Estratégias de leitura

Estratégias de leitura
PEDAGOGIA
Para um diagnóstico preciso, também é necessário que o professor domine além dos níveis de aquisição da linguagem, as estratégias de leitura.

Estratégias de leitura são técnicas ou métodos que os leitores usam para adquirir a informação, ou ainda procedimentos ou atividades escolhidas para facilitar o processo de compreensão em leitura. São planos flexíveis adaptados às diferentes situações que variam de acordo com o texto a ser lido e a abordagem elaborada previamente pelo leitor para facilitar a sua compreensão, (Duffy & Cols., 1987; Brown, 1994; Pellegrini, 1996; Kopke, 2001).

Duke e Pearson (2002) identificaram seis tipos de estratégias de leitura que as pesquisas realizadas têm sugerido como auxiliares no processo de compreensão. Nessa abordagem veremos apenas as mais aplicáveis à aquisição da leitura:

• Seleção cognitiva: síntese das ideias principais.

• Estratégias de antecipação: tornam possível prever o que ainda esta por vir. Com base em informações explicitas e em suposições. Se a linguagem não for muito rebuscada e o conteúdo não for muito novo. Nem muito difícil. E possível eliminar letras em cada uma das palavras escritas em um texto. E até mesmo uma palavra a cada cinco outras. Sem que a falta de informações prejudique a compreensão. Além de letras, silabas e palavras. Antecipamos significados. O gênero, o autor, o título e muitos outros índices nos informam o que é possível que encontremos em um texto. Assim, se formos ler uma história de Monteiro Lobato chamada viagem ao céu, é previsível que encontraremos determinados personagens, certas palavras do campo da astronomia e que, certamente alguma travessura acontecerá.

• Estratégia de inferência: permitem captar o que não está dito no texto de forma explícita. A inferência á aquilo que lemos, mas não está escrito. São adivinhações baseadas tanto em pistas dadas pelo próprio texto como em conhecimentos que o leitor possui. Às vezes essas inferências se interpretação do texto confirmam, e às vezes não: de qualquer forma, não são adivinhações aleatórias. Além do significado, inferimos também palavras, sílabas ou letras. Boa parte do conteúdo de um texto pode ser antecipada ou inferida em função do contexto: portadores, circunstâncias de aparição ou propriedades de um texto. O contexto, na verdade, contribui decisivamente para a interpretação do texto e, com frequência, até mesmo para inferir a intenção do autor. Não está escrito, porém correto. Permite que o leitor se atenha apenas aos índices úteis. Desprezando os irrelevantes. Ao ler, fazemos isso o tempo todo: nosso celebro sistematiza “q”, pois já sabe que certamente será "u": ou que nem sempre é o caso de se fixar nos artigos, pois o gênero está definido pelo substantivo.

• Estratégias de verificação: tornam possíveis os controles da eficácia ou não das demais estratégias, permitindo confirmar ou não as especulações realizadas. Esse tipo de checagem para confirmar, ou não, a compreensão é inerente à leitura.

A leitura é um processo no qual o leitor realiza um trabalho ativo de construção do significado do texto a partir do que está buscando nele, do conhecimento que já possui a respeito do assunto, do autor e do que já sabe sobre a língua e características do gênero, do portador ou do sistema de escrita... Ninguém pode extrair informações do texto decodificando letra por letra, palavra por palavra.

Se você analisar sua própria leitura, vai constatar que a decodificação é apenas um dos procedimentos que utiliza para ler: a leitura fluente envolve uma série de outras estratégias, isto é, de recursos para construírem significados: sem elas, não é possível alcançar rapidez e proficiência.

Uma estratégia de leitura é um amplo esquema de obter, avaliar e utilizar informações. Há estratégias de seleção, de antecipação, de inferência e de verificação.

Utilizamos todas as estratégias de leitura, mais ou menos ao mesmo tempo, sem ter consciência disso. Só nos damos conta do que estamos fazendo se formos analisar com cuidado nosso processo de leitura, como estamos fazendo ao longo desse texto. Ler não é um ato mecânico, e sim um processo ativo. A mente filtra as informações recebidas, interpreta essas informações e seleciona aquelas que são consideradas relevantes. O que se fixa em nossa mente é o significado geral do texto.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER