O papel das redes sociais na Educação a Distância

O papel das redes sociais na Educação a Distância
PEDAGOGIA

O Ensino a Distância tem se tornado indispensável para quem deseja aperfeiçoamento profissional. O EaD tem favorecido pessoas de todo o país, mesmo se tratando daquelas que moram em locais distantes das grandes cidades, possibilitando a troca de informações entre pessoas das mais variadas regiões. Normalmente uma turma de um determinado curso à distância, poderá ter uma quantidade muito maior de pessoas, comparada a de um curso presencial. Esse grupo heterogêneo poderá apresentar uma variedade de informações que agregará valor a todos os alunos.


As pessoas estão cada vez mais participando das Redes Sociais. Uma dica bastante produtiva é que seja criado um processo para cada turma específica, aproveitando ao máximo dos recursos disponíveis nas Redes Sociais. As Redes Sociais poderão servir como base do curso, pensando principalmente na rede de relacionamento que pode ser criada. Várias questões poderão ser debatidas através das Redes Sociais.


A primeira etapa para encontrar a rede ou as redes sociais certas que podem interagir com o EaD é identificar o perfil da turma, fazendo isso fica muito mais fácil. Alguns exemplos de redes sociais que podem interagir com o EaD são Linkedin, Twitter e Orkut. A rede social Linkedin é uma boa opção para a troca de currículos, informações profissionais, indicações e explicações de projetos desenvolvidos ao longo da carreira. O Twitter pode servir como um apoio a pequenas informações para o grupo. No Orkut, pode ser criada uma comunidade, principalmente para criação de enquetes e depoimentos.


Existem muitas outras redes, o importante no primeiro momento não é conhecer as redes sociais, mas sim compreender o quanto é importante essas redes para a interação dos participantes na modalidade de ensino a distância. O plano deve ser feito por pessoas que além de conhecer sobre Redes Sociais, precisa entender um pouco sobre os objetivos das pessoas e principalmente do curso em questão.


Apesar do grande crescimento das redes sociais e do grupo acadêmico reconhecer o potencial destas novas ferramentas, práticas que aproximam a tendência tecnológica aos processos pedagógicos da educação à distância ainda não são expressivas. Muitas instituições de ensino que atuam com EAD ainda ignoram as redes sociais, elas estão mais abertas para recorrer às redes sociais – Orkut, Facebook, Twitter – principalmente para intensificar processos de marketing. Falta, no entanto, explorar o potencial dessas ferramentas no processo educacional.


A maioria dos educadores são iniciantes digitais, por isso ainda não estão totalmente adaptados às novidades. A inclusão das redes sociais nos processos pedagógicos depende quase que exclusivamente da criatividade dos professores. Quanto mais ferramentas tecnológicas introduzidas na plataforma, mais rico pode se tornar o processo de ensino. As novas tecnologias devem estar amarradas a um processo pedagógico consistente. É a proposta acadêmica que vai suportar o uso da rede social. Caso contrário, o processo se torna tão pobre como as propostas tradicionais.


Além da necessidade do plano pedagógico, o processo de ensino-aprendizagem na rede está vinculado a uma mediação qualificada a partir da figura do professor ou tutor e, principalmente, a interação e participação ativa dos estudantes. De nada adianta participar de uma rede em que sou um mero expectador. Nessas condições, limitam-se as oportunidades de crescimento e aprendizado. Por isso, esse processo tem propiciado inclusive mudanças em relação ao conceito de aprendizagem. Passa a ser um processo diferenciado para cada um dos integrantes da comunidade estudantil.


A opção pela utilização das redes sociais aproxima o EaD do perfil dos alunos, bem como torna o processo de ensino-aprendizagem mais atraente. Aulas através de redes sociais demonstram motivação da participação inclusive daqueles estudantes que costumam não interagir nas aulas. O ideal é o uso de todas as alternativas para possibilitar ao aluno escolher a opção que melhor se adapte.


O papel das redes sociais na educação à distância, no entanto, não se limita aos processos educacionais. As ferramentas podem contribuir também para a captação e retenção dos alunos, assim como para o diagnóstico dos processos e na tomada de decisões pedagógicas e de gestão. É mais um caminho para manter diálogo mais próximo dos alunos, esclarecendo dúvidas, recebendo sugestões e críticas.


por Eder Maia Lorenzo
Autor do Livro: “A Utilização das Redes Sociais na Educação”
Disponível em: Clube de Autores.


Referências Bibliográficas:


NOGUEIRA, J. Como integrar o EAD com as Redes Sociais? Administradores, 13 de jul. de 2010.


BARONI, L. IES que atuam com EAD ainda ignoram redes sociais. Universia, 02 de set. de 2010.


BARONI, L. Uso das Redes sociais em ensino divide especialista. Universia, 15 de out. de 2010.

Eder Wagner Cândido Maia Lorenzo
Bacharel em Ciência da Computação. Especialista em Novas Tecnologias. Servidor Público Federal. Autor do Livro: "A Utilização das Redes Sociais na Educação".
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER