as datas acima, observou-se que primeiro (1º) de fevereiro de 2011, 3ª feira foi um ano normal, ou seja, não era um ano bissexto. Mas o ano de 2012 foi bissexto e observe que 1º de fevereiro foi uma 4ª feira. Veja que, toda vez que o ano for bissexto, o dia da semana do ano seguinte avança dois dias. Por exemplo: 1º de fevereiro de 2012 era 4ª feira, ano bissexto, e 1º de fevereiro de 2013 será 6ª feira. Portanto, uma diferença de dois dias, de 4ª feira passou para 6ª feira. Isso só ocorre na passagem de anos bissextos para ano normal, ou seja, ano com mês de fevereiro de 28 dias.

Seguindo esse tipo de análise e estrutura do quadro acima, pode-se voltar no tempo para encontrar o dia da semana em qualquer data passada, ou, se avançar no tempo, pode-se saber, por exemplo, o dia da semana de 1º de fevereiro do ano de 2100. Basta seguir essa regra de análise.

Assim, para se constituir o calendário histórico da Copa do Mundo foram elaborados 14 quadros de calendários anuais, sendo 7 com anos normais e 7 com anos bissextos. Na parte do sumário foi estabelecido período de 1930 a 2010.

 
RESULTADOS E DISCUSSÃO

1.    Seleções Campeãs das Copas do Mundo de 1930 a 2010

 
a)   Uruguai - Campeão em 1930, no Uruguai, sobre a Argentina: 4×2

Participantes: 13

Organização: FIFA

Anfitrião: Uruguai

Período: 13 de julho – 30 de Julho

Gol (o)s: 70

Jogos: 18

Média: 3,89 gol(o)s por partida

Campeão: Uruguai

Vice-campeão: Argentina

Melhor marcador: Stábile - 8 gols

Público: 434 500

Média: 24 138,9 pessoas por partida

Final: 30 de julho de 1930 – 4ª feira

Nomes dos jogadores: Mascheroni, Nazassi, Ballesteros, Fernández, Andrade, Gestido, Dorado, Scarone, Castro, Cea e Iriarte

 

b)   Itália – Campeã em 1934, na Itália, sobre a Tchecoslováquia: 2×1

Participantes: 16

Anfitrião: Itália

Período: 27 de Maio – 10 de Junho

Gol(o)s: 70 (média de 4,1)

Campeão: Itália

Vice-campeão: Tchecoslováquia

Melhor marcador: Oldrich Nejedlý - 5 gols

Público: 358.000 (média de 21.058)

Final: 10 de junho de 1934 – Domingo

Nomes dos jogadores: Combi, Monti, Monzeglio, Bertolini, Allemandi, Ferrari, Guaita, Meazza, Schiavio, Ferraris  IV e Orsi

 

c)    Itália - Campeã em 1938, na França, sobre a Hungria: 4×2

Participantes: 16

Anfitrião: França

Período: 4 de Junho – 19 de Junho

Gol(o)s: 77

Campeão: Itália

Vice-campeão: Hungria

Melhor marcador: Leônidas da Silva (7)

Público: 376.000 (média de 20.888 por partida)

Final: 19 de junho de 1938 – Domingo

Nomes dos jogadores: Biavatti, Vitorio Pozzo (técnico), Piola,  Ferrari, Colaussi, Locatelli, Meazza, Foni, Olivieri,  Rava, Andreolo e Serantoni

d) Uruguai – Campeão em 1950, no Brasil, sobre o Brasil: 2×1

Participantes: 13 (33 nas Eliminatórias)

Anfitrião: Brasil

Período: 24 de Junho – 16 de Julho

Gol(o)s: 88 (média de 4 por partida)

Campeão: Uruguai

Vice-campeão: Brasil

Melhor marcador: Ademir (9)

Público: 1.043.500 (média de 47.431 por partida)

Final: 16 de julho de 1950 – Domingo

Nomes dos jogadores: Obdulio Varela, Tejera, Gambetta, Matias Gaonzález, Máspoli, Andrade, Gighia, Julio Pérez, Míguez,  Schiaffino e Morán

e) Alemanha – Campeã em 1954, na Suíça, sobre a Hungria: 3×2

Participantes: 16

Anfitrião: Suíça

Período: 16 de Junho – 4 de Julho

Gol(o)s: 140 (média de 5,38 por partida)

Campeão: Alemanha Ocidental

Vice-campeão: Hungria

Melhor marcador: Kocsis (11)

Público: 889 500 (média de 34.211 por partida)

    Final: 4 de julho de 1954 – Domingo

Nomes dos jogadores: Fritz Walter,  Turek, Eckel, Rahn, Ottmar Walter, Liebrich,  Posipal, Schaerer, Kohlmeyer, Mai e Morlock

f) Brasil – Campeão em 1958, na Suécia, sobre a Suécia: 5×2

Participantes: 16

Anfitrião: Suécia

Período: 8 de Junho – 29 de Junho

Gol(o)s: 126 (média de 3,6 de partida)

Campeão: Brasil

Vice-campeão: Suécia

Melhor marcador: Just Fontaine (13)

Público: 919.580 (média de 26.273 de partida)

Final: 29 de junho de 1958 – Domingo

Nomes dos jogadores: Djalma Santos, Zito, Bellini, Nílton Santos, Orlando, Gilmar,  Garrincha, Didi, Pelé, Vavá e  Zagalo

g) Brasil – Campeão em 1962, no Chile, sobre a Tchecoslováquia: 3×1

Participantes:  16

Anfitrião: Chile

Período: 30 de maio de 1962 – 17 de junho de 1962

Gol(o)s: 89 (média de 2,8 por partida)

Campeão:  Brasil

Vice-campeão:  Tchecoslováquia

Melhor marcador: Drazan Jerkovic (5)

Público: 776.000 (média de 24.250 por partida)

Final: 17 de junho de 1962 – Domingo

Nomes dos jogadores: DjalmaSantos, Zito, Gilmar, Zózimo,  Nílton Santos, Mauro,  Garrincha, Didi, Vavá, Amarildo e  Zagalo

h) Inglaterra – Campeã em 1966, na Inglaterra, sobre a Alemanha: 4×2

Participantes: 16

Anfitrião: Inglaterra

Período: 11 de Julho – 30 de Julho

Gol(o)s: 89 (média de 2,8 por partida)

Campeão: Inglaterra

Vice-campeão: Alemanha Ocidental

Melhor marcador: Eusébio (9)

Público: 1.635.000 (média de 51.093 por partida)

Final: 30 de julho de 1966 – Sábado

Nomes dos jogadores: Stiles, Hunt, Banks, Jack Charlton, Cohen, Wilson,

Peters, Hurst, Bobby Moore, Ball e  Bobby Charlton

i) Brasil – Campeão em 1970, no México, sobre a Itália: 4×1

Participantes: 16

Anfitrião: México

Período: 31 de maio – 21 de Junho

Gol(o)s: 95 (média de 3 por partida)

Campeão: Brasil

Vice-campeão: Itália

Melhor marcador: Gerd Müller (10)

Público: 1.603.975 (média de 50.124 por partida)

Final: 21 de junho de 1970 – Domingo

Nomes dos jogadores: Carlos Alberto Torres, Félix, Brito, Piazza, Clodoaldo, Everaldo,

Jairzinho, Gérson, Tostão, Pelé e  Rivelino

j) Alemanha – Campeã em 1974, na Alemanha, sobre a Holanda: 2×1

Participantes: 16

Anfitrião: Alemanha Ocidental

Período: 13 de Junho – 7 de Julho

Gol(o)s: 97 (média de 2,6 por partida)

Campeão: Alemanha Ocidental

Vice-campeão: Países Baixos

Melhor marcador: Grzegorz Lato (7)

Público: 1.768.152 (média de 46.530 por partida)

Final: 7 de julho de 1974 – Domingo

Nomes dos jogadores: Beckenbauer, Maier, Schwarzenbeck, Bonhof, Holzenbein,  Grabowski, Müller, Overath, Vogts, Breitner e  Hoeness

k) Argentina – Campeã em 1978, na Argentina, sobre a Holanda: 3×1

Participantes: 16

Anfitrião: Argentina

Período: 1 de junho – 25 de junho

Gol(o)s: 102 (média de 2,68 por partida)

Campeão: Argentina

Vice-campeão: Países Baixos

Melhor marcador: Mario Kempes (6)

Público: 1.546.151 (média de 40.688 por partida)

Final: 25 de junho de 1978 – Domingo

Nomes dos jogadores: Passarela, Houseman, Olguín, Tarantini,  Kempes, Fillol,  Galván, Ardiles, Luque, Valencia e  Gallego



   l) Itália – Campeã em 1982, na Espanha, sobre a Alemanha: 3×1

Participantes: 24

Anfitrião:  Espanha

Período: 13 de Junho – 11 de Julho

Gol(o)s: 146 (média de 2,8 por partida)

Campeão: Itália

Vice-campeão: Alemanha Ocidental

Melhor marcador: Paolo Rossi (6)

Público: 2.109.723 (média de 40.571 por partida)

Final: 11 de julho de 1982 – Domingo

Nomes dos jogadores: Zoff, Graziani, Bergomi, Scirea, Colovatti, Gentile,

Conti, Paolo Rossi, Oriali, Cabrini e  Tardelli

m) Argentina – Campeã em 1986, no México, sobre a Alemanha: 3×2

Participantes: 24

Anfitrião: México

Período: 31 de maio – 29 de junho

Gol(o)s: 132 (média de 2,5 por partida)

Campeão: Argentina

Vice-campeão: Alemanha Ocidental

Melhor marcador: Gary Lineker (6)

Público: 2.393.331 (média de 46.026 por partida)

Final: 29 de junho de 1986 – Domingo

Nomes dos jogadores: Batistuta, Cucciufo, Olarticoechea, Pumpido, Brown, Ruggeri,  Maradona, Burruchaga, Giusti, Enrique e  Valdano

n) Alemanha – Campeã em 1990, na Itália, sobre a Argentina: 1×0

Participantes: 24

Anfitrião: Itália

Período: 8 de Junho – 8 de Julho

Gol(o)s: 115 (média de 2,2 por partida)

Campeão: Alemanha Ocidental

Vice-campeão: Argentina

Melhor marcador: Salvatore Schillaci (6)

Público: 2.516.348 (média de 48.391 por partida)

Final: 8 de julho de 1990 – Domingo

Nomes dos jogadores: Mathäus, Illgner, Buchwald, Aughentaler, Voeller, Kohler, Brehme, Littbarski, Hasssler, Berthold e Klinsmann

o) Brasil - Campeão em 1994, nos EUA, sobre a Itália: 0×0 (3×2 em decisão por pênaltis)

Participantes: 32 (144 nas eliminatórias)

Anfitrião: Estados Unidos

Período: 17 de junho – 17 de julho

Gol(o)s: 141 (média de 2,7 por partida)

Campeão: Brasil

Vice-campeão: Itália

Melhor marcador: Hristo Stoichkov Oleg Salenko: (6 gols)

Público: 3.587.538 (média de 68.991 por partida)

Final: 17 de julho de 1994 – Domingo

Nomes dos jogadores: Taffarel, Jorginho, Aldair, Mauro Silva, Márcio Santos, Branco,

 Mazinho, Romário, Dunga, Bebeto e  Zinho

p) França – Campeã em 1998, na França, sobre o Brasil: 3×0

Participantes: 32 (172 nas eliminatórias)

Anfitrião: França

Período: 10 de Junho – 12 de Julho

Gol(o)s: 171 (média de 2,7 por partida)

Campeão: França

Vice-campeão: Brasil

Melhor marcador: Davor Šuker (6)

Público: 2.785.100 (média de 43.517 por partida)

Final: 12 de julho de 1998 – Domingo

Nomes dos jogadores: Zidane, Desailly, Leboeuf, Thuram,  Guivarc´h, Petit,

Karembeu, Djorkaeff, Deschamps,  Barthez e Lizarazu

q) Brasil – Campeão em 2002, no Japão, sobre a Alemanha: 2×0

Participantes: 32 (196 nas Eliminatórias)

Anfitrião: Coreia do Sul e   Japão

Período: 31 de Maio – 30 de Junho

Gol(o)s: 161 (média de 2,5 por partida)      

Campeão: Brasil - 5º Título

Vice-campeão: Alemanha

Melhor marcador: Ronaldo (8)

Público: 2.705.197 (média de 42.268 por partida)  

Final: 30 de junho de 2002 – Domingo

Nomes dos jogadores: Lúcio, Edmílson, Roque Júnior, Gilberto Silva, Marcos, Kaká, Vampeta, Anderson Polga,  Dida, Rogério Ceni, Belletti, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo,  Roberto Carlos, Kleberson, Rivaldo, Cafu, Júnio,  Ricardinho, Luizão, Edílson, Denílson e Juninho  Paulista

r) Itália – Campeã em 2006, na Alemanha, sobre a França: 1×1 (5×3 na disputa de pênaltis)

Participantes: 32 (196 nas Eliminatórias)

Anfitrião: Alemanha

Período: 9 de Junho – 9 de Julho

Gol(o)s: 147 (média de 2.3 por partida)

Campeão: Itália (4º Título)

Vice-campeão: França

Melhor marcador: Miroslav Klose (5 gols)

Público: 3.359.439 (média de 52.491 por partida)

Final: 9 de julho de 2006 – Domingo

Nomes dos jogadores: Buffon, Materazzi, Luca Toni, Grosso, Totti, Gattuso, Pirlo, Camaronesi, Cannavaro, Zambrotta e Perrotta.

