A reprodução dos anfíbios

A reprodução dos anfíbios
BIOLOGIA
Sapos, rãs, pererecas e salamandras, esses bichinhos que tantas pessoas sentem medo são alguns dos representantes da classe dos anfíbios. O termo anfíbio tem origem grega e significa "vida dupla". Essa vida dupla se refere à capacidade desses animais de viverem em dois ambientes diferentes, o aquático e o terrestre.

Os anfíbios, apesar de conseguirem transitar em ambiente terrestre, dependem muito da água, principalmente para se reproduzirem, já que o acasalamento da maioria das espécies é feita em ambientes aquáticos como uma poça transitória formada após uma chuva, um rio, lago ou um açude.

O sapo, a rã e a perereca realizam fecundação externa. A salamandra e a cobra-cega realizam fecundação interna. A Reprodução dessa classe começa geralmente com um ritual de corte, como no caso dos sapos, onde a fêmea no seu período fértil é atraída pelo parceiro sexual por meio do seu canto e do seu coaxar.

A fecundação sexuada externa, que é mais comum, acontece quando a fêmea libera óvulos e o macho  lança então, seus gametas sobre eles. Os ovos gerados permanecem em ambiente aquático, até o nascimento de uma larva denominada girino.

Geralmente, entre os anfíbios, não há o cuidado por parte dos pais com sua prole, porém a natureza sempre nos surpreende, como é o caso que foi registrado em um vídeo que está circulando pela internet, em que um sapo salva sua prole de girinos, cavando um canal para que eles pudessem chegar em segurança até a água.

 Veja o vídeo aqui

Colunista Portal - Saúde
O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.
Sucesso! Recebemos Seu Cadastro.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER