CURSOS ONLINE GRÁTIS NA COMPRA DE UM DOS 1400 CURSOS ONLINE

Conceito e classificação de Zoonose

Artigo por Colunista Portal - Educação - terça-feira, 23 de outubro de 2012

Tamanho do texto: A A

As Zoonoses têm efeitos epidemio-ecológicos e sociais
As Zoonoses têm efeitos epidemio-ecológicos e sociais
As zoonoses são definidas como doenças ou infecções naturalmente transmissíveis entre os animais vertebrados e o homem (World Health Organization, 1967) e estão distribuídas por todo o globo em níveis de ocorrências variáveis de acordo com fatores ambientais de natureza físico-químico-biológica e inclusive socioeconômica e cultural.

O vocábulo Zoonoses foi introduzido na literatura médica pelo médico alemão Rudolf Virchow, no século XIX, para caracterizar as doenças animais que podiam ser transmitidas ao homem. Etimologicamente a palavra é originária do grego zoonosos, sendo que seu prefixo "zoon" significa animal e o sufixo "nosos", doenças, traduzindo-se literalmente por doença animal.

Em 1951 as Zoonoses foram conceituadas como aquelas enfermidades que se transmitem de forma natural entre animais vertebrados e o homem. Esta definição foi muito criticada e então, substituída em 1965 por outra mais completa que afirma que as Zoonoses são todas as enfermidades e infecções em que se pode existir na relação animal-homem e vice-versa, seja diretamente ou através do meio ambiente, incluindo portadores, reservatórios e vetores.

As Zoonoses têm efeitos epidemio-ecológicos e sociais, e por este aspecto podem ser descritas como a soma de fatores que causam perigo a saúde, dano a economia e, como lamentável consequência, uma grande preocupação social.

Classificação
As Zoonoses podem ser classificadas de acordo com seu agente etiológico, os quais incluem vírus, bactérias, fungos, protozoários, príons, rickéttsias ou ácaros.

De acordo com a ecologia e os ciclos biológicos as Zoonoses podem ser classificadas nos seguintes casos:
a) quando há somente um hospedeiro vertebrado (homounixenos).
b) quando há mais de um hospedeiro vertebrado (heteroxenos).
c) quando não interfere nos ciclos de animais vertebrados.
d) quando o agente causal necessita completar seu ciclo em reservatório abiótico.

Schwabe (1984) propôs outra classificação para as Zoonoses que tem sido a mais adotada, por ser considerada a mais completa, baseando-se no ciclo de vida do agente etiológico:

Diretas: O contágio se dá de um hospedeiro vertebrado infectado à outro suscetível, por contato, veiculação ou vetor mecânico. No transcurso desta transmissão, o agente passa por poucas ou nenhuma troca no seu ciclo evolutivo ou reprodutivo. Ex.: Raiva, Brucelose.

Ciclozoonoses: Se referem aos ciclos biológicos heteroxenos, devendo o agente infeccioso passar por mais de um hospedeiro vertebrado para cumprir seu ciclo.
Ex.: Cisticercose, Hidatidose.

Metazoonoses: A transmissão está obrigatoriamente relacionada a vetores invertebrados. No interior do organismo do hospedeiro invertebrado, o parasita realiza uma fase do seu ciclo biológico durante um determinado intervalo de tempo (período de incubação), que precede a transmissão a outro hospedeiro vertebrado. Na dependência dos hospedeiros necessários para a formação da cadeia de transmissão, as metazoonoses são subdivididas em quatro grupos:

1. Requerem um hospedeiro vertebrado e outro invertebrado. Ex.: Febre amarela.

2. Requerem um hospedeiro vertebrado e dois invertebrados. Ex.: paragonimíase.

3. Requerem dois hospedeiros vertebrados e um invertebrado. Ex.: clonorquíase.

4. Representam a transmissão transovariana. Ex.: encefalite dos carneiros.
Saprozoonoes: Quando existe a participação de um hospedeiro vertebrado e de um reservatório não animal, como o solo, matéria orgânica e plantas. Ex.: Histoplasmose e Ancilostomíase (solo), Fasciolose (plantas).
CreativeCommons

Esta apresentação reflete a opinião pessoal do autor sobre o tema, podendo não refletir a posição oficial do Portal Educação.

Comentários


colunista

Colunista Portal - Educação

O Portal Educação possui uma equipe focada no trabalho de curadoria de conteúdo. Artigos em diversas áreas do conhecimento são produzidos e disponibilizados para profissionais, acadêmicos e interessados em adquirir conhecimento qualificado. O departamento de Conteúdo e Comunicação leva ao leitor informações de alto nível, recebidas e publicadas de colunistas externos e internos.