Vitamina D e sua relação com a obesidade

Vitamina D e sua relação com a obesidade
MEDICINA
A vitamina D é bastante conhecida por sua ação no tecido ósseo, bem como pela manutenção da homeostase normal do cálcio e fósforo no organismo (Schuch, Garcia e Martini, 2009). Em grande parte dos indivíduos, a principal fonte de vitamina D é a síntese cutânea, sendo o restante obtido por meio da alimentação e do uso de suplementos (Heaney et al., 2008).


Pesquisas recentes sugeriram que a vitamina D também está envolvida na diferenciação e proliferação celular, na secreção hormonal, nas ações do sistema imune, bem como na etiologia de diversas doenças crônicas não transmissíveis (Bouillon et al., 2008; Heaney et al., 2008). Além disso, alguns trabalhos sugeriram que a obesidade está relacionada a baixos níveis de vitamina D, porém os mecanismos envolvidos nessa relação ainda não estão completamente elucidados (Vanlint, 2013; Cipriani et al., 2014).


Uma das hipóteses do porque níveis baixos de vitamina D se correlacionariam positivamente com o desenvolvimento da obesidade é que um grande conteúdo de gordura corporal atuaria como um reservatório de vitamina D, e com isso aumentaria seu sequestro para dentro do tecido adiposo, determinando uma menor biodisponibilidade da vitamina (Wortsman et al., 2000).


Em indivíduos obesos não somente a massa de gordura está aumentada, mas também há uma diminuição da massa magra como uma resposta adaptativa ao peso corporal. Estudos em animais demonstraram que 33% da forma ativa da vitamina D está estocada nas gorduras, e 20% nos músculos, sugerindo que os músculos também podem ser outro reservatório de vitamina D em humanos (Mawer et al., 1972)). Foi sugerido também que indivíduos obesos tendem a se expor ao sol com menor frequência, o que limitaria a síntese cutânea de vitamina D (Florez et al., 2007).


Outra hipótese sugere que o déficit de vitamina D observado em obesos pode estar relacionado a esteatose hepática (Targher et al., 2007). Uma explicação alternativa sugere que altos níveis de leptina, bem como de interleucina 6, as quais são secretadas sobretudo pelo tecido adiposo, podem ter feito inibitório na síntese da forma ativa da vitamina D (Ding et al., 2010). Diante do que foi exposto, fica claro que ainda não temos uma resposta conclusiva da razão pela qual a hipovitaminose D é observada com maior frequência em indivíduos obesos.


Outra questão ainda não bem resolvida diz respeito à dose de vitamina D que deve ser administrada em indivíduos obesos para repor os níveis normais dessa vitamina e manter os mesmos após a reposição. As orientações do Institute of Medicine sugerem não haver evidências de que o aumento no consumo de vitamina D acima das doses recomendadas para não obesos, poderia afetar a saúde óssea ou outras condições de saúde associadas aos indivíduos obesos (Ross et al., 2011); por outro lado, as diretrizes da Endocrine Society sugerem o consumo de duas a três vezes mais vitamina D em pessoas obesas com o objetivo de satisfazer a necessidade dessa vitamina de acordo com o peso corporal dos indivíduos (Holick et al., 2011).


Diante do que foi exposto, podemos afirmas que muitos progressos têm sido realizados com o intuito de entender o papel da vitamina D no metabolismo corporal, no entanto diversos mecanismos ainda precisam ser melhores estudados, particularmente os relacionados aos fatores genéticos associados à hipovitaminose D em indivíduos obesos. Além disso, protocolos de tratamento para pacientes obesos com baixos níveis de vitamina D precisam ser melhores estudados e estabelecidos.

Referências Bibliográficas
Schuch NJ, Garcia VC, Martini LA. Vitamina D e doença endocrinometabólicas. Arq Bras Endocrinol Metab, v. 53, n.5, 2009.


Heaney RP, Armas LAG, Shary JR, Bell NH, Binkley N, Hollis BW. 25-hydroxilation of vitamin D3: relation to circulating vitamin D3 under various input conditions. Am J Clin Nut, v. 87, n. 6, 2008.


Bouillon R, Carmeliet G, Verlinden L, van Etten E, Verstuyf A, Luderer HF, et al. Vitamin D and human health: lessons from vitamin D receptor null mice. Endocr Rev, v. 29, n.6, 2008.


Cipriani CC, Pepe J, Piemonte S, Colangelo L, Cilli M, Minisola S. Vitamin D and its relantionship with obesity and muscle. Inter Jour Endocr, 2014.


Vanlint. Vitamin D and obesity. Nutrients, v. 5, 2013.


Wortsman J, Matsuoka LY, Chen TC, Lu Z, Holick MF. Decreased bioavailabilityof vitamin D in obesity. American Journal Clinical Nutrition, v.72, n. 3, 2000.


Mawer EB, Backhouse J, Holman CA, Lumb GA, Stanbury SW. The distribution and storage of vitamin D and its metabolites in human tissues. Clinical science, vol.43, n.3, 1972.


Florez H, Martinez R, Chacra W, Strickman-Stein N, Levis S. Outdoor exercise reduces the risk of hypovitaminosis Dintheobese. Journal of Steroid Biochemistry and Molecular Biology, vol.103, n..3–5, 2007.


Targher G, Bertolini L, Scala L, et al. Associations between serum 25-hydroxyvitamin D 3 concentrations and liver histology in patients with non-alcoholic fatty liver disease. Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases, vol.17, n.7, 2007.


Ding C, Parameswaran V, Blizzard L, Burgess J, Jones G. Not a simple fat-soluble vitamin: changes in serum 25-(OH)D levels are predicted by adiposity and adipocytokines in older adults. Journal of Internal Medicine, vol.268, n.5, 2010.


Ross AC, Manson JE, Abrams SA, et al. The 2011 report on dietary reference intakes for calcium and vitamin D from the Institute of Medicine: what clinicians need to know. Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism,vol. 96,n.1, 2011.


Holick MF, Binkley NC, Bischoff-Ferrarietal.HA. Evaluation, treatment, and prevention of vitamin D deficiency: an endocrine society clinical practice guideline, Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, vol.96, n.7, 2011.

Cintia Tusset
Bacharel em biomedicina pela UFCSPA, especialista em patologia clínica e doutora em ciências pelo programa de endocrinologia da USP. Realizou estágio de pós-doutorado no Programa de Patologia da UFCSPA. Atualmente, é professora e coordenadora do curso de biomedicina da Faculdade da Serra Gaúcha.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER