Classificação das glândulas

Classificação das glândulas
BIOLOGIA

As glândulas podem ser classificadas quanto:

I) Ao local de eliminação das secreções.

II) Ao modo de eliminação das secreções.

III) Ao número de células.

IV) À forma da glândula.

A seguir estudaremos todas estas classificações!

Vamos lá!

I) Local de Eliminação das Secreções

1º Glândulas Exócrinas

São glândulas dotadas de ductos ou canais que transportam a secreção desde a glândula até o epitélio. A secreção é eliminada na superfície do epitélio de revestimento que a originou.

Exemplos: glândulas mamárias, sudoríparas, sebáceas, salivares, gástricas, intestinais, entre outras.

2º Glândulas Endócrinas

São glândulas que não possuem ductos ou canais para transporte de substâncias. Não entram em contato com o epitélio do qual se originaram. Suas secreções são chamadas de hormônios e são coletadas pelos vasos sanguíneos do tecido conjuntivo.

Exemplos: hipófise, tireoide, suprarrenais, entre outras.

3º Glândulas Anfícrinas ou Mistas

Como o próprio nome diz, são mistas. Comportam-se como glândulas exócrinas e endócrinas ao mesmo tempo.

Exemplos:

-Pâncreas

Parte exócrina: secreção de enzimas digestivas.

Parte endócrina: secreção dos hormônios insulina, glucagon e gastrina.

-Ovários:

Parte exócrina: produz óvulos.

Parte endócrina: secreção dos hormônios estrogênio e progesterona.

-Testículos:

Parte exócrina: produz espermatozoides.

Parte endócrina: secreta o hormônio testosterona.

II) Modo de Eliminação das Secreções

• Merócrinas ou Écrinas

• Holócrinas

• Apócrinas

A – Glândulas Merócrinas ou Écrinas

Essas eliminam exclusivamente a secreção. Não ocorre perda da célula secretora da glândula.

Exemplos: glândulas lacrimais, salivares e sudoríparas.

B – Glândulas Holócrinas

A célula inteira se destaca da glândula, desintegrando-se ao levar consigo o produto de secreção acumulado. Ocorre perda total da célula secretora. Neste caso, a atividade da glândula é mantida por um contínuo processo de renovação celular.

Exemplo: glândulas sebáceas.

C – Glândulas Apócrinas

As células eliminam a secreção juntamente com parte de seu citoplasma e, em seguida, a célula secretora regenera-se. Ocorre perda parcial da célula secretora.

Exemplos: glândulas mamárias, sudoríparas e odoríferas (das axilas e a da região perianal).

III) Número de Células

• Unicelulares

• Pluricelulares

A – Glândulas Unicelulares

A secreção é elaborada por uma única célula.

Exemplo: glândulas caliciformes (mucosas) das fossas nasais.

B – Glândulas Pluricelulares

A secreção é realizada por grupos de células agregadas.

Exemplos: glândulas sudoríparas, lacrimais.

IV) Forma da Glândula

Vamos ver agora as três formas da glândula.

Mas antes, preste atenção!

Quando a glândula é simples, ela possui apenas um ducto, quando é composta, possui mais de um ducto e quando é ramificada, possui duas ou mais porções secretoras que se unem em um único ducto secretor.

Agora sim, vamos lá!

A - Glândula Tubulosa ou Tubular

A porção secretora da glândula assume a forma de tubo. Pode ser simples, ramificada ou enrolada.

Tubulosa Simples

Não possui ductos diferenciados. A porção secretora se abre diretamente na superfície.

Exemplos: glândulas intestinais (glândulas de Lieberkuhn)

Tubulosa Simples Ramificada

Cada glândula consiste em várias porções tubulares secretoras que convergem para um único tubo não ramificado.

Exemplos: glândulas gástricas e uterinas.

Tubulosa Simples Enrolada

Ducto tubular com uma porção enrolada.

Exemplos: glândulas sudoríparas e vesículas seminais.

B – Glândula Acinosa ou Alveolar

A porção secretora assume a forma de um cacho de uvas. Pode ser simples, ramificada ou composta.

Acinosa Simples

Ocorrem como bolsas nas superfícies epiteliais e acham-se revestidas por células secretoras.

Exemplo: glândula mucosecretora da uretra peniana.

Acinosa Simples Ramificada

Cada glândula consiste em vários ácinos secretores que se esvaziam em um único canal excretor.

Exemplo: glândulas sebáceas.

Acinosa Composta

As unidades possuem forma de ácinos e drenam as secreções para um sistema de ductos ramificados.

Exemplos: glândulas do pâncreas exócrino e parótidas.

C - Glândula Túbulo-acinosa

Glândula onde se encontram ao mesmo tempo porções secretoras tubulosas e acinosas. Pode ser simples ou composta.

Túbulo-acinosa Simples

Ocorre porção tubular e acinosa em um único ducto.

Exemplo: glândulas mucosas esofagianas.

Túbulo-acinosa Composta

Possui unidades secretoras que consistem em componentes tubulares ramificados e componentes acinosos ramificados.

Exemplo: glândula salivar submandibular.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de Microbiologia Geral e Biologia Celular.

Colunista Portal - Educação
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER