Teias Alimentares

Teias Alimentares
BIOLOGIA
As interações entre espécies e indivíduos não se limita a competição e predação. Existe uma teia complexa de interações entre predadores, parasitos, fontes alimentares e competidores que chamamos de teia alimentar. Para estudar teias alimentares é necessário identificar os grupos funcionais, ou seja, aqueles organismos que ocupam a mesma posição na cadeia trófica (p.ex. plantas são produtores; herbívoros; carnívoros; etc.).

Quando falamos em teia alimentar, estamos nos referindo a uma ramificação complexa de interações alimentares. No entanto, um sistema menos complexo de interações é conhecido como cadeia alimentar, que inicia com os produtores, que são à base energética do complexo sistema de interações, seguidos de consumidores e decompositores. Ao longo da ramificação de interações a energia é transferida para o próximo nível trófico, mas parte dela também é perdida para o ambiente. Isso significa que os níveis tróficos maiores, como por exemplo, os grandes carnívoros, terão acesso a uma menor quantidade de energia. Apenas 10% da energia de um nível trófico é transmitida para o próximo, o que restringe o número de níveis de uma cadeia alimentar, pois em determinado nível a energia disponível é insuficiente para permitir a subsistência (Wikipedia).

A remoção de uma espécie desse complexo sistema de interações pode revelar o seu papel na teia alimentar. Geralmente espera-se que a remoção de um predador cause o aumento da abundância de sua presa, mas os efeitos podem ser inesperados, como o decréscimo da abundância de um competidor ou de sua presa, que podem refletir em outros níveis tróficos. A esse efeito indireto dentro de uma teia alimentar denominamos cascata trófica.

Algumas espécies apresentam uma ligação mais forte à teia alimentar e sua remoção produzem efeitos significantes (p.ex. extinção de outra espécie, alteração na densidade, etc.) sobre outras espécies e, consequentemente em toda a estrutura da comunidade. Estas espécies são chamadas de espécies-chave, que podem ocorrer em qualquer nível trófico.

Outra questão importante a respeito de teias alimentares é em qual direção elas são controladas (de cima para baixo, ou de baixo para cima). O controle de cima para baixo ocorre quando a estrutura da teia depende dos consumidores de níveis tróficos superiores (p.ex., herbívoros, carnívoros), ou seja, a interação predador-presa é a principal força deste sistema. Já o controle de baixo para cima dependerá da comunidade de produtores, ou seja, nessa teia alimentar a principal força que regula a comunidade é a competição.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER