O amplificador das emoções

O amplificador das emoções
COTIDIANO

Para dar as mãos, sem tocá-las, o Portal Educação se uniu à Vida Simples e à EduMedica, para levar esclarecimento, orientação e, principalmente apoio emocional para seus alunos e seguidores.

 

O texto de hoje é de Eugenio Mussak, médico, escritor, humanista. Ele explica que há momentos em que as emoções são amplificadas pelas circunstâncias, e a nós cabe escolher o que queremos, ou não, fazer crescer dentro de nós.  

  

 

O amplificador das emoções

Por Eugenio Mussak | Vida Simples

 

Nosso cotidiano está coalhado de emoções, e em geral lidamos bem com elas, estimulando algumas, abafando outras, e assim vamos vivendo. Quando nos sentimos incompetentes, procuramos ajuda, para isso estão aí os terapeutas e as leituras.

 

E eis que, assim do nada, acontecem coisas que mudam tudo e têm um poder oculto: o de amplificar as emoções. Estamos vivendo um desses momentos. Uma crise viral, uma epidemia global, uma guerra sem igual.

 

O medo está aí, devidamente amplificado, potencializado, e com justa razão. E junto com ele, a dúvida, a incerteza, a insegurança, a indecisão.

E ainda nos pedem que façamos o oposto daquilo que sempre nos fortaleceu: que fiquemos longe uns dos outros. O isolamento social, entendemos, é a única alternativa para diminuir a transmissão, achatar a curva e vencer a crise. Só nos resta obedecer.

 

Então nos isolamos, e, das duas uma: ou ficamos sozinhos, e vamos ter que conviver com os sentimentos da solidão; ou nos juntamos em pequenos grupos familiares, e teremos que lidar com as emoções do convívio compulsório.

Tudo amplificado. Maior. Superlativo.

 

Isto posto, vale a sugestão. Vamos investir em sentimentos que nos ajudem, que nos melhorem, que transformem os convívios em boas experiências. Vamos abrir, sim, espaço para a compreensão, para a tolerância, o cuidado mútuo, o pequeno gesto, o resgate do que há de melhor em mim, em você, na relação.

 

Evite a irritação, a implicância, a raivinha boba, o rancor sem sentido, a teimosia que atrapalha. Colabore, sorria, seja gentil, amigo, solidário, otimista. Neste momento precisamos muito disso. Os espaços ficam maiores quando os sentimentos são bons. 

 

Dizem que este vírus veio da China. Isso não vem mais ao caso. Mas serve para lembrar que o ideograma chinês que significa crise é formado por outros dois: perigo e oportunidade.

 

O perigo desta bio-crise é que ela se alastre no tempo, cause mais dor, leve vidas e prejudique a economia. E a oportunidade?

 

Bem, esta depende de quais são os sentimentos que decidimos amplificar... Oportunidade é assim. A gente pega ou a gente perde.

Eugenio Mussak
Eugenio Mussak é um médico escritor. Publicou treze livros e dezenas de artigos, transitando entre a ciência e a literatura com desenvoltura. Sem perder de vista o rigor científico, lembra que a medicina pertence às ciências humanas. É colunista da Vida Simples desde sua fundação, e é o fundador da EduMedica.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER