artigo

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008 - 09:24

Tamanho do texto: A A

Correta aplicação de vacinas

por: Colunista Portal - Educação

          As vacinas autógenas são ótimas ferramentas que as granjas tem à disposição para o controle das doenças. Estas enfermidades causam perdas e prejuízos muitas das vezes incalculáveis, como é o caso da Síndrome da Circovirose Suína, na atualidade.

          Porém, é importante se ter em mente que não é só utilizar a vacina que ela terá a eficácia desejada. É necessário seguir uma série de medidas, que muitas das vezes são passadas despercebidas por quem está em uma granja utilizando uma vacina, como exemplos fornecer uma temperatura ideal para a conservação, seja no transporte ou no armazenamento; conter o animal corretamente; aplicá-la da melhor forma para que tenha o melhor efeito; dentre outras.

          Nesta DICA  TECSA , abordaremos as medidas relacionadas com o manejo de vacinação, dando ênfase à aplicação de vacinas nos suínos. Segue abaixo alguns pontos relevantes que devem ser verificados para que a vacinação tenha sua melhor eficácia:

          Contenção dos animais

          Uma contenção adequada evita que o animal se mova no momento da aplicação, promovendo segurança para o aplicador e diminuindo as chances de haver refluxo da vacina. A contenção de Porcas deve ser com o Cachimbo, e para leitões um ajudante ou o próprio aplicador deve segurar o animal em seu colo, próximo a barriga.

          Agitação do frasco antes de aplicar

          Alguns componentes da vacina, como as bactérias inativadas ou tecidos macerados, tendem a se depositar na parte do frasco voltada para baixo, devido a força da gravidade. Agitar o frasco garante a uniformização do conteúdo, propiciando ao suíno quantidades ideais do composto de uma vacina.

          Utilização de dose correta

          Deve-se utilizar a dose indicada nas bulas das vacinas. Caso queira mudar a dose, consultar Médico Veterinário especialista no assunto. No caso das vacinas autógenas do TECSA Laboratórios, a dose para Porcas é de 4ml e para leitões 2ml.

          Material (agulhas, seringa, caixa, etc) limpo e organizado

          Material limpo contribui para a diminuição da ocorrência de abcessos nos animais, e a organização do material aumenta a eficiência do manejo de vacinação, pois muitas das vezes a pessoa responsável pela aplicação tem muitos animais para vacinar em pouco tempo. Em um ambiente organizado é mais fácil encontrar o que se procura.

          Antes da aplicação, passar um algodão embebido no álcool no local da aplicação, para melhor higienização, lembrando que deve-se passar o algodão em uma só direção para não espalhar a sujeira.

          Aplicação no local correto do animal

          As vacinas podem ser aplicadas via intramuscular, subcutânea ou oral. Deve-se seguir o que manda a bula. Para aplicação via intramuscular, deve-se aplicar a vacina na região do pescoço do suíno e para via subcutânea, deve-se aplicar na prega atrás da orelha. Não aplicar em regiões nobres do animal, como lombo e pernil.

          Utilização de agulha correta

          Deve-se utilizar agulhas menores para leitões, e agulhas maiores para Porcas, lembrando que uma porca pode ter uma camada espessa de gordura e a agulha precisa atravessá-la.

          Utilização de uma agulha para o frasco e outras para os animais

          Deve-se ter apenas uma agulha para o frasco, para evitar contaminação da vacina. Lembrar de retirar a agulha do frasco após a vacinação.

          Utilização de quantos animais por agulha

          Deve-se utilizar 5 animais por agulha e descartá-la após o uso.

          Conservação da vacina durante manejo

          Deve-se transportar e armazenar as vacinas durante o transporte e aplicação nos animais, em caixas de isopores com gelo, para que a vacina continue preservada. Verificar se ao final da vacinação as vacinas ainda se encontram resfriadas.

          Terminar um frasco antes de abrir o outro

          Uma vacina aberta possui mais chances de perder sua eficácia. Só guardar vacina aberta se não for possível acabar com o frasco nos últimos animais, e usá-la na próxima vacinação. Importante também ficar atento ao prazo de validade das vacinas e utilizar sempre as que estão mais próximas da data do vencimento.

          Possuir controle de animais vacinados e animais ainda para vacinar

          Caso uma granja não faça este controle, aumenta a chance de deixar de aplicar a vacina ou aplicar duas vezes em um mesmo animal. Para marcação dos animais, o bastão marcador funciona muito bem.

          Controlar a ocorrência de abcessos nos lotes anteriores

          Deve se ficar atento e quantificar a ocorrência de abcessos nos animais, para se ter um maior controle do manejo da vacinação.

CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.

Veterinária