s) Espanha – Campeã em 2010, na África do Sul, sobre a Holanda: 1×0

Participantes: 32

Anfitrião: África do Sul

Período: 11 de junho – 11 de julho

Gol(o)s: 145

Jogos: 64

Média: 2,27 gol(o)s por partida

Campeão: Espanha

Vice-campeão: Países Baixos

Melhor marcador: 5 gols:

•          Thomas Müller

•          David Villa

•          Wesley Sneijder

•          Diego Forlán

Público: 3 178 856

Média: 49 669,6 pessoas por partida

Final: 11 de julho de 2010 – Domingo

Nomes dos jogadores: Carlos Marchena, Iker Casillas, Sergio Ramos, Gerard Piqué, Xabi Alonso, Fernando Torres, Xavi Hernández, Javi Martínez, David Villa, Jesús Navas e Joan Capdevila.

2.      Calendário histórico das Copas do Mundo de 1930 a 2010

a)      Sumário para identificar o ano e o número do quadro do calendário anual.


                ANO

             QUADRO

1930

4

1934

2

1938

7

1950

1

1954

6

1958

4

1962

2

1966

7

1970

5

1974

3

1978

1

1982

6

1986

4

1990

2

1994

7

1998

5

2002

3

2006

1

2010

6



c) Instruções de uso do calendário histórico                     

Exemplo 1 – Que dia da semana foi 30 de julho de 1930, quando a Seleção de Futebol do Uruguai foi campeã do mundo?

Procure o ano de 1930 no Sumário e ao lado o número 4, que indica o calendário utilizado naquele ano. Basta localizar o mês e o dia como num calendário comum.

Resposta: 4ª  feira

Exemplo 2 – Que dia da semana foi 21 de junho de 1970, quando o Brasil foi campeão do mundo de futebol?

Procure o ano de 1970 que está no quadro 5. Localize o mês e dia como num calendário comum.

Resposta: Domingo.

Exemplo 3 – Que dia da semana foi 23 de outubro de 1940, quando nasceu o Rei Pelé?

Procure o ano de 1940 que está no quadro 9. Localize o mês e dia como num calendário comum.

Resposta: 4ª feira.

 

CONCLUSÕES

O estudo apresentado teve como objetivo, além de investigar, identificar e mostrar as seleções campeãs das copas do mundo de futebol da FIFA do período de 1930 a 2010, construir um calendário histórico sobre a história das copas do mundo, tendo como fontes de pesquisas livros, artigos de revistas, jornais, DVDs entre outras fontes encontradas sobre essa história específica. Foi possível encontrar notícias de uma história geral das copas, como os indícios de seu surgimento como esporte tratado aqui como um esporte moderno, notícias sobre lugares de realização dos jogos, nomes das seleções e dos jogadores, dia, mês e ano da realização das finais dos jogos das copas do mundo. Entretanto, não se sabia o dia da semana em que ocorreram esses eventos.

Dessa forma, uma questão surgiu: afinal como seria possível chegar as fontes para pesquisar o dia da semana em que ocorreu essa história? Assim, foi criado o calendário histórico para que se pudesse pesquisar esses dias da semana em que foram realizados esses eventos.

A partir de então, com a construção do Calendário Histórico das Copas do Mundo, pode-se obter informações completas e detalhadas sobre a história das copas do mundo de futebol da FIFA do período de 1930 a 2010.

 

REFERÊNCIAS


http://www.geocities.com/CapeCanaveral/4274/caleperp.htm

http://www.museudofutebol.com.br/todoscampeoes.asp.

O MELHOR DO FUTEBOL, comemorando os 100 anos de FIFA. DVD. Sonopress: Manaus – AM, 2004.

FIFA FEVER, o melhor da história do futebol. DVD, Sonopress: Manaus, 2004.

CARVALHO, Gustavo Longhi de; SANTIAGO JR., José Renato Sátiro. Copas do Mundo - Das Eliminatórias ao Título. São Paulo: Novera,2008.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA.

FAZENDA, Ivani. Metodologia da Pesquisa Educacional. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

STROUD, Jon. A história da Copa do Mundo; [tradução Rodrigo Popotic]. - Barueri – SP: Girasol, 2009.

BAGGIO, Luiz Fernando. Enciclopédia das Copas do Mundo. Rio de Janeiro: Novaterra, 2010.

Ademar dos Santos Lima
Ademar dos Santos Lima Possui graduação em Letras - Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Pós-Graduação em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal do Amazonas (2006/2010). Atualmente é professor da Secretaria Municipal de Educação do Município de Manaus. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Língua e Literatura Portuguesa e língua Inglesa.
Seja um colunista

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

ARTIGOS RELACIONADOS