Não seja infeliz por opção

Não seja infeliz por opção
PSICOLOGIA
Hoje em dia, por incrível que pareça, muitas pessoas estão sendo infelizes por opção. Estão acomodadas em relacionamentos fracassados, com medo e até preguiça de recomeçar. Já ouvi a seguinte frase: Ah, vou ter que começar tudo de novo!


Claro que vai! É preciso buscar o novo. Buscar a felicidade que até então não existe mais em sua vida. Ser infeliz é fácil. Ser triste é fácil, pois é apenas uma rendição. Você se rende, desiste e se conforma. Agora para ser feliz é preciso muita coragem, pois é necessário força para enfrentar dia-a-dia tudo aquilo que vai tentar fazer você desistir. É preciso persistência, e muita, mas muita vontade de se dar a chance de ser e fazer alguém feliz.


Permita-se ser amado, queira ser especial para alguém. Acredite se quiser, mas existem pessoas que não querem isso, porém existem outras, que querem mais, precisam de mais e sabem que merecem mais. Queira alguém para ser a menina dos seus olhos, a razão do seu bem querer e o dono dos seus pensamentos mais simples, puros e verdadeiros. E que você seja tudo isso para a outra pessoa também.


Permita-se sentir borboletas no estômago, rir a toa e sentir seu coração acelerar. Não queira estar com alguém por comodismo, conveniência ou por medo de ficar sozinho queira estar com alguém, simplesmente, por querer, por ser especial, por prazer e por amar. Não queira ser infeliz por opção, porque tem o grandioso medo de recomeçar. Não desista de fazer feliz a primeira pessoa em quem precisa pensar: Você!


"Eu sou. Eu és. Eu é. Eu somos. Eu sois. Eu são. Para sobreviver, é assim que a gente tem que aprender a conjugar o verbo ser. Não é fácil, demora um pouco, não adianta repeti-lo muitas e muitas vezes, até que ele fique tatuado na cortiça da alma; é preciso acreditar. E o mais difícil é acreditar. Mas quem conseguir poderá dar o passo seguinte e aprender a conjugar o verbo amar para não se dar por contente só com sobreviver, para triunfar, para que seus desejos digam à realidade, o modo como deve se desenvolver: Eu me amo. Tu me amas. Ele me ama. Nós me amamos. Vós me amais. Eles me amam." (Juan Bonilla)

Patrícia Oguma
Psicóloga Clínica graduada em Psicologia Licenciatura Plena e Formação do Psicólogo, atua hoje em consultório particular na Cidade de Santo André, na região do ABC Paulista. Graduada também em Comunicação Social, com ênfase em Publicidade e Propaganda e formada no curso de Magistério. Pós graduanda em Neuropsicologia na FMABC.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER